Alice no País das Maravilhas de Tim Burton

Após a noite do Oscar, podemos dizer que 2009 chegou ao fim. E temos que entrar de mente aberta para esse ano que começa e nada melhor do que falar do primeiro grande filme de 2010 que foi lançado. A volta de Tim Burton e Cia na adaptação de um clássico da literatura infantil Alice no País das Maravilhas para os cinemas e também iniciando uma leva de grandes produções a serem levadas em 3D.

Alias, é melhor nem contar toda a história do filme, já que todos já conhecem de cor e salteado. O filme foi um febre instantânea já que arrecadou em apenas um final de semana 115 milhões de dólares, feito que nem Avatar conseguiu fazer em seu final de semana de estréia e agora está com 440 milhões de dólares arrecadados no mundo inteiro, e ainda nem estreou em muitos países como a terra brazilis.

Uma das coisas que não se pode omitir ou negar é a parte técnica do filme, sempre os pontos mais altos do filmes de Burton, nesse não seria diferente. O filme conta com uma impecável trilha sonora de Danny Elfman; um trabalho de maquiagem digna de aplausos, tão melhor quanto o Sweeney Todd; uma direção de arte que enriquece os olhos do espectador que seria um crime essa parte não ser lembrado no próximo Oscar; e claro, de praxe, atuações maravilhosas de Johnny Depp e Helena Bonham Carter.

Porém nem tudo são flores. Aqueles problemas incômodos de Sweeney Todd voltam nesse filme como a falta de essência em sua direção que vem com a questão do uso deselegante e gratuito em algumas cenas em 3D ajudam a mostrar uma das grandes inconseqüências do filme que é a direção por muitas vezes sem vida e defeituosa de Tim Burton. Enquanto o elenco, falar que Depp salva o filme com sua atuação que mesmo no final exagera no tom já é normal nos filmes de Burton. A Helena Bonham Carter criou com certeza uma das personagens mais extravagantes e estranhas desde Marla Singer de Clube da Luta. Também o filme tem uma atuação bem interessante de Crispin Glover e que teve uma ajuda interessantíssima do seu visual computadorizado que deu um ar especial ao personagem.

Mas nem tudo são flores nessa parte já que fomos agraciados com uma decepção visível de Mia Wasikowska como Alice. Apesar de ouvir elogios em alguns trabalhos menores, a primeira oportunidade como protagonista consegue ser muitas vezes apática que faz jus ao brilho dos coadjuvantes por falta de carisma. Por outro lado pensar que poderia ir para as péssimas Amanda Seyfried ou Linsday Lohan, o resultado poderia ter sido infinitamente pior. Porém nada vai esconder o estrago que Anne Hathaway faz em si mesma interpretando a Rainha Branca. Em muitos momentos ela parecia que estava a base de acido o tempo inteiro. Uma interpretação digna do esquecimento de talento, principalmente do excepcional O Casamento da Rachel.

Decepcionante, pode ser, já que mais uma vez parecemos que estamos tornando testemunhas de um diretor que prima pela perfeição visual e esquece do primordial, de uma condução tolerável, um roteiro que envolva o espectador e variedade em sua estética. Nunca que Tim Burton será chamado de medíocre ou coisa parecida por que ele conseguiu que o estranho seja mágico para todos mas a falta de variação faz com que esse estranho fique comum e a magia desapareça. Mas para os fãs de Burton, tudo que ele é, continua lá, o problema é... Até quando. E quando pensamos que poderia piorar, a musica de Avril Lavigne consegue ter a mesma capacidade que teve a musica de My Chemical Romance no fim de Watchmen, a capacidade de todo mundo querer sair do cinema antes mesmo dos fins dos créditos.

Ficha Tecnica
Alice no País das Maravilas (Alice in the Wonderland)
Diretor: Tim Burton
Elenco: Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Anne Hathaway, Crispin Glover, Alan Rickman, Matt Lucas, Sthephen Fry, Micheal Sheen, Timothy Spall, Martin Csokas, Christopher Lee e Mia Wasikowska como Alice
Gênero: Fantasia/Aventura/Infantil
Cotação: 50%

Comentários

  1. Fiquei surpreso com seus comentários, já que "Alice" é um dos filmes para o qual tenho maior expectativa nesse ano.

    ResponderExcluir
  2. Sério? Nossa, que triste. Broxei legal aqui.

    ResponderExcluir
  3. Essa é a primeira crítica negativa que li do filme. E agora? Só irei conferir por se tratar de um filme do Burton. Do contrário... E sempre vale a pena conferir o Johnny Depp em suas caracterizações.

    Cultura? o lugar é aqui:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Já tinha notado que a recepção não foi tão agradável. Mas mesmo assim acho que vou adorar.

    ResponderExcluir
  5. Já dava para saber no trailer que a parte técnica é muito bem destacável. Mas estou um pouquinho curiosa, mas já que é da Alice, tenho medo que o personagem Chapeleiro Maluco acabe ofuscando mais, e com razão.

    Beijos! ;)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas