X-Men Origens Wolverine


Depois de um tempinho parado, vamos falar de um filme novo que está nos cinemas e pode se dizer ... Ganhou muito dindin. X-Men Origens-Wolverine é a ultima aventura da Marvel lançada nos cinemas e pode se considerar a ultima adaptação da década da produtora. O filme saiu no ultimo final de semana e apenas arrecadou mais de 80 milhões de doletas em um único final de semana e até afastou um pouco a onda de má sorte da produtora nos últimos tempos. Agora, será que essa ultima adaptação será a altura do que saiu nessa década?

O longa metragem tem um foco interessante. Funciona como um prelúdio para o primeiro filme onde relata como foi a vida de Logan (Hugh Jackman) antes de ganhar as suas garras de adamantium e após isso. Também mostra a verdadeira relação entre Logan e seu pior inimigo Victor Creed, o Dente de Sabre. E o mais importante, os distúrbios entre Wolverine e o Coronel Stryker.

Antes de começar a critica, não dá para negar da polemica do vazamento do filme um mês antes. Muita gente novamente caiu no conto do vigário sobre o workprint, como se fosse um diamante bruto sem ser lapidado. E essa polemica não é de hoje que profana o meio cinematográfico. Não podemos esquecer-nos dos vazamentos de O Albergue Part II, Halloween de Rob Zombie e do nacional Tropa de Elite (sendo que esse ultimo ainda muito mais discutido por que o vazamento pode não ter sido acidental.). Muitos perguntaram se a versão incompleta atrapalharia a bilheteria, coisa que foi inversa. O que muitos não sabem é que a versão workprint pode ter uma imagem excelente, mas os efeitos visuais do filme não estão completos, além de ver cordinhas nos atores e a ausência de trilha sonora dele. Muita gente percebendo isso preferiu ver o filme no cinema e a sua bilheteria é a prova que muitas vezes, lançar o workprint ao povo não dá certo.

Vamos voltar ao outro ponto importante para ser debatido nesse texto que é a importância de X-Men para a década e principalmente para a Marvel. No final da década de 90, tinha saído Blade – O Caçador de Vampiros, personagem de 3° divisão da Marvel que tinha aparecido em um episódio do desenho do Homem Aranha. Com o sucesso tímido de Blade, resolveram fazer o filme de X-Men. O primeiro filme não prima pelos efeitos especiais, já que o seu orçamento era visivelmente limitadíssimo, mas sim pela sua importância futura.

A começar, a repetição de uma formula de sucesso provada em Superman – O Filme(fato curioso, o próprio diretor de Superman original, Richard Donner, produziu o primeiro filme e X-men Origens), no qual chamar um diretor de suspense para dirigir uma adaptação de quadrinhos, Bryan Singer, que tinha dirigido Os Suspeitos e O Aprendiz. Outro fato que também marcou foi chamar um ator extremamente desconhecido para ser um dos personagens mais populares dos quadrinhos, então o mundo conheceu Hugh Jackman. Muitos estavam com medo do que poderia ser o filme, mas o resultado foi extremamente positivo e com certeza abriu muitas portas para muitos heróis da Marvel. Claro que também apareceu contra tempos e crises dentro dessa década. Mas não dá para ficar indiferente em saber que o personagem que iniciou a década gloriosa, a encerra com um questionamento, ainda a Marvel tem fôlego suficiente?

Vamos voltar falar sobre X-Men Origens - Wolverine. Além de ter Hugh Jackman como principal, o filme tem atores de peso como Liev Schreiber, Danny Houston e Ryan Reynolds. Quem está comandando o projeto foi Gavin Hood, o mesmo de Infância Roubada e Força Policial e o roteiro foi escrito por David Benioff, de O Caçador de Pipas, A Passagem e do pseudo-épico Tróia.

Uma coisa que admito é a falta de tato a respeito a história dos quadrinhos sobre Wolverine. Mas até para qualquer leigo sobre o assunto percebe uma coisa, que o roteiro do filme é mais problemático do que se imagina. A começar com um problema da duração do filme que é mais curto do que se imagina e juntando a isso a muita informação jogada fica até complicado engolir o que acontece o filme todo, principalmente da metade para o final da trama. Uma pena mesmo por que é tão perceptível que um personagem tão rico é meio que estragado. Fora o destino de Deadpool que deu até lastima tremenda.

E por causa desse problema de roteiro, é visível o desperdício de Ryan Reynolds em tela, já que um ator que merece todo o respeito e admiração pelo que foi feito no ano passado, nesse filme você conta a dedo quanto tempo ele tem em tela. Mas a sorte que ele faz a diferença em tela. Tanta que já é um dos próximos projetos da Marvel para ganhar um filme só para ele. E espera-se sucesso para essa adaptação. Lembrando que não é a primeira vez que ele faz um personagem da Marvel, já que ele participou em Blade Trinity, e também manuseava espadas.

Liev Schreiber faz a diferença também nesse filme. A composição do ator para Dente de Sabre consegue ser por muitas vezes ofuscar a estrela principal de Jackman no filme. Desde sua aparição nos créditos iniciais até sua ultima aparição, a insanidade em seus olhos e sua interação com outros personagens é que seja um dos poucos motivos para assistir essa nova aventura da Marvel. Outro também que merece destaque é Danny Houston que faz a versão jovem de Coronel Stryker de X-Men 2, apesar da boa interpretação, não foge do convencional.

Outro ponto negativo e grave é os seus efeitos visuais. Em muitos momentos consegue ser muito falso, que até atrapalha a obra. Apesar de ser um filme de ação constante, por muitas vezes os efeitos visuais parecem mais fracos se for comparado ao primeiro filme e se ainda existir bondade em que ver aquilo, só a seqüência em Marte em Watchmen consegue transformar todo filme do Wolverine em um episódio de Power Rangers. Porém e para salvar a pátria, a luta final (apesar de desigual) consegue ser o melhor momento de ação e direção no filme.

X-Men Origens -Wolverine não chega ser um péssimo filme, porém se for comparado a franquia inteira de X-Men, consegue ser bem mais satisfatório do que O Confronto Final porém muito aquém aos outros dois filmes, principalmente no primeiro. Entretanto, não dá para negar uma coisa, que ele é um filme divertido e que ajuda a passar o tempo ou simplesmente é a síntese do cinema fast food no qual o espectador vai ao cinema e quer ver algo que ajude ele a esquecer um pouco o que acontece ao seu redor e depois de algum tempo, a pessoa esquece o que viu e a vida segue por ai ...

Ficha Tecnica
X-Men Origens: Wolverine (X-Men Origns Wolverine)
Diretor: Gavin Hood
Elenco: Hugh Jackman, Liev Schreiber, Danny Houston, Lynn Collins, Will A.Im., Dominic Monagahan, Kevin Durand, Taylor Kitsch, Daniel Henney e Ryan Reynolds como Deadpool
Gênero: Ação
Cotação: 67% - Assistivel

Comentários

  1. A galera tá bem dividida. E, coincidentemente, eu também.

    ResponderExcluir
  2. Filme continua na mesma altura da trilogia anterior - Todos bons, mais poderiam ser bem melhores!

    ResponderExcluir
  3. Nem assistível consegui achar ele, JP. Tudo bem que tem o divertimento superficial e conta com performances boas de Jackman e Schreiber, mas o resto é muito desastroso, incluindo um roteiro péssimo.

    50%

    Ciao!

    ResponderExcluir
  4. Quero muito ver, adoro o Gambit (!).

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Também achei um filme divertido, mas não passa disso. Os destaques no elenco são mesmo Hugh Jackman, Liev Schreiber e Ryan Reynolds, pelo pouco que aparece.
    O Gambit foi frustrante.
    Nota 6.

    ResponderExcluir
  6. Cara, o filme é ruim, mas é bom! Achei total "Domingo Maior". Abs!

    ResponderExcluir
  7. Mas, João, agora se sabe a razão por trás do "desperdício" do Ryan Reynolds. O personagem dele vai ganhar um filme próprio. Quanto à "Wolverine": o filme poderia ser melhor. Só fica legal mesmo a partir do momento em que Logan se transforma, de vez, em Wolverine.

    ResponderExcluir
  8. Pois é, mesmo aqueles que gostaram do filme o considera apenas "assistível", o que não corresponde à expectativa gerada para o longa.

    ResponderExcluir
  9. Queria muito ver o filme, mas no cinema de minha cidade só chegaram cópias dubladas. Uma pena!!!

    ResponderExcluir
  10. Ainda não vi esse, mas estou com vontade.

    ResponderExcluir
  11. Não sei exatamente o motivo (talvez a falta de entusiasmo de alguns críticos), mas ainda não tive vontade de ver esse filme. Quem sabe em breve...

    ResponderExcluir
  12. Efeitos visuais alternados. Erros de continuidade. Tomadas alternadas, mas corajosas. Boa edição, som e película. Boa estrutura narrativa. Um filme que atendeu muito bem as expectativas e o que foi proposto: entretenimento e show.

    NOTA (0 a 5): 3,5
    ***

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas