Apollo 18 - A Missão Proibida

Apollo 18 – A Missão Proibida será considerada por muitos um filme doente pela falta de renovação e ainda entrar no filão da saturação extrema do gênero de primeira pessoa para o gênero do terror. Porém poucos vão lembrar-se da verdadeira existência do filme e tão pouco da verdadeira proposta do filme dirigido pelo talentoso Gonzalo Lopez Gallego.

O ponto base da história é sobre uma expedição lunar que não tomou conhecimento publico e que um site chamado Lunar Truth descobriu várias horas de gravações sobre o ultimo Apollo, o 18. Inicialmente, os astronautas aceitaram a missão secreta e ter como plano, o funcionamento de satélites de transmissão para captarem informações sobre a União Soviética no auge da Guerra Fria. Mas o que realmente acontece é o que muitos queriam ocultar, e agora, terão a oportunidade em saber o que sucedeu na lua. Muitos podem reclamar da questão do cinema em primeira pessoa, já que infelizmente aconteceu uma avalanche de produções do tipo e curiosamente quase todos fugiram de sua estética ou proposta de ser um documentário.

Não precisamos ir muito longe, é só lembrar-se de REC que já em sua primeira obra já era ruim, e quando chegou o segundo filme, conseguiu ser pior do que se imagina. Más lembranças. Mas ao mesmo tempo, um dos detalhes importantes desse filme é saber seguir a risca da linguagem documental. O diretor manteve em sua estrutura esse comportamento e diferente dos outros filmes do gênero, não quis manter-se nos sustos gratuitos e na obviedade gráfica. Assim como sua obra anterior, o interessante O Rei da Montanha, existiu uma predominância a validar a situação que estava acontecendo e a tensão do ambiente.

Outro ponto importante e talvez o que seja o mais valioso é o questionamento que se deixa ao final. Apollo 18 resgatou o fundamental de um “falso-documentário” que é a criação do incomodo ao real. Ou seja, a criação de perguntas pertinentes ao final da trama que leva a duvidar muitos sobre a questão da chegada ao homem à lua; do por que é tão comum ter documentos ocultos por parte dos americanos; e acima de tudo, quando o falso soa mais crível do que a mesma realidade.

Apollo 18 talvez não seja lembrado pelas suas qualidades técnicas. Já se viu filmes melhores nesse ano. Mas sem duvida respeita o que talvez seja fundamental para o gênero, no qual que seus questionamentos e a busca de separar do que é uma teoria de conspiração da realidade. A busca de cinema para levar susto e ter medo será o primordial, e sem duvida esse filme não dará isso. Mas os que esperam questionamentos... Terão um filme interessante.

Ficha Tecnica
Apollo 18 - A Missão Proibida (Apollo 18)
Diretor: Gonzalo López Gallego
Gênero: Documentário/Ficção Cientifica/Terror
Cotação: 70% ***


E, sim, confira mais textos meus e de grande companheiros na revista virtual Cinefilia.net! Para quem gosta de debates sobre cinema e de visões alternativas, esse é o blog! Confiram o link aqui e no blogroll! http://www.cinefilia.net/porfalaremcinema/

Comentários

  1. Eu não gostei desse filme. Acho que ele remete muito à "Atividade Paranormal", não só no formato documental, mas, especialmente, porque, em boa parte do filme, NADA acontece.... Fica aquele marasmo... O filme melhora levemente em seu ato final, mas já era tarde demais para me conquistar...

    ResponderExcluir
  2. Acho que essa estigma de Atividade foi o que levou muitos ao cinema ... porém entendo o que queres dizer Milla ... Mas te digo, poucos (e quando digo poucos) conseguiram respeitar esse formato, já que muitos usam e de repente desvirtuam de uma maneira muito triste. Até mesmo no respeito as transições de cada câmera me conquistou. Mas tudo bem Milla. Não escondo em dizer, viste o que talvez seja a única critica positiva do filme, ou o que pelo menos não buscou ver o óbvio do que muitos viram, a similitude entre Atividade Paranormal.

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu tentei acessar o site "Lunar Thuth", mas parece que após a divulgação desse filme tiraram do ar, o que aumenta um pouco o suspense. Teoria da conspiração me atrai, mas achei o filme bem morno e sendo sincero bem abaixo da expectativa. Mas vallew JP!

    ResponderExcluir
  4. É um filme diferente do que estámos acostumados a ver, no mínimo curioso e que desperta certos questionamentos aguçando a nossa imaginação. Talvez se não existissem tantos segredos guardados a sete chaves por outros países, embora seja uma obra de ficção, ficamos pensando se pode haver algum fundo de verdade oculta nessa história toda.

    ResponderExcluir
  5. Achei o primeiro [REC] excelente... e este filme de fato parece ser interessante! verei.

    ResponderExcluir
  6. Pois é, João, como eu disse lá no post, o que me incomodou nesse filme não foi a repetição da formula, mas a inverossimilhança e a má construção dos personagens. A gente não consegue entrar na história, não consegue se envolver, fica tudo muito fake quando deveria parecer real. Acho a premissa interessante, mas foi mau executada.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não assisti, mas depois de seu texto, minha curiosidade ficou super aguçada para ver como Apollo 18 trata esse sub-gênero do falso documentário.
    Abs.

    ResponderExcluir
  8. Gosto muito desses mockumentaries atuais, com poucas reclamações. Este não estava me chamando atenção, mas gostei de seu texto. Vou ver.

    ResponderExcluir
  9. oi - é mais um filme que deixa o espectador empolgado - ou seja após o filme tu sai buscando mais - gosto muito de ficção - agora se pode ser verdade ou não fica a critério do seu próprio conhecimento ou desconhecimento - rssss - valeu .

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas