A Hora da Escuridão

A Hora da Escuridão é mais uma nova produção de Timur Bekmambetov que chegou aos cinemas no começo do ano tem uma premissa interessante no qual mostra um grupo de americanos tentando sobreviver a uma invasão alienígena em Moscou no qual os alienígenas tem uma particularidade interessante, já que se alimentam de energia vital da terra, inclusive os humanos. O problema é que eles são “invisíveis” ao olho nu e dificilmente se sabe quando estão perto deles ou não.

Apesar de sustentar uma premissa interessante o roteiro se cai em desgraça por motivos interessantemente simples: a tentativa de humanidade nos personagens. Acredita-se que é um tipo de corrente de pensamento ou uma moda passageira no qual existe a tentativa desesperada em criar humanidade em um cenário no qual é latente que não existe mais. O que se torna bem triste por que o interessante desses tipos de produção é ver que a partir do momento que se descobre que não existe mais “humanidade”, todas as leis que foram acarretadas durante um longo tempo desaparecem.

O que aumenta mais a decepção ainda é saber que o mesmo diretor, Chris Gorak, que dirigiu um dos melhores filmes sobre o tema do desaparecimento da humanidade para um processo de auto-hominização Right At Your Door se rende a um roteiro capenga e talvez por pressão dos produtores ao criar um tipo de obra que coloca na mentalidade do espectador “que esses jovens inocentes vão voltar a casa.” Uma grande pena.

O que também aumenta mais o desespero negativo da trama é o seu elenco, pelo menos Emile Hirsch, Olivia Thirlby e Max Minghella fazem aquela atuação decente para filme catástrofe. Já o resto do elenco, parece que cresce a cada momento da fita a necessidade de que eles “desapareçam” o mais rápido possível com a mistura de overacting mais burrice que o roteiro programou para esses personagens. Fora que os efeitos visuais desse filme carregam prós e contras bizarros como uma macabra sensação de deserto em Moscou que se desfaz com um cromakey bizarro em cena extremadamente simples.

Possivelmente, dizer que A Hora da Escuridão é um filme ruim... Sim. Mas ao mesmo tempo, se for naquela mentalidade de que filme ruim existe a possibilidade de dizer que dá para matar um tempinho e mesmo assim sair pensando na maior ilógica do filme que após, se torna a melhor cena dela. Pelo menos Timur acredita que é possível investir em bons cineastas, mas o problema é que se entregarem roteiros desastrosos e entregar um orçamento muito baixo, só de ter o filme pronto já é uma vitória para um diretor... Mas uma derrota para os espectadores.

Ficha Técnica
A Hora da Escuridão (The Darkest Hour)
Diretor: Chris Gorak
Elenco: Emilie Hisrch, Olivia Thirbly, Max Minghella, Veronika Ozerova, Joel Kinnaman e Rachel Taylor
Gênero: Ficção Cientifica/Ação/Terror
Cotação: 30% - **

Comentários

  1. A coisa mais interessante que achei do filme foi os heróis não serem os americanos e sim, os russos, hehe. São eles que se levantam e gritam "vamos defender nosso país". O filme é mesmo bem mais ou menos.

    abraços

    ResponderExcluir
  2. Ninguém curtiu este filme... pior que no fundo eu tenho uma pequena esperança de que seja no mínimo decente. Como você mesmo falou, a premissa não é de todo o mal.

    ResponderExcluir
  3. Caramba, tu escreve mal pra cacete. Impressionante.

    ResponderExcluir
  4. O único ponto positivo neste filme são as locações em Moscou, já que elas rendem uma atmosfera muito bacana na primeira meia hora de filme. Mas você tem razão: o grande problema de "A Hora da Escuridão" é essa tentativa falha de humanizar seus personagens unidimensionais.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas