Oscar 2013: Um delicioso ciclo sem fim.


Vamos ser sinceros. Post de Oscar sempre será caracterizado pela redundância  Ou seja, vai ter partes que vão falar das decepções, das vitórias e das surpresas. Sempre com aquela pitada de desconfiança por determinados projetos e acima de tudo, o começo de novos palpites para o ano que vem.

O único destaque negativo que tenho para citar sem duvida é a vitória de Valente como animação. Uma coisa é saber que estas diante de um grande vencedor, como foi que aconteceu com Toy Story 3 ... Outra é quando percebes o quanto o vencedor é aquém ao que se imagina. A Pixar merece sem duvida premiações pela grande empresa que é e de como se tornou para o espectador a busca da emoção e sensibilidade  O problema é quando começa a refletir o que ganhou no Oscar, bem a vitória de Valente consegue representar a preferencia da Academia para as animações da Pixar do que outras animações, exceto ano passado no qual vimos o überestimado Rango ganhar o Oscar.

O que aumenta ainda a lamentação é saber que ganhou em cima de animações nos quais conseguiram ultrapassar o limite da obviedade e trazer um pouco de frescor. A volta de um grande cineasta a um projeto bem intimo e pessoal. O terror em uma visão infantil sem perder a sensibilidade. A volta dos mestres da animação de massinha junto com uma produtora de animação que começa a dar passos largos e ainda assume um novo posto no cinema de animação enquanto vê o declínio da Dreamworks. E por ultimo, e talvez o mais importante, a animação que consegue equilibrar de uma maneira correta e extremadamente incrível o cinema e os videogames em um projeto único. E ganha a história mais desinteressante que a Pixar.

Curiosamente, ontem não existiu grandes vencedores. Acredito que a mistura de vencedores deu um fôlego ao cinema por que se parar para pensar, não existiu grandes vencedores. E sim, profissionais que conseguiram pelo seu trabalho e esforço levar um premio máximo. Muitos já ganharam inúmeros prêmios e acima de tudo, não existiu algo homogêneo  Tudo foi diferente. A melhor reflexão a se dizer é bem simples. O maior vencedor é você espectador por que se viu inúmeros filmes, inúmeros projetos e claro, a imersão a novos projetos.

O dia de hoje funcionará assim. A expressão do que sentiu, o que reagiu ao ver determinadas situações. Ver as fotos, fazer algum meme e depois de uma semana, já começa os buzz para o Oscar que vem. Um ciclo sem fim ... um delicioso ciclo sem fim.

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Bem, eu não desgosto de Valente, nem acho que seja um retrocesso na produção da Pixar, mas de fato, Detona Ralph merecia bem mais. E é isso, o ciclo se renova e começa mais uma novela. Mas bem que os filmes da próxima leva de premiações podiam ser mais empolgantes, né.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas