Santuário

Quando vemos em um longa que é produzido por um grande figurão de Hollywood, imediatamente vemos não por causa do seu filme, do que o projeto pode proporcionar ao espectador. Vemos por causa do seu produtor. Santuário, filme recém chegado aos cinemas brasileiros no sistema 3D que tem a produção executiva do todo poderoso James Cameron. Como todos sabem, muitos vão com a esperança de ver alguma marca do diretor nesse filme, mas mesmo se Cameron não fosse produtor ou não, o filme vale a pena ser visto?

Acredita-se que não vale contar muito sobre a história do filme já que ela obedece a risca os filmes nos quais o elemento natural é um dos vilões da trama atrelados ao instinto natural do homem em busca da sobrevivência. Um dos poucos diferenciais do filme se torna sem duvida a questão do roteirista do filme Andrew Wright ter passado pelas situações do filme.

A questão do roteiro é extremamente problemática. Quando se confia tanto em uma fatalidade natural, o que menos se preocupa é em seu roteiro. Ou seja, somos testemunhas de um bombardeio de clichês que envolvem relações familiares, personagem que se torna vilão pelas conseqüências, diálogos extremamente precários e outros elementos que talvez se tornam algo menos já que confia em um fator bem simples: a tensão exercida pela situação.

Talvez o que faz a diferença é a parte técnica. Com cenas bem filmadas e principalmente nas cenas subaquáticas nos qual o teor de tensão vai a níveis extremos com tanta riqueza. Do elenco, talvez o único que se sobressai trazendo dignidade a trama é Richard Roxburgh que faz a diferença fazendo o explorador Frank. Os melhores momentos da fita vêm da parte dele já que o resto é o famoso caso dos filmes do gênero... Ficamos a sortear quem vai morrer durante a fita.

Santuário se beneficia por ter em destaque belíssimas cenas aquáticas e uma dose de tensão que atrelados ao 3D, se torna uma boa experiência. Entretanto, se não fosse o 3D, seria apenas um filme qualquer do gênero. Muitos que foram a ver por James Cameron, irão sem duvida sentir uma ponta de decepção. Mas se forem para assistir um filme sobre sobrevivência e seus caminhos traiçoeiros, sentirão apenas um (tenso) passatempo.

Ficha Técnica
Santuário (Sanctum)
Diretor: Alister Greirson
Elenco: Richard Roxburgh, Rhys Wakefield, Alice Parkinson, Dan Wyllie e Ioan Gruffudd
Gênero: Suspense/Drama
Cotação: 60% - ***

Comentários

  1. Assistindo ao filme em 3D, fiquei com a sensação de que o formato 2D seria melhor para causar o efeito claustrofóbico que a trama pedia. Mas, de qualquer maneira, "Santuário" é um sólido filme.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei interessado pela possibilidade do filme apresentar um 3D diferente. Me imaginei imerso ali junto com os personagens. Mas sei que deve ser mais do mesmo. James Cameron ajuda, mas talvez só convença os mais desavisados. Bom, de qualquer forma, não verei mais em 3D, só mesmo em casa. Quando o filme provavelmente perderá a força. hehe

    Abs!

    ResponderExcluir
  3. Eu percebi algumas influências de AVATAR no filme, não sei o quanto o Cameron produtor se fez presente nesse sentido: alguns movimentos de câmera e mesmo a trilha sonora, lindíssima, me remeteram à AVATAR. Como você bem comentou, o roteiro se perde em dramas familiares, o que lhe tira muito, mas quando consegue se desvencilhar disso, há momentos excelentes, em que se consegue boa tensão e envolvimento. É muito bem filmado e a montagem não é aquela histeria, o que é um alívio. Mas isso não é suficiente para se fazer um bom filme. Achei fraco, mas com potencial. Dei 4/10.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas