Pagafantas

Pagafantas. Nome bizarro não? Pois bem, esse filme espanhol com um nome esdruxulamente estranho pode ser considerado uma boa surpresa na área da comédia romântica com uma proposta meio que estranha. Em ser uma comédia romântica sem ter romance. A história já pode ter passado com qualquer um. Inclusive com você leitor.

Chema (Gorka Otxoa) recém se separou da namorada e voltou ao ataque. E por muitas vezes em baladas para levar fora. Após uma noite, ele encontra a extrovertida Claudia (Sabrina Garciarena, Felicitas), uma argentina recém chegada a Espanha. Após algumas saídas e bebidas, mesmo sabendo que não agüenta beber, Chema começa a acreditar que eles dois estão juntos, porém ela o vê com outros olhos.

O filme teve uma ótima recepção na Espanha e foi indicado a vários prêmios importantes ao cinema espanhol como o Goya no qual foram indicados o ator Gorka Otxoa e o diretor Borja Cobeaga no qual foi indicado a Melhor Curta com Éramos Poucos. E também como o Cinema Writes Circle Awards indicados a Premio Revelação e Roteiro Original e ganhou de Melhor Atriz Coadjuvante para Kiti Manver. E saiu vencedor nos festivais de Málaga e de Comédia de Monte Carlo. Porém será que o filme teria a mesma capacidade de chegar ao espectador longe das terras espanholas?

O roteiro do filme escrito pelo próprio diretor em parceria com Diego San José aborda de uma maneira extremamente humorada e divertida a questão de algo comum no universo masculino que é a transformação de uma tentativa de namoro em amizade. Pode até ser um tema até que triste para alguns, mas o interessante é que essa abordagem junto com algumas expressões divertidas e engraçadas de Zaragoza (aonde se passa a trama do filme).

Gorka Otxoa brilha fazendo um jovem pagafantas da trama. Ele sabe ser hilário e dramático quando a trama pede esse recurso. É visível na criação do personagem, a tentativa do mesmo se aproximar com o fundamental, o próprio espectador e consegue sem nenhum problema esse objetivo. Quem rouba a cena mesmo é a atriz Sabrina Garciarena. Sua personagem é daquelas que nos apaixonamos logo de cara, assim como a Summer, criada por Zooey Deschanel em 500 Dias com Ela. Porém a diferença é Claudia conserva uma alegria encantadora que chegamos ao ponto de está tão confundido quanto o personagem de Chema.

A direção de Borja Cobaega cumpre o fundamental da comédia em saber mesclar o físico com a inteligência assim criando um filme super dinâmico que aliado a sua curta duração (80 minutos, incluído os créditos finais) deixando assim, no final de tudo na cena mais hilária do filme, a sensação de dever cumprido. E também tendo em seus créditos finais algumas surpresas.

Pagafantas soa como uma grande surpresa na área da comédia. Ágil, divertido e acima de tudo, satisfatório. Muitos podem ver como um primo modesto de 500 Dias com Ela, mas como o filme saiu bem antes do romance cult, não se pode dizer uma cópia. E sim uma versão bem humorada e ingênua de um momento constrangedor. Recomendo para rir e refletir.





Ficha Técnica
Pagafantas
Diretor: Borja Cobaega
Elenco: Gorka Oxtoa, Sabrina Garciarena, Julian Lopez, Kiti Manver e Óscar Ladiore
Gênero: Comédia
Cotação: 80% - ****

Comentários

  1. Em qualquer outro caso nem me aproximaria do filme (baseando-se em nome e capa), mas parece que vale a pena.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas