Semana do Terror - Videodrome, A Síndrome do Video

A tecnologia a cada passo que se dá, cria novas experiências para seus consumidores. Hoje vivemos a cada segundo o deslumbramento da tecnologia por causa da retomada extrema do 3D adequado ao sistema digital e videogames que baseiam nos movimentos sensitivos do jogador. Nos anos 80, David Cronenberg nos anos 80 entrega uma jóia rara do cinema no qual explora o horror com essa perspectiva tecnologia: Videodrome.

O que é o Videodrome? Para Max Renn, dono de uma pequena transmissora de tv é sem duvida o que ele mais anseia para sua emissora. Sabendo que é uma emissora pequena, ele atende os anseios das pessoas: a busca de sexo e extrema violência. Ao descobrir um programa diferente chamado videodrome no qual se parece mais a um snuff film, percebe que pouco a pouco ao receber ondas desse novo programa, perceberá que não só perderá o controle mental e sim algo bem pior.

Cronenberg cria uma fabula negativa sobre a questão dos avances tecnológicos atrelados ao consumo imediato do homem. Praticamente o personagem Max Renn que por um lado pode ser considerado vitima, também podemos dizer um culpado por que consegue representar de uma maneira feroz (aliado a uma soberba atuação de James Woods) por esse consumo excessivo, a destruição moral é mais concreta do que se imagina.

Cronenberg consegue prender o espectador facilmente com essa premissa que mesmo feito na década de 80, nunca deixou de ser tão atual quanto se imagina. Os efeitos em várias cenas, principalmente quando o personagem no alto do delírio guarda uma arma no estomago. Realmente, o trabalho de Rick Baker nesse momento explode a perfeição e mesmo com a tecnologia de hoje ser extremamente avançada, o trabalho que se vê nesse filme é praticamente eterno.

Videodrome representa em uma maneira cruel e voraz do descontrole humano sobre a tecnologia e do que ela começa a exercer sobre ele. Em palavras simples, é a transformação do homem em um videocassete, ou seja, o homem deixa de ser si mesmo e se torna uma maquina de reprodução alheia, sem vida e sem rumo. Sem duvida, um filme inesquecível, assim como a filmografia desse incrível diretor.

Ficha Técnica
Videodrome - A Síndrome do Video (Videodrome)
Diretor: David Cronenberg
Elenco: James Woods, Sonja Smiths, Peter Dvorsky, Les Carslon e Deborah Harry como Nikki Brand
Gênero: Terror/Ficção Cientifica
Cotação: 90% *****

Link da critica original: Aqui

Comentários

  1. Um dos bons trabalhos de Cronenberg nos anos oitenta, com uma boa pitada de crítica contra a tecnologia.

    Abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas