Pânico 4


Existem determinados revivais ou festivais de nostalgia que conseguem criar situações interessantes. Lembramos o exemplo de Indiana Jones E O Reino da Caveira de Cristal, era quase visível que o filme era feito para os fanáticos, mas que muitos não digeriram bem a trama e alguns se declararam envergonhados por ter gostado. Outro exemplo foi nos “épicos” que saíram na década passada no qual se passou e poucos são lembrados, com exceção merecida de Senhor dos Anéis.

Agora o que resta a lembrar de falar de Pânico 4? Realmente, se tornou coerente (isso mesmo, coerente) em fazer uma continuação de uma franquia que talvez deu um gás novo dentro do terror sendo que a cada fita que passava desgastava mais rápido do que tudo e ainda para completar Wes Craven dirige após uma fita desastrosa que foi A Sétima Vitima. Nostalgia que trás benefícios ou se cai ao ridículo?

Após 10 anos aos eventos do ultimo filme, a Sydney Prescott volta a cidade natal e encontra algumas mudanças. Uma é a mitologia que se criou por trás dos eventos do filme anterior junto com a celebração da cine serie “Punhalada”. Outra é que o casal Dewey e Gale vive momentos complicados na relação. Tudo muda quando novamente começa uma nova matança.

O terror teen dos anos 90 tem seus méritos já que a maioria dos cinéfilos que tem entre 25-30 anos cresceram vendo essas fitas como Pânico, Lenda Urbana e Eu Sei O Que Fizeram No Verão Passado mas ao mesmo tempo que saíram essas fitas, conseguiram se desgastar com suas fracas continuações e já em 2000 era um gênero que muitos tinham um que de vergonha de gostar e afirmar o que muitos fãs de franquia de terror sustentam: só prestou o primeiro.

Na década passada foi marcada pela redescoberta ao cinema oriental de terror e suas inconseqüentes releituras vazias americanas; A revitalização do gore na Europa; A exploração ao terror primeira pessoa; E por ultimo, um dos mais importantes e polêmicos a ser citado, o torture porn e suas vertentes. Sendo que esse ultimo, todavia carrega debates morais e éticos que por muitas vezes parece que não tem fim. E ainda na década passada, Wes Craven só conseguiu se sobressair dirigindo o suspense minimalista mas maestro em sua execução Vôo Noturno, filme que aumentou o veiculo para Rachel McAdams e Cillian Murphy e só. Dirigiu A Setima Vitima e além de ser um filme tremendamente ruim, existiu dentro desse mesmo filme uma necessidade de recriar de pouco a pouco essa energia que foi essa rama na década passada. Não funcionou. Fora isso, produziu o remake de um de seus filmes clássicos Quadrilha de Sádicos com um jovem cineasta promessa Alexandre Aja e veio ai, Viagem Maldita, um dos expoentes mais importantes da década passada. Então, o que se pode esperar em Pânico 4?

O roteiro de Kevin Williamson volta aos maravilhosos maniqueísmos desse gênero e pior, potencializado pelo seu fraco elenco. Existe também um destaque curioso que é a “critica” inicial que acontece sobre o torture porn e as falas das personagens em si entram em uma linearidade aos que são fanáticos do terror teen: a falta de qualidade nas fitas e o amor ao gráfico. Por um lado era possível comprar a idéia, porém ao decorrer do filme, o mesmo diretor busca na violência gráfica digna aos filmes do gênero e fora que o fato que o torture porn conseguiu com outras obras desdobrar esse estigma gráfico com temas políticos e debates psicológicos. Enquanto o terror teen e esse filme ficaram no mesmo: assassino mascarado que mata qualquer um e revela-se no final com argumentos que beiram o bom senso do publico.

                                           Momento Eu Quero Meu Dinheiro de Volta

Não quero comentar nada sobre o elenco por que é impossível não ficar com a cara de vergonha alheia com inúmeras cenas e talvez os únicos que trazem decência a trama inteira é com certeza o trio inicial formado por Neve Campbell, David Arquette e Courtney Cox. É até simbologicamente interessante ver que mesmo ao passar dos anos, a química entre o trio de protagonistas brilha durante a trama. Já o elenco do filme... é o famoso, vamos adivinhar quem vai pro saco ou não. Wes Craven sem duvida consegue ter a incrível capacidade de se auto-estragar em sua carreira entre filmes que beiram a genialidades e outros que ficamos a questionar o por que ele é dito como muitos o mestre do horror. Em Pânico 4 ele consegue momentos geniais de construção do terror no momento da granja ou até mesmo na belíssima cena homenagem a Preludio Para Matar do grande Dario Argento. Mas ai lembramos do prelúdio inicial ridículo, a longa duração que dificilmente toma uma engrenagem ágil e acima de tudo, desenvolvimentos de personagens que nem vale a pena focar 5 minutos faz que o filme caia no fundo do poço.

Pânico 4 talvez seja um dos grandes motivos que o terror teen esteja no ostracismo. É ridículo, se sustenta somente em homenagear referencias e não se tornar uma referencia. Talvez assim como a maioria das franquias de terror, funcionará para os fãs do gênero, mas não consegue alcançar outras ramas de publico. Pelo menos existe a vontade de entrar na tela e dizer, prefiro mais um torture porn que explora a demência do ser humano do que ver um assassino panaca que consegue ter motivos mais panacas que bebe da ingenuidade do espectador que já matou o filme inteiro em questão de minutos.

Ficha Técnica
Pânico 4 (Scream 4)
Diretor: Wes Craven
Elenco: Neve Campbell, Courtney Cox, David Arquette, Emma Roberts, Hayden Panettiere, Marley Shelton,  Adam Brody, Anthony Anderson, Rory Culkin, Kristen Bell, Anna Paquin e Roger Jackson
Gênero: Terror
Cotação: 20% - *

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas