Especial Need For Speed - A Critica

Need For Speed O Filme consegue encaixar em uma categoria muito bizarra. É um filme muito falho. O diretor Scott Waughn apesar de brindar interessantes cenas de ação, se detêm a uma história bem falha e muito ponto comum. Além de ser um filme extremadamente longo para o tipo. Sem problema nenhum se poderia cotar 20 ou até 30 minutos de filme para deixar pelo menos mais dinâmico. Também se torna impossível cobrar atuações por que aqui se passa longe e mais ainda, com diálogos tão canhestros que até duvidamos ou brindamos a capacidade dos atores entregarem esses “diálogos”.

Mas ai vem o contraponto e talvez seja o mais polemico. Como adaptação de um jogo, acreditem, é um dos mais fieis e por mais doloroso e até estranho que pareça ser, pode ser um futuro filme cult para entender os passos pequenos e difíceis que as adaptações de games tem no cinema. O principal ponto para entender isso é apenas um simples fato. Estamos diante de uma franquia que em nenhum momento entregou aos jogadores uma experiencia narrativa memorável. Jogos memoráveis sim, mas não pelo seu enredo, mas pela sua jogabilidade, a dinâmica e de como a própria série se reinventou para sempre cativar os jogadores tanto da velha guarda aos novos.


Quando falo em questão de enredo, acreditem, os diálogos do filme conseguem ser pelo menos mais profundos do que a dos jogos que pelo menos se detêm uma história. Dos jogos que tiveram enredo, o que ainda se salva, mas nem pelos diálogos, mas pela “história” em si é The Run (protagonizado pela Christina Hendricks) por lembrar muito o conceito do filme The Cannonball Run, ou seja, uma corrida ilegal. Infelizmente no Need For Speed é apenas em um local especifico enquanto em The Run e em The Cannonball Run é em todo o Estados Unidos.

Outro ponto que brilha também como adaptação é de como a versão cinematográfica sempre deixa a entender que o espectador/jogador se sinta dentro dos carros. Muitas cenas internas e o uso quase nulo (ou pelo menos se nota que foi bem aplicado) dos efeitos especiais pelo menos garantem a quem é jogador ou quem conhece o universo que o diretor captou essa essência de estar e fazer parte das corridas. E o único ponto importante a ressaltar é de que pelo menos a química entre Aaron Paul e Imogen Potts brilha na tela e o rapaz ganha crédito de aproveitar sua fama e fazer quanto filmes puder e ser mais um daqueles atores que o importante é trabalhar e estar ai no topo.


Considero Need For Speed um guilty pleasure total. Falha como filme, mas ganha como adaptação. Como um cinéfilo, sei que estou em diante mais uma tentativa duvidosa de levar mais um jogo na tela dos cinemas. Mas ao mesmo tempo, os pontos positivos desse filme me levam a crer que ainda é possível e ver uma adaptação que consegue alcançar a todos (tanto como jogadores quanto cinéfilos e críticos). Enquanto isso, é hora de analisar e separar o joio do trigo, o que é fácil … difícil é aceitar.

Ficha Técnica
Need For Speed - O Filme (Need For Speed)
Diretor: Scott Waughn
Elenco: Aaron Paul, Imogen Potts, Dominic Cooper, Dakota Johnson e Micheal Keaton.
Gênero: Ação/Aventura
Cotação: ***

Comentários

  1. Não achei tão ruim como falavam por ae. É um filme divertido.

    http://filme-do-dia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas