Cedar Rapids

Quando pensamos em cinema independente norte americano, vem na cabeça um simples pensamento: Serve como veiculo importante para atores darem o melhor de si em grandes atuações em filmes intimistas. E é um desses casos ficamos surpresos quando vemos atores extremamente duvidosos poderem demonstrar de uma maneira sem igual talentos que o mainstream muitas vezes não percebem. Cedar Rapids de Miguel Arteta é mais um desses exemplos de jóia independente.

Tim Lippe, um segurador de uma cidade pequena e que tem uma vida extremamente confortável. Mas ganha uma mudança interessante quando ele tem que representar sua empresa de seguros a um evento em Cedar Rapids graças a um incidente do mais alto escalão do seu trabalho. Ao chegar a essa convenção se depara com situações que ele nunca tinha se deparado na sua cidade natal e que irá mudar sua ótica de vida.

O novo filme de Arteta que após um estudo sobre os questionamentos morais de uma juventude no espetacular Youth In Revolt, Cedar Rapids mais uma vez é uma obra independente que fala sobre questões interessantes e de cunho humano, que no caso do filme, a alegoria da queda do falso moralismo. O roteiro de Phil Johnston se torna uma critica a esse tipo de comportamento transformando o evento principal do filme, a convenção como se fosse um choque de realidade para o personagem principal, que se torna um choque brutal, mas ao mesmo tempo sincera.

A força do roteiro só ganha com as atuações de seu elenco afiado. Ed Helms faz de seu personagem uma retratação de certo ponto de nossas vidas, o momento que caímos na realidade e vemos as falácias de virtudes de morais tradicionais. Helms se torna chave e ao mesmo tempo o veiculo para entregar momentos maravilhosos de seu elenco, principalmente o trio Anne Heche, John C. Reilly e Sigourney Weaver que sua ultima aparição, chega ser o momento ápice de toda a fita.

Cedar Rapids se torna uma fita especial por tratar um personagem rico ao choque da realidade. Não pense em ver um estilo de direção diferente, já que em realidade, os filmes independentes são veículos perfeitos para ver atuações preciosas que nos enchem os olhos, no caso, de todo o elenco principal e principalmente Ed Helms que consegue ser muito mais do que se imagina. Quem faz rir e ao mesmo tempo emocionar com sua atuação, é digna de premio e respeito eterno.


Ficha Técnica
Cedar Rapids
Diretor: Miguel Areta
Elenco: Ed Helms, John C. Reilly, Anne Heche, Isiah Whitlock Jr., Stephen Root, Kurtwood Smith, Alia Shawkat, Thommas Lennon, Rob Corddry e Sigourney Weaver
Gênero: Comédia/Drama
Cotação: 90% *****

Comentários

  1. O Miguel Arteta é um nome conhecido do cinema independente norte-americano. Assistiria a este filme somente por causa dele, mas esse teu texto mostra que "Cedar Rapids" está imperdível! Parabéns pelo novo visual do blog!

    ResponderExcluir
  2. Desde já absurdamente ansioso para conferir essa fita. Adoro o cinema independente por isso que proporciona aos atores que de outor modo dificilmente teriam chance de mostrar seu valor.

    ResponderExcluir
  3. O cartaz passa a impressão de ser apenas uma comédia comum, ajudado pela presença de Ed Helms, porém seu texto mostra que o filme vai muito além disso.

    Fiquei curioso e vou procurar assistir.

    Abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas