O Dia Em Que A Terra Parou (Remake)

Acredito-me que a ficção cientifica não é só apenas um desfile de efeitos especiais. Acredito que o gênero assim como o horror é apenas um plano de fundo para desenvolver sentimentos ou pensamentos, no caso da ficção, sentimentos e pensamentos. Os filmes antigos até a década de 70, sempre tinham um limite para a imaginação às alturas, mas a maioria sempre tinha um fundo sentimental ou governamental, já que a maioria falava mais em condenar o sistema soviético. Porém uma ficção merece um destaque imenso que é O Dia Em Que A Terra Parou, que infelizmente após mais de 50 anos, ganha o seu remake.

Os tempos são outros. A mentalidade hoje não é como de antigamente. Até certo tempo a ficção cientifica era como se fosse uma porta para a reflexão. Alguns mesmo sendo muito ruins, mas existia o que para se questionar. E o que falar de O Dia Em Que A Terra Parou? Uma obra prima que surgiu no inicio da Guerra Fria e que conseguiu prever que a humanidade iria cair em desgraça e criou a história de um visitante que veio alertar a todos que se continuar a viver assim, as conseqüências seriam graves. Provavelmente muitos ficaram mais admirados pela fantasia do que da realidade que a história tem para propor.

Chega nesse ano, o seu remake. Os anos se passaram e parece que a cada década a ideologia parece desvanecer. A cada ano parece que quanto mais efeitos especiais, mais “poluição visual” melhor. Muitos agradecem a isso a George Lucas e Roland Emmerich. Claro que também nesse termo surgiram outros clássicos do gênero como Alien – O 8° Passageiro; O Exterminador do Futuro; Fuga de Nova York; Blade Runner e entre outros. E hoje, para um filme do “gênero” ser bem sucedido tem que ser decorado com muitos efeitos especiais, e claro, o remake está nessa balada. O que é uma grande pena mesmo.

Quem dirigiu esse pepino foi o diretor Scott Derrickson, que só tinha no currículo o horror jurídico O Exorcismo de Emily Rose como trabalho expressivo. No elenco contamos com Jennifer Connely, o filho do Will Smith, Kathy Bates e Keanu Reeves como Klaatu, o humanóide que traz a mensagem para todos. O filme marca um feito de ter sido o primeiro filme a ser passado no espaço. Bizarro não?

Pois bem, o roteiro do remake é praticamente um desastre, apesar de colocar algumas coisas diferentes comparando ao original, mas mesmo assim, parece que a mensagem belíssima do filme anterior é tranquilamente jogada no vaso sanitário e esquece de dar a descarga para piorar a situação. Mas a pior mudança de roteiro é com certeza criar diálogos desnecessários e mudar um dos elementos mais tenebrosos do original para transformar em... Algo indescritível onde só de lembrar dá muita raiva.

Se for lembrar de atuações, é melhor passar longe, já que isso não acontece no filme. Jennifer Connely está praticamente dando beleza ao filme, porém o talento dela não se viu em nenhum momento do longa. O filho do Will Smith faz uma interpretação tão podre e revoltante que de invés de causar emoção de pena, dá é muita raiva por um personagem ruim e uma atuação pior ainda. E Keanu Reeves foi o... Keanu Reeves.

Se o original tinha efeitos superiores para aquela época, hoje se um espectador médio ver original vai dizer que é mal feito e tal. Visualmente o remake era para ser mais atrativo não? Até um certo ponto funciona, mas depois, as cenas ficam sem vida, a nave tem um visual bonito mas fica a desejar e o erro de transformar o filme em uma fita de ficção atual de ação. E principalmente, o que fizeram com GORT é praticamente imperdoável.

Ver uma situação é uma coisa, entender essa situação é outra e principalmente compreender essa mesma situação é completamente diferente. A compreensão do fato é um dos fatores mais deliciosos do original, já o remake coloca a destruição visual e o entendimento da destruição, mas a compreensão do filme para o espectador passa muito longe disso. Um remake fraco e descartável. Uma lastima mesmo.


Ficha Tecnica:
O Dia Em Que A Terra Parou (The Day The Earth Stood Still)
Diretor: Scott Derrickson
Elenco: Keanu Reeves, Jennifer Connely, Jared Smith, Brandon T Jackson, Robert Keeper e Kathy Bates
Gênero: Ficção Cientifica/ Fantasia
Cotação: 20% - Filme Fuleragem

Comentários

  1. "Cotação: 20% - Filme Fuleragem", hehehe, não esperava mais do que isso mesmo =) O original é muito bom, mas esse remake parece ser bem fraco. Acho que deixarei para o DVD...

    ResponderExcluir
  2. Tenho que vê-lo ainda. Farei isso esta semana.

    ResponderExcluir
  3. JP< o original é muito bom, dizem que inspirou vários diretores como Steven Spielberg. Estava vendo um especial do filme e a equipe falando do "amor" que tem com a obra original. Se fosse amor, não teria feito este tipo de trabalho. Vou esperar na TV a cabo, rsrs.

    ResponderExcluir
  4. Eu esperava que este filme não fosse bom.... Por isso, sua crítica só atesta para mim que eu tomei a decisão certa ao não querer assistir a este filme.

    ResponderExcluir
  5. Eh.. Fico feliz de tê-lo esnobado, apesar de ainda estar passando nos cinemas.
    Melhor negócio é ver o clássico original antes de ter a idéia soterrada por efeitos digitais, como você fez (ainda não vi).

    Cumps.

    ResponderExcluir
  6. Que maldoso você!!! rsrsrsrsrsrs

    Não achei tão ruim. Gostei, e muito, dos efeitos visuais e da edição sonora. Keanu convence bem, mas fiquei com pena da talentosíssima Connelly num papel tão bobo.

    Abs!

    ResponderExcluir
  7. assisti no TC CULT a versao de 1951, muito bom por sinal.

    mas esse novo filme...espero ele em dvd. as criticas nao andam muito favoraveis. pelo menos nao precisarei gastar 20 reais p/ ve-lo

    ResponderExcluir
  8. Baixei o original. Verei ainda neste mês. Mas não boto muita fé nesta refilmagem...

    Ciao!

    ResponderExcluir
  9. Esses remakes... Li recentemente que irão adaptar Os três patetas!!! Qual o propósito disso? Por onde anda o bom senso em Hollywood? Será que este já deu as caras por lá algum dia (HEHEHE) Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Opa Johnny, tudo bem?
    Te indiquei ao selo do "Olha que Blog Maneiro", dá uma passadinha no meu blog para dar uma olhada.

    Abraço !

    ResponderExcluir
  11. nao gostei. pra mim o q salva é a connelly, ja q o fraco keanu reeves, consegue ser ele mesmo como um extra-terrestre apatico.

    ResponderExcluir
  12. Vou esse semana só porque ganhei convites. Sei que não vou gostar...

    ResponderExcluir
  13. Assisti primeiramente o remake.
    Depois assisti o original, assim que cheguei em casa.
    Infelizmente é um remake que começa bem, mas se perde totalmente depois. O filho do Will Smith é irritante demais, assim como o que fizeram com GORT. E a frase Klaatu Barada Nikto? No remake não tem significado nenhum.

    ResponderExcluir
  14. Juro que num vi, JP! O original é um dos meus filmes favoritos... Acho que foi o produto de uma época. Fez sentido naquele contexto, sabe?

    Abs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas