29 de janeiro de 2010

O Fantástico Sr. Raposo

Mais uma vez esse gênero consolidou o ano de 2009 de uma maneira tão inquestionável que até os mais xiitas tem que concordar que foi um ano de gênio. As animações deram o tom e o rumo da vez no cinema atual. Praticamente em uma lista de melhores do ano de cada cinéfilo aparece uma ou duas... Ou talvez 3 animações. A animação comentada a seguir com certeza entrou no topo de alguns e talvez um dos favoritos ao Oscar de Melhor Animação que é O Fantástico Senhor Raposo de Wes Anderson.

Baseado no conto de Roald Dahl, o mesmo escritor de A Fantastica Fabrica de Chocolate e roteirista de Com 007 Se Vive Duas Vezes e também é o primeiro livro que o diretor Wes Anderson ganhou quando era criança conta a história do Sr. Raposo (George Clooney, Amor Sem Escalas) que depois de escapar de uma armadilha junto com a sua esposa (Meryl Streep) promete a ela que nunca mais iria roubar algo. Depois de alguns anos e com um filho adolescente Ash (Jason Schwartzman) ele toma uma vida comum como jornalista. Sendo que cansado do cotidiano ele começa a voltar a roubar junto com Kylie (Wally Wolodarsky) os seus novos vizinhos, um trio de humanos malvados, porém eles percebem que o Sr. Raposo está furtando seus suplementos, eles começam a caçar implacavelmente esse ser fantástico.

Até agora não consigo definir que tipo de animação é essa já que ele mistura técnicas de Stop Motion com 2D e conta com um elenco de dubladores como George Clooney, Meryl Streep, Micheal Gambon e alguns colaboradores fieis do diretor Wes Anderson como Jason Schwartzman, Owen Wilson, Bill Murray e Willen Dafoe. Adaptado pelo próprio diretor o filme foca muito algo que ele conhece muito bem e os fãs dele também que é ver a unidade da família mas sempre de um modo diferente e inusitado e o legal é que o próprio conto ajuda de uma maneira natural e belíssima atrelado ao humor divertido e leve assim ajudando o encanto do filme chegar muito rápido ao espectador.

O elenco também é algo sem palavras. Parece que não conseguimos ver uma outra pessoa dando tom e alma para o Sr. Raposo como faz George Clooney. Divertido ao extremo, ele é um tipo de personagem que desde primeiro momento conquista o publico. Outro que também garante risadas é o Wally Wolodarsky que dá voz para o divertido Kylie, o comparsa do Sr. Raposo. Meryl Streep mesmo aparecendo pouco, dá aquele tom emotivo ao filme assim equilibrando e dando aquele toque especial.

O Fantástico Sr. Raposo é aquele tipo de filme que cria momentos divertidos sem cair no escracho. É um estudo bem humorado e bem sincero sobre a família principalmente ser diferente e único. E claro, finalizou o ano de 2009 como chave de ouro. Fãs da animação, fiquem feliz por que com certeza será um ano que será lembrado por muito tempo por não só apenas ter um ou dois, mas várias animações que conseguiram emocionar, vibrar e como nesse filme, morrer de rir com personagens unicamente feitos para gargalhar a todos nós, amantes da sétima arte.

Ficha Tecnica
O Fantástico Sr. Raposo (The Fantastic Mr. Fox)
Diretor: Wes Anderson
Com as vozes de: George Clooney, Meryl Streep, Jason Schartwzman, Eric Anderson, Wally Wolodarsky, Micheal Gambon, Willen Dafoe, Bill Murray e Owen Wilson.
Gênero: Comédia/Animação
Cotação - 85%

25 de janeiro de 2010

Onde Vivem Os Monstros

Adaptar o impossível. Frase que está sendo cada vez mais comum nos dias de hoje, por incrível que pareça. Está cada vez mais comum perceber novos projetos que de inicio pareciam impossíveis de se tornar concretos e plausíveis. No ano passado fomos agraciados (ou pelo menos uma parcela interessante) com a adaptação da novela gráfica Watchmen. E agora, no inicio do ano, voltamos a ver esse desafio porém com algumas coisas que não ficou tão impactante ou especial para quem viu. O filme Onde Vivem Os Monstros de Spike Jonze.

O filme relata a vida de Max (Max Records), um garoto tem uma grande imaginação para compensar a ausência de alguns elementos em sua vida e um dia, após de morder a mãe (Catherine Keener, Genova), ele foge correndo de sua casa e vai parar em um mundo desconhecido e já começa a se interagir com os monstros que vivem por lá e se auto-proclama rei.

O livro que baseou o filme é um dos mais celebrados na cultura americana já que é todo ilustrado e só tem apenas 10 frases o livro inteiro. Mas o trabalho de Maurice Sendak deve ser respeitado por conseguir em uma estrutura simples ser uma referencia para a infância como um projeto que valoriza o papel da mãe atrelado com o contato com o desconhecido.

Mas ai vem um dos problemas mais evidentes do filme. O roteiro de Jonze junto com Dave Eggers transforma um livro inocente em um estudo profundo da problemática da juventude já que transforma de uma maneira extrema o personagem principal como um rapaz conseqüente da ausência da unidade da família e transforma o mundo selvagem como uma versão extrema e conseqüente dos desejos dele, assim como Coraline essa linguagem além de afastar o publico base, consegue ser mais falho para o publico adulto já que ele tem raros momentos que consegue envolver o espectador, mesmo com o esforço do protagonista Max Records que segura o filme de uma maneira belíssima apesar do próprio andar da história ser complicada.

Outro fato triste é a direção de Jonze. Mesmo criando alguns planos belíssimos como a cidade de miniatura (que por sinal é a melhor cena do filme) o resto se torna um exercício de paciência e boa vontade. E quando parece que o filme vai passar de marcha, volta ao ponto morto, uma lastima mesmo. Acredito que um verdadeiro ponto positivo do filme, além da atuação do garoto, é a trilha sonora de Karen O. junto com o compositor Carter Burwell e detalhe, a trilha da Karen conseguiu ser melhor do que o ultimo disco da banda dela, o Yeah Yeah Yeahs na qual sou admirador mas reconheço que o ultimo disco é difícil de digerir.

Onde Vivem Os Monstros é mais um daqueles filmes onde a idéia principal se perde não só apenas pelo roteiro, mas sim pelo um conjunto que ao invés de entregar um espetáculo sobre a infância, presenteia ao espectador um projeto cansativo, sem carisma e principalmente sem emoção. Acredito que o filme poderia ter sido um passaporte para a fantasia mas se tornou uma estrada sobre o quanto sofre a juventude atual. Poderia ter sido bem melhor.

Ficha Tecnica
Onde Vivem Os Monstros (Where The Wild Things Are)
Diretor: Spike Jonze
Elenco: Max Records, Catherine Keener e Mark Ruffalo. E com vozes de: James Gandolfini, Paul Dano, Forest Whitaker, Catherine O'Hara, Chris Cooper e Lauren Ambrose
Gênero: Drama/Fantasia
Cotação: 50%



Também aproveitando o post para agradecer a todos que escreveram suas opiniões sobre a lista de 2009. Aqui vem um muito obrigado sincero e que esse ano seja muito mais do que nós imaginamos.

13 de janeiro de 2010

2009 - Os melhores e os piores

Melhores Filmes
- Up – Altas Aventuras
- Bastardos Inglóriosos
- Avatar
- Distrito 9
- O Lutador
- Valsa com Bashir
- Star Trek
- Simplesmente Feliz
- Mary e Max.
- Se Beber, Não Case

Atores e Atrizes
- Meryl Streep (Julie e Julia, Dúvida)
- Mickey Rourke (O Lutador)
- Sean Penn (Milk)
- Sally Hawkins (Simplesmente Feliz)
- Anne Hathaway (O Casamento da Rachel)
- Ricardo Darin (O Segredo dos Seus Olhos)
- Michelle Williams (Wendy e Lucy)
- Johnny Depp (Inimigos Públicos)
- Cate Blanchett (O Curioso Caso de Benjamin Button)
- Sharlto Copley (Distrito 9)







Diretores:
- Quentin Tarantino (I.B.)
- James Cameron (Avatar)
- Niell Blomkamp (Distrito 9)
- J.J. Abrams (Star Trek)
- Juan José Campanella (O Segredo dos Seus Olhos)





Melhores Filmes Desconhecidos
- Mary e Max
- O Segredo dos Seus Olhos
- Adventureland
- Fear(s) of The Dark
- Wendy e Lucy

Animação
- Up – Altas Aventuras
- Valsa com Bashir
- Mary e Max
- Tá Chovendo Hamburger
- Ponyo






Piores Filmes
- [REC]²
- Dragonball Evolution
- Colegiais em Apuros
- Arrasta-me Para o Inferno
- 2012
- A Verdade Nua e Crua
- Terror na Antártida
- Austrália
- A Montanha Enfeitiçada
- Transformers 2 – A Vingança dos Derrotados

Melhores Cenas de 2009
- Intro (Watchmen)
- A vida de casado de Carl e Ellie (UP)
- A ultima sessão de cinema (Inimigos Públicos)
- O embate entre a Irmã Aloyisus e o Padre Flynn (Dúvida)
- Usando o avatar pela primeira vez (Avatar)
- As fotos (The Hangover)
- “Você é a minha melhor amiga” (Mary e Max)
- A transformação (Ponyo)
- A aula de flamenco (Simplesmente Feliz)
- O final apoteótico (Bastardos Inglóriosos)

Piores Cenas de 2009
- O filme inteiro ([REC]²)
- “Kamehameha” (Dragonball Evolution)
- A calcinha vibradora (A Verdade Nua e Crua)
- A dança (Gamer)
- A bigorna (Arrasta-me Para o Inferno)
- O deception traveco (?) (Transformers 2)
- Qualquer momento que envolva os gêmeos (Transformers 2)
- A seqüência final nas minas (Velozes e Furiosos 4)
- A fuga de Los Angeles em ruínas (2012)
- O cachorrinho (2012)

Decepções do Ano
- Coraline e O Mundo Secreto
- Quem Quer Ser Um Milionário?
- Monstros VS Alienígenas
- Aconteceu em Woodstock
- Arrasta-Me Para o Inferno

Surpresas do Ano
- Distrito 9
- Star Trek
- Se Beber, Não Case
- Operação Valquíria
- O Exterminador do Futuro 4 – A Salvação

Fatos Importantes de 2009
- A bilheteria monstruosa de Avatar
- O ressurgimento das “cinzas” de Sandra Bullock
- Se Beber, Não Case, a comédia mais bem sucedida do ano
- O domínio de A Era do Gelo 3 no Brasil
- A Saga Crepúsculo, o hype do ano



Até mais e desculpe a demora por lançar o top 2009 ... Ótimo 2010 leitores!

7 de janeiro de 2010

Avatar de James Cameron


ATENÇÃO - O texto contem Spoilers

2009 foi um ano para qualquer fã de ficção cientifica comemorar. Parece que muitos filmes desse ano vão ou provavelmente irão entrar nas listas futuras de filmes importantes que fizeram a cabeça de muitos cinéfilos, principalmente aqueles que se sentiram órfãos de um projeto que relembrasse o que é o gênero e a importância dele. E para finalizar esse ano, vem um dos filmes mais importantes e por que não, um dos mais esperados de muitos anos. O retorno de James Cameron na telona com o poderoso Avatar.

Muitos ficaram questionando o que seria Avatar? O que iria acontecer realmente nesse filme. Parece piada, mas evitei qualquer tipo de propaganda ou noticia realizada sobre o filme por um motivo muito simples: o resgate a surpresa. Um projeto dessa magnitude não foi feito para nós descobrir, mas sim de ser introduzido ao novo mundo e desta vez, entramos literalmente.

Conferi comentários do filme falando sobre o que pode se dizer, do modo raso que foi a história do filme ou de como ele foi contado. Em realidade o filme é um upgrade sobre a vinda do homem em terras novas com intuitos duvidosos, a diferença em outros filmes de ficção como Distrito 9, é que em Avatar é mais direto e palpável para nós, já que lembra muito o estilo de colonização brasileira onde praticamente o país era fonte de riqueza e tinha uma matéria prima que vale muito lá fora.

Também é interessante nessa mesma temática de Avatar a construção de choques de culturas, no qual mesmo a muitos anos em nossa frente, parece que a mentalidade do homem não cresce, mas sim se limita. O interessante da ficção cientifica se reside por ai, a criação de uma história fantástica para debater ou colocar em “pratica” o desconhecido para o homem, a fantasia para deflagrar o medo, porém ao mesmo tempo a ansiedade do conhecimento. Mesmo com tópicos extremamente conhecidos pelo cinéfilo e amante do gênero, Uma analise profunda, ou até mesmo um debate amplo conseguem deflagrar o vasto mundo de Avatar.

Outro ponto interessante e vale a pena ser comentado é que a partir que entramos no mundo de Pandora aos olhos de Jake Sully (Sam Worthington, esse cara tem futuro) vemos uma flora complexa e completa, coisa que é de se assustar já que parece que cada organismo desse planeta tem uma função especifica. Acredito que o tempo de criação do filme foi mais para criar realmente um outro mundo e convidar o publico novo para um novo mundo. Nessa parte encontramos o melhor filme técnico do ano, já que muitas cenas e os efeitos são de encher os olhos e trazer o que muitos acham perdido que é a mágica dos efeitos especiais.

Outro ponto belíssimo a ressaltar é a imponente trilha de James Horner que ressalta em sua trilha o significado de uma trilha épica. Em todos os momentos, ela interage com a cena e com o publico, principalmente nas seqüências mais emocionantes do filme. Concorrente forte a ganhar o Oscar de Melhor Trilha e rival forte de Micheal Giacchino com a belíssima trilha de UP.

James Cameron sabe muito bem criar o significado da megalomania, porém diferente de muitos que tentam ser megalomaníacos e entram no fracasso, Cameron faz a diferença criando algo que é ao mesmo tempo soberbo e simples e acessível. Não existe uma parte que podemos dizer que é chata ou parada, já que ele é como muitos que constroem passo a passo o que vai ser e quando pensamos que já estamos bem, ele consegue fazer algo surpreendentemente incrível que deixamos de ser críticos e passamos a ser parte viva desse mundo incrível e que a cada momento que chega ao final do filme, ficamos tristes por saber que iremos sair dele.

Avatar com certeza figura entre o seleto grupo dos melhores do ano, mas não só na minha lista, mas de muitos que voltaram a perceber que o cinema também tem um elemento que poucos sabem manusear que é de ser arrojado e não ter medo do que será a partir do ponto onde o espectador vê a primeira cena até o belíssimo corte final. Com certeza, 2009 vai ser inesquecível para muitos cinéfilos e pode passar mais uma década e iremos olhar para trás e dizer, em uma década de altos e baixos, 2009 conseguiu fazer os nossos corações baterem mais fortes com o frescor que é a sétima arte.

Ficha Tecnica
Avatar (James Cameron's Avatar)
Diretor: James Cameron
Elenco: Sam Worthington, Stephen Lang, Zöe Saldanha, Michelle Rodriguez, Joel David Moore, Giovanni Ribisi, Wes Studi, CCH Pounder e Sigourney Weaver como Grace
Gênero: Ficção Cientifica/Drama/Ação/Fantasia
Cotação: 100%