6 de junho de 2012

Branca de Neve e o Caçador e muito mais ...


Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança: A volta do Motoqueiro Fantasma aos cinemas talvez seja um dos pontos em que muitos deveriam compreender o que se tornou a Marvel hoje, um poço de esperança a quem gosta dos quadrinhos e do personagem. Nesse novo filme se vê mais o que é o personagem atrelado à atuação de Nicolas Cage que mais se diverte que nunca, se torna uma simbiose perfeita. O problema está que o resto está a puro defeito. Infelizmente Neverdine/Taylor erram mais uma vez fora da franquia de Adrenalina e criam um filme que tem pouca ação, mas que pelo menos a ação que tem é só para glorificar o personagem.  A busca de ser mais fiel aos quadrinhos é nada mais que justo, o problema é que isso algumas vezes não sustenta tudo.


John Carter: Por enquanto um dos maiores fracassos do ano, não merece totalmente esse mérito triste. Motivos: é uma grande aventura baseado em sua proposta. Talvez com os elementos como a falta de um protagonista de nome, um elenco parcialmente desconhecido, mas de grande talento e uma obra que uma grande parcela do público desconheça, ficaria muito difícil sustentar o sucesso e o valor que foi dado. Uma grande pena por que estão deixando de ver uma aventura solida bem arquitetada e com mensagens interessantes sobre governar (Mark Strong brilha nessa cena). A sorte da Disney foi a arrecadação monstruosa de Os Vingadores que cada dia que se passa se torna uma das maiores bilheterias da história. John Carter sem dúvida é um filme a não deixar para trás.


Batteship – Acredito que isso já foi dito em outros blogs, mas que isso é inegável, isso é. A adaptação de batalha naval para o cinema só apenas necessitava de algo extremadamente comum no cinema de hoje: um argumento cretino. Agora pegue esse argumento cretino e junte todos os possíveis e plausíveis clichês para esse estilo de filme. Com isso tudo está visível Batalha Naval. Em um certo ponto do filme só resta duas opções, ou se jogar na bagaça e desligar o cérebro ou achar que tudo aquilo é uma ofensa ao bom senso. Para muitos, um guilty pleasure tolerável e para outros, uma verdadeira dor de cabeça. Mas de um fato todos vão se lembrar: Rihanna É UMA PÉSSIMA ATRIZ.


Branca de Neve e o Caçador – Acredita-se que muitos espectadores ficaram com um terrível trauma com o desvirtuamento de fábulas iniciada com Alice de Tim Burton e que tiveram quase uma catacrase com A Garota da Capa Vermelha. Nesse filme a estrela é a própria Kristen Stewart como a moça “indefesa” e Charlize Theron como a Rainha Má. Interessante que no começo iria tudo bem, principalmente no desenvolvimento da rainha na tomada do poder. Mas quando começa a aparecer a Kristen, é uma atuação plastificada, como uma legitima boneca e que piora ainda quando começa a falar. Parece que as principais peças da trama a partir do momento que a Kristen fala, desanda. No inicio começa o brilho, mas depois Charlize mergulha em um overacting vergonhoso que até quem admira a versatilidade da atriz, sente pena.

A única peça boa e genuína é curiosamente Chris Hemsworth com o papel do caçador. Junto com essa peça boa e genuína ficam os efeitos especiais minimalistas, porém de encher os olhos, entretanto dentro desses mesmos belos efeitos especiais estão sem duvida uma das sequencias mais sem sentido do ano. Nem adianta falar do roteiro por que é falho apressado e longe de ser cativante.

Branca de Neve e o Caçador têm elementos para agradar uma parcela do público, mas com suas protagonistas falhando miseravelmente em seus papeis, um roteiro pobre e um desenvolvimento mecânico, transformam o projeto em pastiche e coloca na duvida se vale a pena fazer uma revisão mais “crível” de eternas fantasias. Agora é só esperar ver Mirror, Mirror e tirar a conclusão final se realmente é possível continuar vendo essa neo-abordagem que não está levando a lugar nenhum.


Cotações
Motoqueiro Fantasma: Espirito de Vingança - * 1/2
John Carter: ***1/2
Battleship: **
Branca de Neve e o Caçador: *1/2