Bond Is Back - Especial 007 - Quantum of Solace



Digam-me um personagem que conseguiu perpetuar ao longo da história do cinema com tanta veracidade quanto ele fez? Digam-me um personagem que praticamente mudou o jeito de fazer cinema de ação? Digam-me qual foi o personagem que suspira as mulheres de uma maneira explosiva? E principalmente, digam-me se existe alguma franquia que conseguiu a metade dos feitos que ele fez? Se a resposta é Bond, James Bond... Está extremamente correto. E Quantum of Solace chega aos cinemas nacionais com todo o vigor, mas como será a recepção para a mais nova aventura de James Bond?


Desde Cassino Royale, novamente o agente secreto caiu no gosto popular. Mas nem tudo são flores e ainda existe uma incrível racha entre os fãs. Uma parcela dos fãs do agente ainda não consegue aturar o ator Daniel Craig por muitas vezes não aparecer esteticamente, ou por carregar um comportamento extremamente diferente se for comparado ao anterior, Pierce Brosnan. Outro fato que incomoda é a comparação com o ex-agente desmemoriado Jason Bourne, por causa da valorização extrema pelas proezas de dubles e pelo ultra-realismo.


Colocando a real. Por incrível que pareça, foi uma opção acertada a escolha de Daniel Craig como o 007. Infelizmente é praticamente impossível ver outro ator que atende as necessidades atuais que o personagem carrega quanto Craig faz. Além disso, o ultra-realismo chega em boa hora, mas não por causa desse agente desmemoriado, mas sim pelo apelo do publico que não quer mais um personagem indestrutível e perfeito, mas sim um personagem crível que deixa uma sensação para o espectador que ele é uma pessoa comum, uma pessoa perceptível de falhas e sentimentos.


Voltando a falar um pouco de Quantum of Solace, a volta de Paul Haggis ao roteiro continua sendo um ponto forte para a nova saga de Bond e nesse filme apenas termina de lapidar a construção feita no filme anterior e resgata princípios importantes do personagem. Também vale a pena ressaltar o surgimento da nova organização criminosa que mesmo não sendo a SPECTRE, consegue ser tão calculista quanto à antiga organização. Outro fato curioso é o humor a trama, mesmo que muito pouca, o roteiro consegue extrair bons momentos de riso do espectador em algumas cenas.


A trilha sonora de David Arnold está crescendo a cada filme. Se em Cassino Royale ele fez a sua melhor trilha sonora, em QoS ele consegue estabilidade e consegue fazer uma ótima harmonia com a musica tema e a trilha original de 007. A musica tema “Another Way to Die” é o primeiro dueto das canções temas de 007 e praticamente foi um encontro inusitado entre Alicia Keys e o roqueiro Jack White. A canção inicialmente não desce bem por causa do embate de estilos que os interpretes tem, mas quando é visto os créditos iniciais junto com a musica, a saga entrega mais uma vez um conjunto certo e preciso de acordes e visual.


Assim como no filme anterior, a escolha do elenco é mais uma vez acertada. A escolha do ator experiente Mathieu Amalric para ser o vilão calculista em atos e sarcasmo deu um tom de seriedade e que faz com que a organização criminosa seja a grande vilã do filme. Olga Kurylenko prova ser uma Bond Girl ideal, mesmo não se relacionando com Bond, tem porte e beleza como toda Bond Girl deve ter, não pode ter entrado na galeria, mas com certeza chegou perto. Judi Dench mesmo aparecendo pouco, consegue ter um papel mais relevante do que o episódio anterior e aumentando a química com Daniel Craig.


Não dá para ficar indiferente. Daniel Craig faz uma interpretação espetacular nesse filme, elevando o que ele já tinha de diamante bruto em Cassino Royale. Em QoS ele é praticamente entrega uma atuação incrível fazendo com que ele seja um dos principais atrativos. Ele está mais seguro e a vontade em seu personagem. A lapidação do roteiro para o personagem por Haggis foi um fator fundamental para a entrega do ator para o papel. Não sei se isso pode ser vantagem ou não. Ele consegue ter uma grande vantagem para Brosnan no quesito de entrega ao personagem, ponto fundamental que foi um pouco esquecido.


Marc Foster torna um outro fator para assistir o longa-metragem. Imaginar um diretor de sensibilidade extrema conseguir conduzir um espetáculo que um filme de 007 já é o ingresso e ele surpreende em conduzir ótimos momentos de ação (dando destaque a seqüência no Panamá e os momentos finais) e momentos dramáticos. Fazendo com que se confirme que os diretores de drama têm um olhar mais profundo ao personagem quanto um diretor de ação. Assim como os diretores de filme de suspense tem uma tendência ao sucesso aos filmes de quadrinhos.


Quantum of Solace é um dos melhores filmes do ano. Fato. Tem belas atuações, ótimos momentos de ação e suspense, um roteiro que dá continuidade ao bom trabalho demonstrado no projeto anterior e principalmente um ator que dá mais emoção a um personagem que tinha esquecido o que sentir algo. Agora é como um Bond Movie é padrão, onde elementos da saga voltam e ao mesmo tempo, novas brechas são abertas. Hoje, as mudanças são bem vindas e necessárias, mas não podemos é prever como vai se comportar o publico atual daqui aos anos conseqüentes. Por que assim como nos filmes, a mentalidade do seu publico é mutável, mas não se sabe se vai melhorar ou piorar daqui em diante.


Ficha Tecnica
007 - Quantum of Solace (Quantum of Solace)
Diretor: Marc Foster
Elenco: Daniel Craig, Olga Kurylenko, Mathieu Amalric, Giancarlo Giannini, Gemma Arterton, David Harbour, Jesper Christensen, Jeffery Wright e Judi Dench.
Gênero: Ação/Aventura
Cotação: 90% - Filme Indispensavel

Comentários

  1. Não gostei do primeiro, mas esse deve ser melhor...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oooooow! 90% João???? Cara, agora até eu fiquei afim de ver... hahahahaha

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. JP, tu fez uma bela crítica! Entendi cada parte de teu texto e tua opinião. Mas... aguarde meu contraponto amanhã...

    Abs!

    ResponderExcluir
  4. João, acabei de chegar do cinema da sessão de "Quantum of Solace" e me permita discordar de você. Apesar de ter acertos (a qualidade técnica, o elenco), o filme peca no roteiro, que não empolga...

    ResponderExcluir
  5. Minha resenha não foi tão animada quanto a sua, mas reconheço que é um belo filme de ação, apesar de possuir diversos defeitos. Cassino Royale é infinitamente superior, na minha opinião.
    E Daniel Craig é uma escolha mais do que acertada para interpretar Bond no início de carreira. A trama ambiental e política deveria ser melhor explorada. Mas deu um gostinho de que vai ser um arraso no próximo filme.

    ResponderExcluir
  6. Não vi ainda,mas Daniel Craig é o Bond perfeito pra o começo do agente,já que Cassino Royale mostra ele antes de ser um 00.E sobre Another Way to Die,pra mim foi de longe a pior música-tema de algum filme de James Bond.Prefiro muito mais Chris Cornell e You Know My Name.

    ResponderExcluir
  7. Johnny, adorei a sua crítica. Além disso vc é um dos poucos que adorou o filme igualmente a mim heheheh. Fui no cinema ontem já com um pé atrás e saí com um grande sorriso no rosto.
    Sobre o atual realismo acho interessante pois isso ocorreu nos quadrinhos em meados dos anos 80. De lá pra cá a maioria das HQs tinham que ter um pé(e meio?) na realidade. E agora o cinema (de ação, aventura, HQs, etc.) segue esse caminho. Eu particularmente adoro uma "fantasia/ficção real". Acho muito interessante e acredito que é um ótimo meio da cultura de massa pra falar com o grande público sobre assuntos sérios. O Cavaleiro das trevas e esse Quantum os Solace embora não se aprofundem (principalmente o Quantum) - e nem devam talvez, pois são filmes de ação - falam sobre assunto extremamente contemporâneos e seríssimos nas entrelinhas. Esperamos que a massa perceba né (incluindo nós mesmos que somos parte dela)....

    ResponderExcluir
  8. Asó mais uma coisa: acho que Hollywoody está sendo espertíssimo nesse novo 007. Como eu disse ele está em "processo de formação identitária", se o povo começar a rejeitar esse estilo mais violento e real o príxmo filme já pode aparecer as tecnologias, Q, o Carro, etc...se o povo continuar gostando do jeito que está 007 continuará na sua construção de identidade heheheh

    ResponderExcluir
  9. Acho que sua opinião foi a mais positiva que vi a respeito de "Quantum of Solace". Particularmente não tenho grande expectativa, mas verei o filme muito em breve. Abs!

    ResponderExcluir
  10. Obrigado, João Paulo, pela visita e comentário no Cinema é Magia. Acabei de colocar no meu Blogroll. Aproveito para convidar você e todos para votarem na minha enquete de Melhores do Ano:

    http://cinemagia.wordpress.com/2008/11/13/listas-melhores-de-2008-pelos-leitores-do-blog/

    Grande abraço
    Tommy

    ResponderExcluir
  11. Acabo de ler duas opiniões negativas em blogues vizinhos, o que já estava fazendo a ansiedade em assistir algo bom desacelerar, mas nada como visões diferentes. Há quem não se acostumou à maior dose de "realismo" e ação brutal em detrimento do antigo charme do agente.
    Tomara que as cópias que virão para cá sejam legendadas.

    Cumps.

    ResponderExcluir
  12. Finalmente alguém que gostou ainda mais do que eu. Achei muito bom. E aquela cena da ópera...perfeita.

    80%

    Ciao!

    ResponderExcluir
  13. Vendo aqui as opinões, percebo que o filme conquistou alguns e outros não, mas pelo menos cumpre o seu principal fator que é ser um bom longa de ação.

    Agradeço a todos

    ResponderExcluir
  14. Eu gostei bastante mas, está bastante abaixo do Casino Royale!!

    *

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas