Joint Security Area - Zona de Risco

A tensão entre as duas Coréias se estabelece por causa de um atentado na zona de fronteira entre dois países. Dois soldados norte coreanos são assassinados e dois soldados, um sul coreano e um norte coreano ambos feridos. Para resolver esse terrível impasse, a Comissão de Segurança das Nações Neutras é designada para resolver esse caso. A encarregada desse terrível fardo é a Major Sophie Jean, filha de coreano, mas que nasceu na Suíça. Os sobreviventes têm diferentes versões sobre aquela noite e ambos cheio de falhas. Agora só a Major Jean para tentar não saber quem é o culpado, mas saber a verdade daquela terrível noite.





Joint Security Area, ou se preferir, Zona de Risco depois de tantos anos chega a DVD no Brasil e ainda de quebra é o primeiro longa de Chan Wook Park e o filme é o começo de uma carreira muito elogiada onde a cada filme é esperado com entusiasmo. O filme também é uma introdução, mesmo que pequena, sobre a história da separação dos dois paises e a tão falada Zona de Risco que é uma área neutra que fica entre os dois paises. Infelizmente o diretor não pode filmar no lugar original, mas o trabalho de recriação é sublime. E com o sucesso do filme (que não foi pouco) ele teve confiança que precisava e fez Simpatia Pelo Senhor Vingança e o resto todo mundo sabe.

O roteiro do filme começa quente e não para. Divido em três partes aparentemente diferentes, mas que se interligam de uma maneira intrigante aonde a cada descoberta modifica o rumo da história. Uns dizem que o filme Violação de Conduta tem uma forte influencia desse filme. No elenco estão os maiores colaboradores do diretor; Byung-hun Lee e Kang-ho Song brilham na tela fazendo os soldados rivais, mas com um segredo importantíssimo para a trama. Lee Yeong Ae faz a Major Sophie Jean. Em uma interpretação segura e importante em toda trama. A direção de Chan Wook Park desse filme comparada aos outros filmes é relativamente mediana, mas mesmo assim, o espectador é agraciado com cenas e seqüências de câmera inesquecíveis e a cena final é com certeza, uma das melhores cenas já feitas do cinema coreano.

Um filme que é difícil se dizer, uma mistura sábia de suspense e drama com belos toques de sensibilidade e brutalidade. Um filme que abriu portas para os atores principais e principalmente para o diretor que mostrou por que veio já nesse filme e nas suas obras conseqüentes. Uma obra-prima que passou despercebido para o publico brasileiro que ainda não coloca na cabeça que Oldboy não é o único filme do diretor. Infelizmente o filme poderá ganhar o seu remake americano e espero que isso nunca aconteça.


Comentários

  1. Jp, você gosta mesmo de Zona de Risco, hein?!
    A cada momento que passa, ando gostando cada vez mais do cinema oriental, e não tenho dúvidas de que este filme do mesmo de OldBoy (que preciso rever urgentemente) deva ser no mínimo interessante. Talvez ganhe sim a sua refilmagem, mas você não acha um bom veículo para o pública ficar interessado por sua fonte de inspiração, assim como ocorreu com Os Infiltrados?

    No Cine Resenhas
    * Comentário do filme “Uma Noite no Museu”

    ResponderExcluir
  2. Amigo, cinema coreano está mesmo em evidência, quero ver esse filme, deve ser demais! saca só o diretor!!!! vou procurar ver mesmo, quero ver um policial com inteligência!

    abração!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas