Transformers - The Movie


Como em qualquer filme que envolve adolescente, sempre tem alguém que aparentemente demonstra sinais de uma personalidade retraída e rejeitada, mas que no fundo ele carrega algo de especial e que irá mudar a rotina de alguns ou de todos. E Sam Witwicky, não foge da regra imposta pelo filmes do gênero. Um rapaz retraído, nada atraente, porém carrega algo especial e que pode mudar o destino do planeta (...).

Transformers é o mais novo projeto de Steven Spielberg e que se baseia em uma famosa serie animada que conquistou a maioria dos jovens dos anos 80 e que vive carinhosamente para quem viveu essa época que hoje se chama a década perdida, por tantas coisas boas que de inicio não deu a devida atenção, mas que ao passar do tempo, ela se torna especial por algumas vezes pela inocência ou pela ótima qualidade e emoção de que era feito os filmes e desenhos e isso, atualmente vai desaparecendo pouco a pouco...

(...) Esse jovem tanto quer é conseguir um carro para conquistar algo que se assemelha o respeito e uma garota. Depois de ouvir uma frase altamente machista, porém que funciona (Você não escolhe o carro, o carro é que escolhe você). Ele sente que um Camaro meio ofuscado pelo tempo tem um tipo de ligação entre ele. Entretanto o carro que alguns chamam de lata velha é uma peça para a esperança da humanidade (...).

Quando a noticia que esse incrível desenho iria ter a sua versão live-action todos ficaram em puro êxtase, mas o nome do diretor é algo de causar calafrios em qualquer cinéfilo de bom senso. Micheal Bay para muitos é o pior diretor de todos os tempos. Para outros, um mero palhaço que consegue fazer um cinema entretenimento esquecível que tem no intuito encher rios de dinheiro diretores e produtores. Depois de errar a mão (coisa comum dele) em A Ilha e ficar um bom tempo afastado, só investindo em remakes para a sua produtora Platinum Dunes, será que o homem, um dia, iria acertar em um filme?

(...) O que o garoto não imagina é que ele está no meio de uma guerra travada por seres robóticos alienígenas representados pelos bondosos Autobots, liderado pelo Optimus Prime e os Decepcticons, liderado pelo maléfico Megatron. Os dois estão em busca do Allspark, um cubo altamente poderoso que uma forte fonte de energia, mas causador de discórdia e guerras (o planeta deles foi destruído pela guerra pelo cubo) e o jovem Sam é o ponto crucial para implacável guerra começar.

Bem, o filme apresenta trejeitos de roteiro baynianos comuns. Piadinhas idiotas que funcionam, diálogos superficiais, algumas tiradas nacionalistas ufanistas e outros que não dá para descrever pela alta mediocridade. Mas nesse filme foca duas partes, na primeira parte, a guerra entre os Autobots e os Decepcticons, e a sua explicação no longa consegue pelo menos ser aceitável e o modo de como é introduzido ao publico funciona muito bem. Já a segunda parte é o foco do amadurecimento do rapaz ao longo da trama e todos os elementos oitentistas (ou atuais) de personagens que começam como perdedores e que chega ao final como o manda-chuva do pedaço.

A trilha sonora do filme é outro elemento bayniano típico. Uma trilha vibrante que tem acordes estratégicos para criar emoções em espectadores desavisados. Neste caso, quem comanda os acordes é o Steve Jablonsky, mais um rapaz que Micheal Bay investe, além de ter feito todas as trilhas dos filmes da produtora de Bay, ele parece que aprendeu nos filmes de Bay a fazer uma trilha que caia nas graças do publico. Também as musicas executadas durante a trama são em alguns momentos ótimas, principalmente no inicio do filme, mas o ponto negativo fica por conta da musica sem graça, sem alma e sem sal do Linkin Park que só está no filme no intuito de vender o seu peixe (que por sinal está estragado faz tempo).

O elenco do filme apesar de ter bons nomes, os dois grandes destaques são Hugo Weaving e Shia LeBeouf. Weaving mais uma vez não aparece como todo espera, porém a sua voz ecoa forte como Megatron. O ator mostra o seu jeito smithiano de ser e entrega uma voz vilanesca gostosa de ouvir dando assim um ponto alto a trama. E o astro da vez Shia LeBeouf mostra o por que ele é a mais nova promessa de Hollywood, nesse filme ele faz com maestria um dos personagens mais tarimbados do cinema norte-americano, o rapaz perdedor que dá a volta por cima. Mas aliado a carisma inegável do ator, faz com que esse estereotipo se torne agradável aos olhos do publico mais exigente.

E Micheal Bay? Quem diria, fez um filme a altura. Apesar de vícios ridículos como a tara por helicópteros, tomadas por do sol no intuito de glorificar o momento em cena, e sempre mostrar que os EUA são os caras do pedaço. Bem isso continua em Transformers, porém nem muito. Mas por incrível que pareça, quando o assunto é ação, cenas de perseguição e destruição em massa, Bay é o cara. E para muitos fãs, ele foi a escolha certa por que as cenas de adrenalina que os robôs despejam para o grande publico é algo de arregalar os olhos, fora os efeitos especiais que conseguem chegar próximo da realidade é um verdadeiro ponto positivo nesse filme.

Com elementos que deixam um espectador ansioso ou apreensivo, Transformers conseguiu algo que nem Homem Aranha, Piratas e Sherk conseguiram: ser um filme genuinamente pipoca. É um tipo de filme que você vai com seus amigos para o cinema para gritar, rir, torcer, coisas que só um filme pipoca genuíno faz; é um tipo de filme que quando vê na tela grande, vai querer ver o filme novamente, comprar o dvd e para quem é fã, matar a saudade e rever os desenhos originais. Micheal Bay... Você ta perdoado... Só desta vez.

















Ficha Tecnica
Transformers (EUA,2007)
Diretor: Micheal Bay
Elenco: Shia LeBeouf, Megan Fox, Josh Duhamel, Tyrese Gibson, Rachel Taylor, Anthony Anderson, Jon Voight, John Turturro e Hugo Weaving
Gênero: Fantasia/Ação/Ficção Cientifica

Se Gostou de Transformers, Recomendo:

Jurassic Park
O Exterminador do Futuro (A Trilogia)
Superman The Movie
Star Wars

Comentários

  1. Bah, não sabia que o Hugo faz a voz de um dos robôs... Em geral, deve ser bem divertido, to lendo bastante coisa boa sobre o filme (essa semana vou conferir).
    Bah, sempre cheio de imagens os textos, muito bom isso.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. JP, para dizer a verdade, eu nem odeio Michael Bay, mas essa sua obsessão de arquitetar explosões acabam resultando em grandes bocejos por parte do público. Mesmo que o tema não me agrade, “Transformers” deve ser mesmo um agradável pipoca.

    ResponderExcluir
  3. O problema do filme é de fato o Bay. Camera lenta, trilha sonora exagerada, dialogos muitos toscos.

    Porém, gostei do filme. Tem cara do Spielberg, Shia LaBeouf é fantástico, os efeitos são de babar e as cenas de ação são muito bem dirigidas (um dos poucos méritos da direção de Bay).

    Num ano tão decepcionante que nem esse, acho que Transformers foi um dos melhores blockbusters do verão americano.

    ResponderExcluir
  4. "Transformers" é um ótimo entretenimento!
    Tem suas falhas, como piadas infantis e bobas, que algumas ate funcionam bem, e também tem seus diálogos imbecis.
    Mas como a intenção era nos divertir, então o filme não faz feio!

    A única coisa que tenho que reclamar,sobre a critica de JP, é que ele falou mal de Linkin Park! Achei ótimo ter colocado a música deles no fim, já que o grande público alvo do filme é o público jovem, assim acaba sendo uma grande jogada de marketing tanto para filme como para a banda. Que é uma das grandes bandas queridinhas dos adolescentes.

    ResponderExcluir
  5. Eita ferro! Otimo texto! Ainda não vi, meu caro... mas dessa semana não passa, daí te falo o que achei...

    Eu te disse que assisti Memórias de Um Assassino??? De qualquer forma, gostei a valer!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Se não tivesse tanta piada boba, tanta palhaçada e o diretor não estivesse preocupado em mostra o umbigo daquela moça por quem o Shia Lebouf se apaixona (e que não me recordo o nome agora) seria um excelente entretenimento. Mas aí ele veio com aquela história do mal devastador que vem do Oriente Médio e... Mas uma vez perdeu a chance de fazer algo decente. Salvo, lógico, a tecnologia empregada na produção dos efeitos especiais (os Autobots e Decepticons são estrondosos!). No mais... Vale para aqueles adolescentes que adoram gritar na sala de projeção (feito que aliás incomodou muita gente na sessão que eu assisti, chegando às vias do lanterninha pôr gente pra fora).

    (http://claque-te.blogspot.com): Últimos Dias, de Gus Van Sant.

    ResponderExcluir
  7. Momento Machista: o rapaz ... aquele umbiginho de Megan Fox na tela grande é tão bom .....

    ResponderExcluir
  8. Acho q Transformers está longe de ser o ideal q tenho em mente de um blockbuster,digo um blockbuster completo.Este só apresenta dois elementos essenciais como vc mesmo citou.O primeiro deles,neste ponto concordo com vc João,é um protagonista forte e carismático como o Sam do LeBouf q faz a gente torcer por ele a todo momento.O segundo ponto é ação,só naum acho q seje aquela q prende a gente na cadeira sabe,há um excesso(para variar marca de Bay) e ,observação pessoal,pouco se consegue ver na tela devido ao ritmo da câmera.Ah!Esqueci um terceiro Megan Fox!rsrsrsrsrs
    Fora isso Transformers foi cansativo e em nada me surpreendeu.

    ResponderExcluir
  9. Acabei de chegar do cinema. Adorei o filme!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Transformers
    More than meets the eye
    Transformers
    Robots in Disguise
    Transformers

    Autobots wage their Battle
    To destroy the evil forces
    Of the Decepticons

    foda
    ehehehe

    ResponderExcluir
  11. Como você já sabe, gostei do filme, bastante na verdade, só não concordei com certos impulsos de Bay, que na verdade quase estragam A Ilha, que fica no mesmo nível de Transformers ou até um pouquinho melhor para mim. O visual do filme é um show, com certeza estará no Oscar. Amei o humor do filme, Shia que traz carisma e autênticidade e só não concordo sobre a canção de Linkin Park, hehe, eu gosto, muito. O "soundtrack" do filme ficou legal, mas o "score" é típico dos filmes de Bay, como você mesmmo disse. Mas é isso...quem sabe eu veja de novo, mas só se eu tiver muito tempo de sobra.

    Nota 7,5

    ResponderExcluir
  12. (Gustavo Madruga fala)

    Tô esperando chegar em DVD...não sei porque, mas esse tipo de filme nunca me atrai para o cinema.

    ResponderExcluir
  13. Pensando bem...vou fazer o mesmo que o Gustavo, vou esperar chegar em dvd, porque o filme não me atraiu msmoo!
    Ainda fico com os desenhos animados sobre robôs!
    xD
    abraço

    ResponderExcluir
  14. Quem espera pra ver em dvd estará comentendo um grande erro: Transformers é pra se ver no melhor cinema possível.

    ResponderExcluir
  15. concordo com o Gustavo. Quer saber, vá agora e não perca essa chance!

    ResponderExcluir
  16. Reforço o coro da galera ... tem que ver no cinema ... para dizer aos seus filhos ou a galera que vai se contentar no dvd ... eu vi esse filme no cinema e ver no dvd perde a magia de um pipocão ...

    ResponderExcluir
  17. (Gustavo Madruga fala)

    É questão de gosto mesmo!
    O estilo de transformers não me cativa de jeito nenhum!
    Vou fazer uma forcinha para vê-lo em DVD!

    ResponderExcluir
  18. esse com certeza deve ser o melhor filme do pulha do Michael bay, so espero que em tranformers ele nao apresente aquela direçao escrota dos demais filmes, acho que spielberg deu umas aulas de direçao pra esse carinha...

    o texto esta massa!

    ResponderExcluir
  19. Otimo texto, brotha. Transformers é entretenimento puro e simples, e esse é o seu maior trunfo.
    Parabens pelo blog;

    ResponderExcluir
  20. O filme tem lá seus defeitos, alguns furos de roteiro, cenas exageradas, comédia às vezes forçada, mas no fim me agradou um pouco. Sem pretenções, é um filme de luta de robôs bem divertido.

    ResponderExcluir
  21. esse filme e d+ foi o melhor filme que eu vi ate hoje espero que tenha o dois.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas