O Corredor Noturno





Eduardo Lopez (Leonardo Sbaraglia) é um gerente de uma seguradora situada em Porto Madeiro, no bairro nobre de Buenos Aires. Casado com Clara (Érica Rivas) e tem dois filhos. Mesmo assim, não pode se dizer que é um homem feliz, mas sim um homem com algumas pontas de frustração, fazendo que suas corridas pelos parques da cidade uma válvula de escape. Na volta de uma viagem fracassada de negócios, Eduardo conhece Raimundo Conti (Miguel Ángel Solá), um senhor poderoso que começa a perturbar cada vez mais Eduardo e deflagrar segredos obscuros do corredor noturno.

Baseado em um best seller escrito por Hugo Burel, O Corredor Noturno é uma co-produção Argentina/Espanha (assim como a maioria dos filmes de ponta argentinos) e dirigido pelo espanhol Geraldo Herrero. O roteiro adaptado por Nicolas Saad mostra um suspense psicológico que segue a risca a cartilha norte-americana para tentar a acessibilidade para o publico, mas na busca dessa acessibilidade demonstra um roteiro falho, previsível e que muitas vezes incompleto fazendo um espectador atento perguntar o que aconteceu para chegar a esse ponto.

As atuações de Leonardo Sbaraglia e Érica Rivas são extremamente decepcionantes. Não dá para negar que são dois grandes atores no cenário atual argentino, mas nesse filme parece que estão no piloto automático fazendo assim que o fundamental que é a relação personagem – publico vá para o ralo. Praticamente quem carrega o filme inteiro nas costas é Miguel Ángel Solá fazendo o vilão da trama. Sereno e ao mesmo tempo extremamente ameaçador, ele é aquele que mexe com os nervos de qualquer um com suas atitudes. Fora a direção sem vida e por muitas vezes padrão de Geraldo Herrero que poderia ter feito algo melhor, mas preferiu fazer a cartilha da acessibilidade e no resultado não deu certo.

O Corredor Noturno é a minha primeira frustração no cinema argentino, mas ao mesmo tempo soa como uma oportunidade de perceber que nem tudo é maravilhoso no país onde dá uma lapada inquestionável no cinema brasileiro. O filme é uma nítida aproximação de fazer um cinema mais nivelado e ao mesmo tempo acessível para o publico, mas não necessitava ser aquele famoso “já vi isso antes”. Não é um dos piores filmes do ano, entretanto é um filme que tinha potencial, mas se tornou uma frustração necessária para sentir que nada é perfeito




Ficha Tecnica
O Corredor Noturno (El Corredor Nocturno)
Diretor: Geraldo Herrero
Elenco: Leonardo Sbaraglia, Érica Rivas e Miguel Ángel Solá
Gênero: Suspense
Cotação: 40%

Comentários

  1. Não conhecia o filme e nem fiquei muito interessada nele após ler seu texto.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Está aí um filme que não me chama atenção nem pelo seu elenco, nem pela sua trama.

    ResponderExcluir
  3. A resposta é simples. A história desse tipo, já vimos em muitos filmes americanos. Praticamente se torna assistivel no sentido de como o cinema argentino tenta se aproximar mais do publico mesmo sabendo que a tradição daqui é mesmo cinema arte.

    ResponderExcluir
  4. Este filme parece excelente especialmente o desempenho de Leonardo Sbarglia, fez um papel perfeito como O Mesmer, uma série dirigido Alex Gabassi onde é estrelado. A série tem um desenvolvimento maravilhoso. Espero vê-lo

    ResponderExcluir
  5. Excelente filme! Vi no Festival do Rio de 2009. Jamais me esqueci. Ótimos diretor, atores e roteiro!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas