Selvagens, Ted e Bait

Selvagens (*** 1/2)

Selvagens é o retorno à violência de Oliver Stone nos cinemas. Baseado no livro de Don Winslow do mesmo nome conta a história de O, uma jovem que divide sua pessoa a dois amigos Ben e Chon que construíram um império independente de maconha e ao mesmo tempo reverte uma parte sua própria instituição de caridade. Sendo que no Mexico, os cartéis estão pressionados e um cartel deseja o serviço deles. Porém os dois amigos não aceitam a proposta e por vingança, o cartel sequestra a O e os dois amigos farão de tudo para ter ela de volta.

Oliver Stone brilha na direção do filme sem poupar da violência e uma fotografia frenética e vibrante. Já a própria história não sai da linearidade e talvez por já sido tratado em vários filmes do gênero, não sai do lugar comum. Pior ainda fica em relação no foco da personagem de O, vivida por Blake Lively que faz uma péssima narrativa e quando se lembra da atuação dela, o próprio filme não sairia do negativo, já que é uma das piores atuações do ano.
Oliver Stone e seu grandioso elenco, tirando claro Blake Lively, brilham em filme que não sai do lugar comum, mas que por sua execução e o brilhantismo do seu casting que se destaca por Benicio Del Toro que brilha em todas as cenas que participa, faz o fundamental: que o espectador fique preso ao filme. Poderia ser sido mais selvagem em questão de essência, mas somente ficou na atitude.



Ted (*****)

Um episódio de South Park que foi lançado a algumas temporadas atrás definiu o que é Uma Família da Pesada: um aquário cheio de nomes aleatórios que se juntam e fazem uma piada. E o pior é que assistindo o seriado é uma pura verdade. O criador da série, Seth MacFarlane, também se destaca por series melhores, porém “desconhecidas” ao grande público que é American Dad e The Cleveland Show.

No filme Ted, sem duvida, Seth MacFarlane não imaginaria que conseguiria criar um personagem tão ícone quanto o filme em si, o ursinho Ted. John quando era pequeno nunca teve amigos, porém em um Natal ganhou um ursinho de pelúcia e o chama de Ted. De tanto passar o tempo juntos, ele deseja que o ursinho fale e que sejam grandes amigos para sempre. O que não contava que esse desejo se tornou realidade. Ao passar dos anos, Ted se tornou uma pessoa de um comportamento de baixarias e drogas, mas nunca deixou de ser amigo do John. O problema é quando John começa a namorar a Lori e necessita dar um passo mais sério no relacionamento a dois e sua relação com Ted.


No cinema Seth MacFarlane brilha contando uma história que por muitas vezes passa datado que é o momento do rompimento para o amadurecimento. Porém os diálogos engraçados que fazem qualquer um rir, suas referencias e principalmente um iluminado Mark Walhberg que junto com o personagem de Ted, conseguem gargalhar e muito e principalmente emocionar. Ted funciona como uma verdadeira prova de Seth Macfarlane de que ele é sem duvida um comediante que deveria voar mais alto por que ele tem o fundamental, saber rir com inteligência, sarcasmo e emoção. Escroto e emocionante.Isso é Ted.




Bait (* 1/2)

Muitas vezes o que mais se pede a um gênero cinematográfico é a honestidade. É de saber que o filme que irá ser assistido tem essa premissa e vai até o fim. Bait, um filme australiano se encaixa nesse ponto, é honesto no que propõe, apesar de ser mal executado. A história é sobre um grupo de pessoas que ficam presas dentro de um supermercado após um tsunami na costa australiana. Ao mesmo tempo de estarem presos a esse supermercado, existem tubarões dentro desse supermercado sedentos de sangue.

Sim, tubarões em um supermercado atrelado a uma tentativa de tecnologia 3D que deixa tudo ainda soar mais falso de costume. Porém o filme se sustenta pelo menos na sua premissa difícil em mostrar sem pudor tripas e sangue, apesar de ser muito falso. Não dá para mentir que é um filme fraco, mas pelo menos tem a honestidade de dizer a muitos momentos da trama que é isso ai o que acontece e... Se gostar ou não se torna uma opção.

Comentários

  1. Dos três só vi Ted, e realmente é uma ótima comédia. Seth MacFarlane conseguiu uma boa estreia no cinema.

    abraços

    ResponderExcluir
  2. Ainda não assisti a “Ted”, apesar da curiosidade enorme a respeito desse filme, que tem causado barulho. Vou corrigir esta falha neste final de semana, sem falta!

    E fiquei surpresa com a sua resenha de “Selvagens”. Feliz de ver Oliver Stone voltando a fazer um bom filme. Quero muito assistir!

    ResponderExcluir
  3. De todos assisti apenas Ted, é uma boa comédia, porém acho que utiliza-se de muitos exageros desnecessários e incomodos, tenho grande interesse em assistir Selvagens, tive vontade assim que bati o olho no trailer.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas