A Linguagem Cinematógrafica Universal

Alguns cinéfilos querem compreender a causa da vitória surpreendente do filme argentino O Segredo de Seus Olhos no Oscar desse ano encima de dois candidatos que muitos consideram superiores a ele como o alemão A Fita Branca e o francês O Profeta. Para alguns a resposta do sucesso de O Segredo de Seus Olhos está combinado com um tipo de movimento atual no qual pode ser denominado como Linguagem Cinematográfica Universal

Vincent Tournier, professor de ciências políticas francês, em um dos seus textos expositivos argumentativos fala que o sucesso do cinema americano no mundo não é por causa de suas megas produções ou efeitos especiais que saltam os olhos, mas sim por que esses mesmos filmes conseguem ultrapassar as linguagens culturais restritas e atingem vários espectadores no mundo inteiro pelo próprio espectador se identificar com o determinado filme que assiste.

Em palavras simples, a maioria dos filmes americanos consegue ter efeito por que atinge o publico que ele quer atingir. Pode até uma ferramenta de compreensão de algumas determinadas sagas atuais tem um grande apelo popular como a Saga Crepúsculo que mesmo sendo um detrator, não há como negar que exerce ao seu publico destinado, sentimentos que esse publico quer sentir, ou seja, amor e etc.

Agora vêem a pergunta, A Linguagem Cinematográfica Universal pode ser considerado como grande ponto fundamental de link entre o cinema nacional e o seu publico? E um filme dito como nacional, consegue ter apelo mundial e ser reconhecido pela essa mesma qualidade? Bem, as respostas sempre vêm com exemplos condizentes e importantes.

Vamos a um exemplo interessante de um filme chamado Shiri – Missão Terrorista. Essa fita de ação coreana que é estrelada por Choi Min-sik, Yunjin Kim e Kang-ho Song lançada em 1999 é considerado por muitos, o pontapé da retomada e do boom do cinema coreano até hoje. Um dos primeiros filmes coreanos a conseguir ser líder de bilheteria num país onde tradicionalmente é um reinado do cinema norte-americano. Já o filme, ele consegue trazer elementos fundamentais que o publico gosta como romance, ação, suspense e acima de tudo, qualidade.

Outro exemplo belíssimo é o brasileiro O Homem Que Copiava. Filme brasileiro feito por Jorge Furtado e tem um grande elenco fala de um jovem que começa a fazer xérox de nota de 50 reais sendo que depois teve que enfrentar algumas conseqüências. A sua história interessantíssima, direção inspirada de Furtado e um elenco afiadíssimo transformam esse filme como um dos melhores da década por não só apenas ser diferente, mas por ser contado de uma maneira que todos conseguem após ver o filme, ter um sorrisão por ter visto algo de extremo bom gosto.



Então, o que falar de Haute Tension de Alexandre Aja, que mesmo tendo caído no meu conceito ao decorrer dos seus filmes, constrói com uma maneira envolvente um jogo violentíssimo de gato e rato no qual impulsionou e já é uma das principais referencias no gore que tomou tono e a vez na década passada. Mas as maiores atribuições desse sucesso é com certeza em sua narrativa que prende o espectador e uma linguagem (gráfica) que todos que gostam do gênero se sentem atraídos.

E por ultimo, e não mais importante, o vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, O Segredo de Seus Olhos. O filme argentino dirigido por Juan José Campanella e estrelado por Ricardo Darin, trata de um crime que chocou a vida de determinados personagens em uma fase peculiar da história argentina. Mas também existem vários elementos que valem a pena ser destacados como um roteiro impecável, uma direção de arte de encher os olhos, atuações espetaculares e acima de tudo riqueza técnica. A prova disso, a famosa cena do estádio já é considerada uma das melhores cenas do ano passado.

Mas o verdadeiro sucesso está na resposta do espectador ao filme. Não pelo filme ter ficado vários meses em primeiro lugar de bilheteria aqui na Argentina. Não, é do próprio filme fazer sucesso dentro do seu publico e sempre ressaltando do filme não se comportar como os vários filmes idiotas que aparecem ou aqueles filmes de festivais que mesmo sendo incríveis (Por Tu Culpa é um exemplo disso) não tem em nenhum momento uma apreciação ao publico e assim, estrear apenas em poucas salas e desaparecer pelo seu comportamento elitista.

E esse mal não é só do cinema argentino, também dentro do cinema brasileiro e tantos que rodeiam o mundo em que muitos endeusam esses cinemas, também existem esses mesmos problemas, porém poucos comentam já que para muitos, não interessa. A Linguagem Cinematográfica Universal se torna um recurso fundamental para qualquer tipo de cinema, já que mesmo sendo difícil para quem carrega por dentro preconceitos sobre o seu próprio cinema, por que a união entre a qualidade técnica e cinematográfica junto com a qualidade de contar uma história diferente, inusitada e ao mesmo tempo em que uma pessoa que vive no Brasil ou em qualquer região do mundo assista e fique encantado com esse projeto.

Hoje, o que muitos dizem “americanização” do cinema é praticamente uma ilusão já que a partir do momento que um cinema consegue colocar dentro de seu projeto elementos que agradam ao publico e ao mesmo tempo os mais exigentes, deixa de ser um cinema especifico para ser um cinema para todos, ou seja, é a Linguagem Cinematográfica Universal recordando o fundamental, que o cinema é universal e para todos.



O que vocês acham do assunto? Deixem a sua opinião ... abraços a todos!

Comentários

  1. De princípio eu fiquei receoso de que tivesse sido feita alguma injustiça ao Haneke (seu filme é lindíssimo, muito bem cuidado!), mas depois que assisti ao Segredo dos seus olhos, achei justíssima a premiação. O filme é lúdico, encantador, e uma prova viva do excelente momento que vive o cinema argentino.

    Cultura na veia:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Sou fã de "O Segredo de Seus Olhos" e depois dele fui procurar mais sobre o cinema de Campanella, mas acho que um filme conseguir unir uma linguagem universal com qualidade é o mais importante. Ter um filme que dê prazer em assistir, para todo tipo de platéia.

    ResponderExcluir
  3. A maior parte do público vai ao cinema buscando algo que lhe agrade, é um fato. Apenas quem é cinéfilo mesmo tenta encarar o máximo de sessões possíveis e não apenas de gêneros que chamam sua atenção.

    ResponderExcluir
  4. É um assunto que merece profundas reflexões. Como falou o Vinicius, tem um certo público que só assiste a aquilo que ele tem certeza que vai gostar.

    Concordo com tudo o que você falou sobre O Segredo dos Seus Olhos. Certamente está na minha lista dos melhores de todos os tempos, sem exageros!

    ResponderExcluir
  5. Muito interessante seu texto, é uma pena que muitos não abram sua mente para tal universalização cinematográfica.

    ResponderExcluir
  6. Como eu não assisti a nenhum dos três filmes, fica difícil entrar na discussão de vocês, mas adorei o texto, João.

    ResponderExcluir
  7. Ótima análise! De fato, os grandes sucessos do cinema que apresentam essa linguagem universal são bem aceito por todos (cinéfilos ou não). O Segredo dos Teus Olhos é um dos melhores exemplo disso nos últimos anos, agradando a todos que embarquem na aventura.

    ResponderExcluir
  8. E que coincidência, não? Temos o filme do LULA indicado...

    Parabéns! Talvez seja o melhor post de sua autoria, rapaz!

    Abs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas