Cruzadas e o lado negro de um cinema perfeito

Todos crêem que o cinema fora de Hollywood e da Terra Brasilis com selo Globo de qualidade é um cinema de qualidade, que faz todos os requisitos a um exigente publico, ou seja, perfeito. Enganam-se profundamente. Algumas distribuidoras fazem o que é o extremamente óbvio. Sempre fazem a distribuição de determinados filmes já que os mesmo foram em seus países de origem sucessos de critica ou de bilheteria. Afinal se viu algum filme estrangeiro no circuito brasileiro, anotem, se adéquam a esses dois paradigmas.

Após ver um determinado filme argentino, realmente coloca muitos espectadores a realidade e descobrir o que deveria ser comum entre todos, porém o orgulho contra o cinema nacional cairá por terra. Fui testemunha de um dos piores filmes desse cinema que tantos admiram, e talvez falar sobre ele consiga ser tão heróico quanto o seu nome ... A “comédia” Cruzadas.

O ponto de partida do filme começa com a morte de um magnata dono de um canal de TV que deixa a herança a duas filhas: a legítima é uma dondoca ambiciosa que quer fazer de tudo para ficar com a grana do velho. A filha bastada é uma empresária dona de um clube de cumbia eletrônica que tem uma filha ambiciosa para a fama. Enquanto filha legitima quer tudo do velho, a outra filha só quer saber de uma coisa: a morte do seu pai.

Torna-se complicado dizer algo sobre o filme, imagine a sensação de ter visto ela inteira? Um roteiro extremamente porco com diálogos que beiram ao que podemos dizer... Ao excremento. Fora as tentativas de ser engraçado utilizando jargões locais que ao final, beiram ao constrangimento. É uma defecação pura aos seus ouvidos. Outro problema grave está na própria história. É daquelas que começam, chega ao seu “apice” e acaba de uma maneira que é sentido o mais óbvio, o sentimento de perda de tempo.

Após esse choque epileticamente cultural, não podemos esquecer o primordial, a força do cinema argentino. Mas ao mesmo tempo isso serve como se fosse um tipo de pedrada na cabeça e perceber assim como o nosso cinema que temos os mesmos problemas, desde captação de recursos, utilização coerente de atores e acima de tudo, a diferença entre um filme de direcionado para a TV e um filme com uma linguagem puramente cinematográfica.

Cruzadas foi uma das piores experiências cinematográficas que já tive nesse país. Mas ao mesmo tempo, o filme no futuro possa seguir os passos de um clássico da tranqueira nacional, o Cinderela Bahiana, no qual, de tão ruim, de tão ridículo consegue transformar sua mediocridade em uma experiência surreal sem igual como todos os filmes medíocres do mundo. Mas ainda está muito cedo em transformar isso tudo em uma experiência surreal.

Trailer


Ficha Técnica
Cruzadas (Cruzadas)
Diretor: Diego Rafecas
Elenco: Moria Casan, Nacha Guevara, Enrique Pinti e entre outros.
Gênero: Comédia/Drama/Trash
Cotação: 0% - FFUUUUU!

Comentários

  1. Nossa, pela primeira vez, por aqui, vejo você detonando por completo um filme argentino!

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus! Tá certo, tem que esculachar mesmo! Lixo é lixo! Não conhecia, mas já passarei longe.

    ResponderExcluir
  3. Tens toda a razão, Johnny, as pessoas adoram idolatrar o que não é da "indústria", como se tudo fosse obra-prima. Esse coisa aí que vc analisa, eu realmente não conheço e acho que foi ficar na ignorância, hehe.

    ResponderExcluir
  4. Ola! Fiquei interessada nesse filme e depois da sua critica eu quro assistir. Mas nao estou encontrando em sao paulo. Como faço?
    Abraço. Fernanda

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas