Grandes Idéias, Péssimas Execuções

Como foi citado no Blog do Vinicius no qual Hollywood sofre uma grave falta de criatividade e no qual a ultima saída é adaptações de seriados do passado, quadrinhos e afins. Mas quando vimos uma idéia original em pratica no cinema pipoca vibra-se acreditando que a falta de criatividade não estará no filme, entra-se um risco de ver algo tão incrível, ou uma bomba lastimável. Esse ano teve dois incríveis exemplos e logo aqueles que poderiam dar certo. Hancock e Jumper.


No primeiro caso pode ter sido mais constrangedor. Ele pegou uma linha simples que poderia render uma ótima comedia de ação... PODERIA... O plot era bem simples, no qual contava a história de um super-herói que estava em plena decadência e que num agente publicitário queria melhorar a imagem dele. Claro que no começo do longa pode ter gerado alguns sorrisos amarelos, porém o roteiro tentando colocar como prioridade o drama, começou a desandar. Mas não é aquele drama que vem ao natural, mas sim forçado assim criando algo no espectador chamado revolta. Porém o maniqueísmo não vem de agora, o exemplo mais clássico disso é o pavoroso Click de Adam Sandler que tinha uma idéia legal, mas foi tão porcamente retratado que deu pena para minha mente e para o espectador. Porém a catástrofe de Hancock não foi pior por que ainda Will Smith tem algo de vendedor formidável. Ele é daquele tipo que vende a você qualquer coisa e pelo seu carisma, faz a sua pessoa comprar o produto sem muitas vezes perceber que é tão duvidoso quanto imagina. Olho vivo pessoal.


E em Jumper (Pausas para risos), tinha extremamente tudo para dar certo. Tinha todos os elementos citados na resenha de O Procurado de como fazer um filme pipoca bom, porém como dizem alegria de pobre dura pouco. Um filme que tinha a faca e o queijo na mão e jogou fora em menos de uma hora e meia e ainda pior é que a coisa mais legal do filme que era o teletransporte não foi usada com a devida sabedoria e ficou um lixo gigantesco, e apesar da luta entre o Porta Skywalker e o Billy Elliot ser a melhor coisa do filme, não consegue anular os pontos negativos. Se fosse um seriado animado ao estilo de Ben 10, o prejuízo seria menor para nós, espectadores de um bom filme.


Deve-se arriscar em idéias originais para chamar atenção em algo que está em falta no cinema blockbuster, já no cinema independente exemplos de originalidade não faltam. Porém não se pode deixar de apoiar pessoas que querem pelo menos fazer algo em prol do divertimento com uma concepção original, mas também não vamos prestigiar algo que ofende nossas mentes e nossos olhos. É como um jogo de sorte, muitas vezes acertamos em nossas apostas, mas também podemos perder tudo, e no nosso caso, a nossa credibilidade.

Comentários

  1. Caramba!A comparação com Ben 10 foi demais, hehehehe. Apesar de ambos os filmes deverem bastante, prefiro Hancock a Jumper.

    Abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Você falou tudo. É frustrante quando alguma produção até tem um bom argumento, mas estraga tudo com uma execução que tenta agradar à grande massa adolescente que constitui a maior parte de sua bilheteria. O erro desses produtores é que parecem não saber que bons filmes também podem render milhões - taí "The Dark Knight" que não me deixa mentir. Valeu pela citação!

    ResponderExcluir
  3. Concordo plenamente. Hancock é bom até quando se dispõe a contar a origem do herói. Depois desce ladeira abaixo. E Jumper é ruim desde o começo, com pouquíssimas cenas de destaque e melhora um pouco quando entra em ação Griffin, interpretado por Jaime Bell. Mas o pior do ano ainda é A Múmia 3.

    ResponderExcluir
  4. É a moda, friendo. Com grandes premissas vem grandes desastres. Exceções a parte, claro.

    Ciao!

    ResponderExcluir
  5. Discordo, JP, Jumper e Hancock são bastante divertidos e todos coerentes dentro de suas propostas. Claro que não tem nada demais nenhum dos dois, mas não considero nenhum ruim.

    Agora aquele Wanted sim, um dos piores filmes do ano sem dúvida alguma... minha opinião, lógico.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Muito bem! Está ótimo! Concordo com tudo.

    Adorei a menção à a luta entre o Porta Skywalker e o Billy Elliot. E Will Smith tem carisma, mas é um enganador como o Ronaldinho Gaúcho.

    Abs!

    ResponderExcluir
  7. O problema de "Hancock" foi o péssimo desenvovlimento da personagem da Charlize Theron. Uma revisão no roteiro resolveria aquilo.

    Quanto à "Jumper": acredito que o filme era um caso perdido desde o início... Uma idéia daquelas não tinha como funcionar.

    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  8. tbm me senti da mesma forma que vc sentiu ao ver o Jumper.. inda não vi Hancock, mas tbm devo concordar contigo..rs

    valew, pela força no blog.. e vou mandar sim um abraço pro Pe. Roberto.. apesar de ser dificil de ve-lo..rs...
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  9. Poxa gostei de sua critica!!! parecia o proprio Carranca falando!

    hehehhehehe

    mas concordo com vc na maioria das coisas.....

    abraços

    ResponderExcluir
  10. Prefiri nem me arriscar a ver Hancock, Smith raramente consegue subir no meu conceito. hehe

    ResponderExcluir
  11. Ronald - Nem se preocupe ... entendo o que você quis dizer, de resto está de boa, depois quero ver o que vc achou, blz?!

    E a todos que comentaram, praticamente as opiniões são unanimes ... esperamos que daqui em diante, as coisas mudam ... abraços a todos ...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas