The Killer Inside Me

O maior medo que a violência pode proporcionar a todos nós nunca será o grau da violência gráfica, mas sim de como essa violência em geral molda o homem e cada ato que fizer seja de uma maneira tão extrema que temos medo não dos seus atos, mas sim os seus significados. É esse o ponto de partida para The Killer Inside Me, novo filme do diretor Micheal Winterbottom.

Anos 50. Em uma cidade pequena do Texas, um assistente de xerife Lou Ford (Casey Affleck) é um praticamente um cidadão acima de qualquer suspeita. Pacato, tranqüilo, ajuda a todos os amigos e namora uma moça belíssima e recatada chamada Amy (Kate Hudson). Por trás disso tudo ele demonstra ser uma pessoa diferente do que se imagina e o trabalho de expulsar a prostituta Joyce (Jessica Alba) é o ponto de partida de um desenvolvimento de um instinto que está longe de terminar.

Adaptação do livro de Jim Thompson é escrito por John Curran, o mesmo diretor de O Despertar de Uma Paixão e do novo filme de Edward Norton, Stone. O livro já teve uma adaptação nos anos 70, mas pouco lembrado. Muitas pessoas saíram com raiva na sessão em Sundance no começo do ano por causa do teor elevado de sua violência e com a ótica sem limites de Winterbottom, culminou uma sessão rica de sentimentos opostos, desde repudio a admiração.

O roteiro de Curran não poupa em nenhum momento o espectador respirar em paz quando está diante do personagem Lou Ford. Ele o desenvolve de uma maneira tão vil,mas ao mesmo tempo tão sedutor que em cada ato especifico do filme, desde um sorriso maquiado até no olhar após algo ato bárbaro, que facilmente se torna um dos personagens mais cruéis que já tive testemunha na história do cinema. E também, claro, a temática da violência no qual se desenvolve para o personagem em si como um senso comum, como algo rotineiro e é esse ponto que está a genialidade do seu roteiro por que transforma a violência psicológica que o Lou transmite na tela, consegue ser mais assustador do que a própria violência gráfica.

Nada seria concreto sem a atuação impecável de Casey Affleck para o personagem Lou. O ator cria um personagem tão assustador que impressiona o espectador em manter por muitas vezes o rosto sereno nos momentos mais tensos. Sem duvida a melhor atuação desse ator, mas não sei que devo manter esperanças de sua indicação a premiações importantes como Globo de Ouro ou o Oscar. Kate Hudson e Jessica Alba representam a sensualidade em carne em osso. E também tirar o chapéu para as duas por suportarem dois papeis extremamente difíceis e que conseguem tirar de letra, principalmente Jessica Alba em uma das seqüências mais impacto desse ano. Também no elenco tem Simon Baker em uma atuação correta e uma participação interessante, porém fundamental de Bill Pullman.

Winterbottom cria mais um filme tão inquietante dentro de sua filmografia, mas no que mais impressiona é que assim como o personagem principal, não existem limites na crueldade e de como pode ser demonstrado em tela. Sem duvida, nesse filme conseguiu criar vários momentos de puro horror no qual o maior propagador dos piores temores é um homem de semblante quase imaculado.

The Killer Inside Me sem duvida é um dos melhores filmes do ano em minha opinião, mas dificilmente é aquele tipo de filme que pode recomendar a todos. Mas não por que é ruim e sim do seu grau de violencia ser tão alta que consegue chocar até mesmo as pessoas que tem a mente preparadas a ver tudo isso. O que Winterbottom transmite nesse filme, e de uma maneira quase épica, que a pior violência não é aquela que se vê, é aquela que o homem carrega por dentro e o transforma em um estilo de vida.

Ficha Técnica
The Killer Inside Me
Diretor: Micheal Winterbottom
Elenco: Casey Affleck, Kate Hudson, Jessica Alba, Simon Baker, Ned Beatty, Elias Koteas, Tom Bowker e Bill Pullman
Gênero: Drama/Suspense
Cotação: 95% - *****

Comentários

  1. Cara to MUITO curioso pra assistí-lo desde aquela polemica em Cannes,mas tem isso que você falou filmes violentos demais me deixam meio chocados (foi assim com Irreversível) mesmo que eu goste do resultado.
    To curioso,vou assistir mas antes claro me preparar bastante.
    Ótimo texto

    ResponderExcluir
  2. Tô esperando pelo próximo filme do Winterbottom já há bastante tempo. Pelo teu texto, parece mesmo que a espera será válida.

    Abs!

    ResponderExcluir
  3. Você sabe dizer se já dá pra encontrar esse novo do Winterbottom nos sites pra download? Estou doido pra ver. Ontem vi dele no Telecine Cult O Caminho para Guantánamo e achei um misto de extraordinário com perturbador. É um cineasta que me agrada muito!

    Cultura na web:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Pseudo-autor - Acredito que só procurando o torrent, vc acha, mas por enquanto só tem legenda em ispanhou ... vi sem nenhum problema, e acredito que esse filme está pau a pau com Guantanamo que é sem duvida, um filmaço

    Paulo Henrique - Qualquer coisa de Winterbottom já é de se aguardar, desde de extremo ao convencional como foi com Genova, filme bem interessante com Colin Firth.

    Leo - A grande questão do filme não é a violencia grafica, mas sim a violencia psicologica que o protagonista exerce ao espectador ... tem momentos que vc fica literalmente TEMÇO só de olhar no rosto dele ...

    Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  5. Sou sensível com esse tipo de filme, rsrsrs. Mas, acabo ficando curiosa mesmo assim. Com esse filme, acho que não é diferente, apesar de ser difícil. ;)

    ResponderExcluir
  6. Estou com este filme baixado aqui há cerca de um mês, mas não assisti ainda. Estava meio com um pé atrás, mas vou dar um conferida depois ...

    ResponderExcluir
  7. Bom elenco, bom texto, bom diretor, bom roteirista. Ou seja, tenho que conferir este filme!

    ResponderExcluir
  8. Cara, antes de tudo parabéns pelo ótimo blog ... descobri através do seu twitter (que por sua vez foi indicação do Who To Follow do Twitter, que serbu para algo!).
    Enfim, já tinha ouvido falar da fama deste filme quando foi exibido em Sundance, principalmente do alto teor de violência em relação as cenas de espancamento com Jessica Alba. Quero muito ver este filme. O mais rápido possível!

    ResponderExcluir
  9. Quero MUITO ver este aí, por outro lado. Agora, Alba? Seriously?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas