30 de setembro de 2009

Uma pequena pausa

Não é por motivos gravissimos que irei parar. É bem simples, sábado tem uma prova urgente de uma matéria extremamente complicada. Então uma pequena pausa e retornarei com um especial de 3 posts sobre o filme argentino importantissimo que se chama Las Viudas de Los Jueves (As Viúvas da Quinta-Feira, em sua tradução literal). Os três posts serão bem simples. O primeiro é uma introdução do mundo do filme que é baseado no livro honônimo do mesmo nome escrita por Claudia Piñero. O segundo post é o relato de um evento do filme aqui em Buenos Aires com direito a fotos de Ana Celentano (atriz principal do filme), Claudia Piñeiro (escritora do livro) e o diretor do filme Marcelo Piñeyro. E o terceiro e ultimo post será a critica exclusiva do filme aqui no blog.

Por enquanto fiquem com o trailer do filme





Até semana que vem.

20 de setembro de 2009

Julie & Julia

Muitos acreditam que não existe formulas para fazer um ótimo filme. Muitos dizem que só a capacidade de ter uma camera na mão e uma ideia na cabeça e pronto. Pois bem. Alguns conseguem sucesso com essa concepção genial e simplista. Sendo que muitos são didaticos, propoem a concepção que a construção de um ótimo filme se baseia em uma receita de cozinha, no qual os ingredientes certos nos momentos exatos da preparação e chegar ao seu final com um proposito, que é deliciar a mente do espectador por ter visto um material tão bem preparado.

Com essa mescla de cinema e cozinha, chega nos cinemas Julie & Julia, novo filme da diretora especialista em comédias romanticas Nora Ephron no seu elenco, duas atrizes que dispensam comentários de quem já conhecem que são Meryl Streep e Amy Adams que repetem a dose de trabalhar no mesmo filme após o denso e espetacular Dúvida, no qual as duas foram indicadas ao Oscar. Também completam o elenco Stanley Tucci, Chris Messina, Mary Lynn Rajskub e Jane Lynch.

A história incialmente é confusa, mas depois e revela o seu poder. O filme se inicia contando a vida de Julia Child (Meryl Streep) que acompanha seu marido Paul (Stanley Tucci) em Paris e para levantar o animo contra o tédio começa a frequentar aulas de cozinha. E com essa felicidade de aprender vai tentar fazer uma incrivel façanha que é demostrar receitas de delicias francesas para o publico americano. Enquanto isso, Julie Powell (Amy Adams) vive numa total frustração. Um emprego extremamente burocratico, mora encima de uma pizzaria e todas suas amigas são bem sucedidas e ela não. O seu marido Eric (Chris Messina) dá uma ideia de fazer um blog sobre cozinha e ela coloca uma meta de que em 1 ano, ela irá cozinhar todas as 524 receitas do livro de cozinha de Julia Child.



O filme tras consigo uma receita interessante. Vamos ver ...

1 – Duas atrizes maravilhosas
2 – Uma história fantastica e incrivelmente real
3 – Pitadas interessantes de comédia, drama e claro, romance.
4 – Uma trilha belissima que envolva o espectador ao filme


Modo de Preparo.

Nora Ephron, rainha das comédias romanticas mas que armagava dois fracassos de bilheteria e publico consegue conduzir com a plena maestria do genero sabendo muito bem utilizar essas belissimas atrizes que mesmo não contracenando juntas, são um espetaculo a parte. Streep parece que a cada dia, fazendo o papel mais simples, consegue elogios, até em Mamma Mia, aquele filme extremamente pavoroso. Streep encarna com uma docura como um chocolate a Julia Child, onde em todo momento demonstra bom humor e sensibilidade já que todas as suas cenas com Tucci são como um gostoso bolo, aqueles que conseguimos saborear a cada momento.

Já a parte de Amy Adams consegue ter aquele jeitinho meigo que conquista a todos desde Encantada, além de ser uma ótima atriz claro, e o que se viu é um esplendor de carisma e beleza, mas a má construção do seu parceiro de cena por causa do seu roteiro provavelmente. Porém quando se pensava que iria ficar pior, a situação melhora e voltar ter aquela sintonia que tem Streep em sua parte.

Erphon ainda tem aquele estilo extremamente acucarado, que para alguns não pode cair muito bem e perceber que por muitas vezes esse excesso de glicose poderia jogar tudo por água abaixo, mas não. Sacarose contida e uma direção padrão, limpa e sincera. E o que muitos falam e que é verdade, que trilha sonora belissima. Alexander Desplat em um ano que pode ser considerado chave de ouro, entrega uma trilha sonora que se mescla com a doçura das personagens junto com as comidas e suas histórias.

Assim como um bom vinho, como um bom bolo de chocolate com recheio de doce de leite, é assim Julie & Julia. Uma comédia romantica dramatica real que tem os ingredientes ideais, mas não perfeitos já que em muitos momentos coloca tanta glicose que incomoda. Porém ao final de tudo aprende-se que por muitas vezes o que queremos é algo doce para saborear as nossas vidas e principalmente quando estamos vivendo momentos dificeis, uma pitada de amor e um gostoso doce de leite cremoso ajuda a levantar qualquer animo.



Ficha Tecnica
Julie & Julia (Julie & Julia)
Diretora: Nora Erphon
Elenco: Meryl Streep, Amy Adams, Stanley Tucci, Chris Messina, Mary Lynn Rasjukb e Jane Lynch
Gênero: Comédia/Drama/Romance
Cotação: 80% - Indispensável

14 de setembro de 2009

Primavera
Tempo das flores mostrarem o seu poder
Inicia-se a vida
Inicia-se o sentimento
Inicia-se o desejo de compreender o mundo

Verão
O sol brilha como nunca brilhou
Os nossos sonhos estão sem nuvens
Os nossos anseios começa a explodir nossas veias
E o beijo apaixonado continua sendo doce ...

Outono
As folhas secam
As árvores deixam a beleza para serem espinhosas
Cada vez mais temos medo de se ferir
Mas é inevitavel não sentir o temor do vento

Inverno
A natureza congela
O frio corta
O frio nos deixa só
O frio nos faz perder a nos mesmos

E a única coisa é voltar aquela posição que todos nós nascemos
Queremos voltar a ser crianças que ansiam carinho materno
Queremos o colo do nosso amor
Queremos ouvir um “te amo”
E principalmente, queremos viver uma nova primavera.


Ficha Tecnica
Requiem Para Um Sonho (Requiem For a Dream)
Diretor: Darren Aronofsky
Elenco: Ellen Burstyn, Jared Leto, Marlon Wayans e Jennifer Connely
Gênero: Drama
Cotação: 100% - Filme Obrigatório

8 de setembro de 2009

Up e Bastardos Sem Glória

Isso deveria ser o questionamento de todo o santo dia para todos nós, cinefilos, ou mais simples, apaixonados invertebrados pela setima arte: Por que o cinema é necessario em nossas vidas? Mas também nós sabemos que essa pergunta é tão dificil quanto do por que da origem da vida e de muitos acharem Um Amor Para Recordar a ultima bolacha do pacote. No ano passado tivemos um privilégio de ver uma trilogia curiosa que resgata em todos nós o por que do fascinio do cinema (The Fall; Rebobine Por Favor e Son of Rambow). Esse ano está aparecendo filmes que retomam a ideia do por que o cinema é maravilhoso, mas diferentes dessa trilogia curiosa, esse dois fazem outro papel fundamental.

Up – Altas Aventuras é a mais nova produção da Disney/Pixar que consegue chegar com um (extremo) atraso no Brasil (já que em muitos paises já estreou a tempos, como aqui na Argentina) e chega com um adicional que é de incrivel elogio que é a participação de Chico Anysio na dublagem nacional. O filme conta uma história de um senhor de 78 anos que consegue realizar um sonho de infancia que é ir a um lugar paradisiaco com a sua casa cheia de balões. O problemas começam quando um guri cheio de vida (parece o filho da Poppy de Simplesmente Feliz) embarca na viagem acidentalmente e a partir dai um mundo de aventuras aparecem para eles.

Bastardos Sem Glória (o nome argentino é melhor, perdão Brasil ...) é a volta de Quentin Tarantino depois do projeto Grindhouse e dos problemas de distruibuição de A Prova de Morte (cade o filme nos cinemas brasileiros pô!) e coloca em pratica uma visão curiosa sobre a segunda guerra mundial. O Tenente Aldo”O Apache” Reine recruta alguns soldados judeus para apenas um proposito: matar nazis. E esses bastardos não vão medir esforços e violencia extrema para chegar em seus objetivos. Também nessa mesma balada violenta está o desejo de vingança de Shosanna, uma bela francesa judia que tem um plano para matar o carrasco de sua familia, o temido Hans Landa, mais conhecido como O Caçador de Judeus.

Em Up – Altas Aventuras consegue resgatar o que estava perdido na Pixar que é a necessidade de uma história simples, mas feita com o coração. Depois do perfeitamente tecnico mas vazio de coração WALL-E, os criadores de um dos melhores filmes da produtora o impecavel Monstros S.A. contam com sensibildade a história desse senhor que perdeu muitas oportunidades e com uma ideia insolita de fazer um sonho inocente de criança consegue viver sua maior aventura. Dou destaque de como ele constroi todos os personagens da trama, que são admiraveis e inesqueciveis da produtora, momentos belissimos em momentos certos e principalmente em sua famosa critica implicita que já em Monstros S.A já demonstrava ser assustador que hoje se torna real que é a mudança de valores e pensamentos em meia decada.

Em Monstros S.A. tem uma cena em particular que já demonstrava que as crianças de hoje estavam dificeis de se assustar, demonstrando assim que não existe mais sensibilidade na imaginação de uma criança e que a tecnologia e o desvirtuamento de valores nos ultimos anos, soa até compreensivel que algumas crianças prefiram ver algo mais “real” do que imaginavel. Parece que o filme remete o foco principal de Onde Os Fracos Não Tem Vez, que as mudanças que aconteceram em nosso meio foram tão aburptas que as lembranças de inocencia se tornam apenas sonhos belissimos que ficam para trás quando acordamos. A diferença é que Up retoma esse sonho doce da aventura, da esperança e de principalmente que a vida é tão bela independente da idade, tamanho e nível de aventura.

Tarantino. Palavra que conseguimos associar tranquilamente com excelencia, estilo, dialogos afiadissimos, suspense crescente, personagens inesqueciveis e uma violencia que só ele consegue fazer. Pois bem, em Bastardos Sem Glória voltamos a sentir essas caracteristias deliciosas que só ele é capaz de transpor em tela. Mas os grandes destaques ficam para seus atores principais como Brad Pitt que consegue fazer o seu melhor personagem desde Mickey de Snatch – Porcos e Diamantes criando um sotaque mais ridiculo e mesmo assim criar dialogos afiadissimos e impagaveis. Outro que merece destaque é Christoph Waltz como o implacável Hans Landa, onde ao mesmo tempo é carrega carisma em seu sorriso e violencia em seus atos. E quando Pitt e Waltz estão juntos, a tela explode em momentos memoráveis, seja no cômico ou trágico.

O fundamental que consegue marcar em todos os filmes de Tarantino é a importancia dele para o cinema atual. Ele consegue sempre fazer um cinema autoral, onde qualquer cinefilo consegue distingir o que é dele como os closes nos pés, o modo especial como trata suas protagonistas, seu modo de conduz a camera e principalmente o seu conhecimento cinematografico para o filme especifico. No caso de Bastardos Sem Glória o conhecimento de filmes de guerra dos anos 60/70 e também o cinema alemão durante a época da guerra com inegavel cunho nacionalista e outros que marcaram a história do cinema.

Porém o que realmente reune esses dois filmes tão diferentes em seus estilos é só uma: A importância do sentimento cinematógrafico. Os dois carregam em si histórias fantasticas que ajudam a criar outro sentimento fundamental que é de transportar o espectador a obra correspondida. Up reascende em seu espectador a simplicidade de contar uma história tão meiga com personagens adoráveis e que chegamos ao ponto de estarmos ao lado deles compartilhando alegrias e lagrimas. Em Bastardos Sem Glória vemos o que muitos queriam ter feito naquela época por todo mal que fizeram e ainda mais nesse agora, quando completa 70 anos da guerra, o filme consegue em muitos momentos expressar a maioria dos sonhos de muita gente que sentiu repudio e principalmente no final onde tem uma cena particular que conseguiu ser o sonho de todos.

Os dois filmes são os melhores do ano. Um ano que entramos em conflitos por saber que aquela agradável sessão pipoca do mês de férias está se tornando uma ilusão e que o deturpamento visual e enredos feitos para serem digeridos como um fast food de gosto desconhecido e letal. Up transpira a simplicidade em sua duração e consegue algo tão importante quanto qualquer filme da Pixar, que é conseguir transpor paixão e dedicação por seu projeto e passar sua paixão para o nosso coração e a nossa sensibilidade. Bastardos Sem Glória mostra mais uma vez que Tarantino sabe o que o cinefilo necessita e como um professor que ama os seus alunos, nos ensina a não só apenas contar uma história de vingança inconsequente e desvairada. Nos ensina a desfrutar da arte do cinema como o pintor com sua obra maestra ou um compositor que sentiu que aquele tom é a peça chave para sua melhor musica.

Obrigado Pixar e Tarantino, por relembrar o prazer indiscutivel de sentar em uma cadeira de cinema, comer aquela pipoca quentinha com aquele refrigerante e por uma sessão inesquecivel onde era possivel sentir cada riso, cada susto, cada rosto e acima de tudo, aplausos calorosos de uma só frase ... Obrigado pelo prazer da setima arte.




Fichas Tecnicas

Bastardos Sem Glória (Inglourious Basterds)
Diretor: Quentin Tarantino
Elenco: Brad Pitt, Christoph Waltz, Eli Roth, Diane Kruger, Daniel Brühl, Micheal Fassbender, Til Schweiger, Omar Doom, Mike Myers, Julie Dreyfus e Mélanie Laurent.
Gênero: Ação/Comédia/Drama/Guerra
Cotação: 100% - Obrigatório












Up - Altas Aventuras (UP!)
Diretor: Pete Docter e Bob Peterson
Com vozes de: Edward Asner, Christopher Plummer, Jordan Nagai, Bob Peterson, Delroy Lindo e Chico Anysio na versão brasileira da dublagem.
Gênero: Comédia/Drama/Fantasia/Animação
Cotação - 100% Obrigatório

6 de setembro de 2009

O Segredo dos Seus Olhos


Não considero isso uma volta. Apenas um marco de uma data curiosa. No dia 4 de setembro, completou 5 meses que estou aqui na Argentina. Experimentando coisas novas que só a vida, e somente ela, pode propor a um rapaz como eu. Vi muitas coisas curiosas em matéria de cinema aqui. Consegui ver quase todos os blockbusters desse ano e alguns exemplares que sei que tive uma plena sorte em disfrutar no cinema como um bom vinho de Mendonza (Estado Argentino). Porém só depois de 5 meses é que consegui fazer algo, onde está o melhor cinema da America Latina: Ver um filme Argentino.

O filme escolhido foi O Segredo Dos Seus Olhos (El Secreto de Sus Ojos) de Juan José Campanella. O filme consolidou fatos importantes nesse ano como o filme argentino mais visto do ano (muito perto de completar 1 milhão de espectadores) e um ponto essencial, ser sucesso de critica especializada nacional. A começar pela história tem uma base simples que é sobre um oficial de justiça portenha que se aposentou recente e para aproveitar o vacio de está aposentado começa a escrever um romance policial sobre um caso que ele mesmo investigou e ao tempo que escreve a novela, começa a questionar fatos desse momento; E também pelo elenco, encabeçado por Ricardo Darin, Soledad Villamil e Guillermo Francella; e pela enorme credibilidade que o seu diretor tem aqui que é algo impressionante.

O roteiro, baseado em uma novela do mesmo nome e adaptado pelo próprio diretor, tem todos os elementos que enriquecem qualquer cinefilo, seja aqueles exigentes ou aqueles que gostam de saborear um bom filme. Pitadas sutis de comédia e romance porém cumprindo o fundamental que é seguir a risca com o suspense policial intenso e que consegue criar momentos sufocantes até chegar em seu final com uma apoteose digna de filmes como Memórias de Um Assassino e Zodíaco. Outro ponto interessante é que mesmo passando em uma época dificil que foi o inicio de uma ditadura (meados da década de 70), em nenhum momento entra em discursos politicos que é tão facil seduzir qualquer roterista desavisado e cair nessa armadilha perigosa.

Falar que Ricardo Darin dá um espetaculo em cena, aqui soa como um pleonasmo. Por que o ator arrebenta em todas as suas cenas, onde carrega paixão e veracidade a seu personagem que chegamos ao ponto de sentir tudo que ele sente em na tela. Poucos atores conseguem esse feito onde somos os seus olhos e seus sentimentos. Atuação muito mais do que brilhante. Soledad Villamil tras a beleza solida da mulher argentina. No começo da trama ela é um pouco fria mas com o envolver da trama se vê uma evolução incrivel onde a carga dramatica é um espetaculo aos olhos. Porém o destaque extremo fica por conta de Guillermo Francella, que é curiosamente, um dos melhores comediantes argentinos e nesse filme carrega uma atuação tão forte e tão incrivel que até os seus fãs não conseguem descrever palavras do que se viu em tela e espera-se que ele continue assim, criar risos e choros.

A direção de Campanella é incrivelmente cirurgica. Belissimos enquadramentos de câmera, planos sequencias belissimos, um ótimo trabalho com seus atores e principalmente uma direção brilhante e emocionante. Mesmo com seus 150 minutos de duração, parece que de tão maravilhoso, é pouco tempo para apreciar isso tudo. E com esse reconhecimento do publico e da critica, o filme tem grandes chances de ser o representante argentino para o Oscar 2010 e tenho certeza que se for, pode ser um dos grandes favoritos da noite.

Um filme sensacional. Um suspense que prende a atenção do começo ao fim. Belissimas cenas que se entrelacam a uma trama sufocante e surpreendente que até o espectador mais atento possivel não consegue ter palavras concretas do que realmente sentiu. Um filme emocionante. Porém maior emoção ainda é compartilhar esse mesmo sentimento com o publico que aplaude de pé e que sabe reconhecer a potencialidade, a sensibilidade e paixão dos realizadores ao seu projeto que não consegue ser mais um filme comum e sim uma expressão pura do cinema: Que deixa todos quietos, que o silencio é a porta de entrada para ouvir cada palavra, cada som que explode na tela. Belissimo filme e recomendadissimo. Espero que chegue ao Brasil logo ou que o dvd venha mais rapido ainda.

Ficha Tecnica
O Segredo dos Seus Olhos (El Secreto de Sus Ojos)
Direção: Juan José Campanella
Elenco: Ricardo Darín, Soledad Villamil, Pablo Rago, Javier Godino e Guillermo Francella
Gênero: Suspense/Policial/Drama
Cotação: 90% - Filme Obrigatório









Trailer: