Ninja Assassino


Acredito que a maioria de quem acompanha esse blog sabe da minha tendência a filmes violentos. Não nego que quanto mais violento for, melhor porém com algo que faça esse espectador prender como uma história um pouco decente ou debates interessantes sobre de como conduzir isso para o espectador ficar hipnotizado com tudo que se vê. Porém vendo Ninja Assassino, nova produção da Dark Castle, fica o questionamento no ar, é necessário ser quase ultraviolento para conquistar o espectador?

A história do filme, ou pelo menos é o que se parece, é sobre uma bibliotecária da Interpol que por descobrir que clãs de ninjas sempre estiveram por trás de assassinatos políticos se torna alvo desse clã, porém um jovem e misterioso ninja renegado vai proteger ela contra esse clã implacável. Se vocês acham que essa história está bem elaborada, pois bem, coloquei alguma dificuldade por que o filme não tem história já que o roteiro escrito por J. Micheal Straczynski (sim, o mesmo de A Troca de Clint Eastwood) é cheio de falhas, trás uma história incrivelmente porca e não explica praticamente nada deixando assim o espectador perdido no mar de sangue artificial.

De conhecido mesmo só está à atriz Naomi Harris que em muitos momentos é evidente a cara de desconforto em fazer uma personagem que não consegue ter profundidade dramática em nenhum momento. Acredita-se que o filme era um veiculo perfeito para alavancar a carreira do cantor coreano Rain que já participou no romanticamente bizarro I’m a Cyborg de Chanwook Park e Speed Racer dos Irmãos Wachowski (que também produzem esse filme). E nesse filme ele tem o fundamental, carisma, mas não convence no principal, que é em ser um herói de ação, já que o seu rosto em nenhum momento demonstra ter perfil de um matador incrível.

Agora, e a violência? Bem, tem aos montes, e logo de cara uma decapitação ultra violenta quase tão característica aos filmes de Takashi Miike porém tudo soa tão artificial que depois todo aquele furor de que está vendo um filme digno de ninja onde a pancadaria rola solta, se torna um festival de cenas artificiais que mesmo com um bom trabalho de James McTiegue, o mesmo de V de Vingança e que remendou Invasores, alguns momentos o sangue artificial e os efeitos especiais desentoam o filme.

Ninja Assassino soa como um filme que funciona para quem não quer pensar muito e quer ver pancadaria rolando solta, mesmo sabendo que o roteiro é praticamente inexistente e cheio de diálogos vergonhosos. Ficaria até feliz pelo filme ser violento já que filme de ninja sem sangue e mutilação é incoerente demais, mas por tudo soar tão falso, não fica uma bela impressão e se vê mais uma vez um desperdício de fazer um filme que mescle violência com algo que valesse a pena a ser contado. Porém, tem gente que gosta né?

Ficha Tecnica
Ninja Assassino (Ninja Assassin)
Direção: James McTiegue
Gênero: Ação
Cotação : 40%

Comentários

  1. Fico com pé atrás em relação a esse filme, ainda mais depois de alguns comentários negativos.

    ResponderExcluir
  2. Esse filme está na lista daqueles que não vejo nem de graça - e que me perdoem aqueles que tem coragem para fazer isso.

    ResponderExcluir
  3. Tenho uma técnica infalível quando assisto certos filmes só pela pancadaria (e da boa rsr): simplesmente esqueço que existe Quentin que consegue transformar violência em arte e me entreto apenas com as mortes. E concordo que o filme é defecável!

    ResponderExcluir
  4. Não tenho curiosidade para ver este filme... rsrs.

    Beijos! ;)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas