The Mist - O Nevoeiro

Humanidade... Palavra difícil essa em? Tentar se olhar no espelho e nunca esquecer de algo fundamental: somos animais. E mesmo com algo que diferencia dos outros animais, que é a racionalidade, ainda conseguimos carregar no mais profundo de nossos seres, instintos no qual ojeziramos, mas no final das contas, iremos fazer o que é de pior e respirar aliviado.


Não dá para questionar a qualidade de Frank Darabont a frente de uma adaptação do escritor meia boca Stephen King, já que é a quarta vez que Darabont entra no mundo do autor, com dois contos dramáticos e dois de cunho do horror. Além do ultimo exemplar da parceria, o filme O Nevoeiro. Conta no elenco Thomas Jane, Marcia Gay Harden, Toby Jones e Lauren Holden.


Esse ano apareceram filmes “catástrofes” a torto e direito com muitas vezes em tom de denuncia para as conseqüências de atitudes inóspitas, inconseqüentes, tempestuosas, e qualquer adjetivo negativo demonstrando a prepotência humana sobre o momento atual. Seja no meio ambiente, na saúde ou nas decisões político-militares. Alguns tiveram seu êxito cumprido (Ensaio Sobre a Cegueira, Right At Your Door), outros não (Fim dos Tempos, mesmo colocando aqui com uma dor no peito). E The Mist consegue ficar apenas, no meio do muro.


Vamos falar o grande diferencial do filme, as atuações. Parece que Thomas Jane conseguiu ser um protagonista ideal para os filmes de King, apesar de O Apanhador de Sonhos ser aquém, ele era o diferencial do filme. Já em O Nevoeiro ele consegue entregar sua melhor atuação e principalmente em seu desfecho onde ele consegue transmitir para o espectador algo tão sufocante e trágico. Toby Jones também consegue fazer uma atuação segura e além de ser o personagem mais sensato da trama. Mas o destaque maior é com certeza da “vilã” Sra. Carmody, interpretada por Márcia Gay Harden. Acho que nunca teve uma personagem que merece tanto repudio do publico quanto dela. A atuação de Márcia vai muito além do que se imagina. Repulsiva, explosiva, louca desvairada e tudo mais. E não é a toa que ela ganhou o premio de melhor atriz no Saturn Awards desse ano, mas o filme e o diretor, Darabont apenas indicados perdendo para respectivamente Sweeney Todd e Zack Synder (300).


Frank Darabont consegue ser um diretor de atores, parece que ele leva todos ao extremo de seus talentos arquitetando momentos densos e difíceis do espectador respirar, mas não pode se queixar dos momentos de horror que ele cria em torno dos personagens, dando destaque a seqüência da farmácia que é espetacular. Apesar do roteiro criticar o modo cretino e prepotente de como usar o dom de Deus, o próprio conto é apenas mais do mesmo para quem conhece histórias pessimistas, e além disso, Darabont em seu roteiro praticamente entrega o ouro da história muito antes dela acabar assim restando para o espectador acompanhar o tormento e o medo dos personagens até o final trágico que de chocante não tem absolutamente nada mas que poderia ter sido mais de impacto se um principal elemento surgisse nesse momento.


O Nevoeiro tem acertos e erros. Entre seus acertos está na escolha acertada de seu elenco, momentos de extrema tensão além das condições “naturais” e de uma trilha melancólica e densa. Mas os erros estão na previsibilidade de roteiro, discursos batidos e ausência de subjetividade. Começou como filme B e terminou como filme B... Começou Belíssimo, depois ficou uma Bosta e que em seu calculo total, apenas Bom.


Subjetividade é o ponto chave dos filmes de destruição ser a melhor experiência do mundo... Para que explicar o fato? Muitas vezes é o comportamento humano é o grande trunfo nesse tipo de filme. Existem fatos que acontecem que o ponto fundamental não é encontrar a resposta, mas sim compreender o que acontece no mundo. Por isso que nem quero saber da resposta, por que já sei que a resposta da destruição do mundo está no espelho, olhando para gente: Nós mesmos.



Ficha Tecnica

O Nevoeiro (The Mist)

Diretor: Frank Darabont

Elenco: Thomas Jane, Toby Jones, Marcia Gay Harden e Lauren Holden

Gênero: Horror/Drama

Cotação: 55% - Filme Assistivel

Comentários

  1. Eu gostei de O Nevoeiro. Saí do cinema satisfeita com tudo que tinha visto, principalmente depois de tatos filmes de suspense péssimos no meio do caminho.
    Acho Thomas Jane só correto, mas ainda fraco em momentos de maior drama. Marcia Gay Harden está fantástica!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. O filme vale mais, Johnny. Não é perfeito, mas é objectivo na distinção entre o bem e o mal. E até consegue fugir (e muito...) aos habituais padrões de moralidade de Hollywood.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Ceci - Realmente, Marcia está impecavel e merece destaque ... mas o filme não me atingiu como deveria ...

    Red Dust - Claro que consegue ser até acima da média do horror americano provando uma coisa: O cinema de horror hollywoodiano tá mau das pernas.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. É claro que o filme vale mais, mas conhecemos o nosso amigo JP né?! rsrs...

    Acho "O Nevoeiro" um dos melhores exemplares dos ultimos anos, principalmente no gênero em que ele se encaixa.

    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Ainda não assisti, mas pelas críticas a sinopse o filme vale a pena ser visto.
    Vou conferir.

    ResponderExcluir
  6. Quando você diz que o que nos diferencias dos demais animais é a racionalidade eu me pergunto se ssa informação procede, quer dizer que eles não raciocinam quando montam um comunidade que visa a proteção de todos? hehehe

    Quero ver esse filme mas falta tempo e dinheiro... hehehe

    abraço!

    ResponderExcluir
  7. Eu adorei "O Nevoeiro". A cena final me deixou muito mal. Eu fiquei pensando naquele homem por dias! Acho que, apesar de mostrar um retrato ruim da humanidade, revela também outro lado: o de que devemos ter fé em nós mesmos!

    ResponderExcluir
  8. Sim: e fico feliz de ver você elogiando o Thomas Jane, porque eu gostei da atuação dele e muita gente o criticou de forma negativa pela performance neste filme. Mas, a dona de "O Nevoeiro" é mesmo Marcia Gay Harden.

    ResponderExcluir
  9. Não achei ruim assim, mas o final FOI MUITO cantado mesmo. Nem é necessário o cara ter lido algum livro do SK, é só ter vistos uns filmes baseados e pronto.

    Tchê, muito obrigado pela indicação ali no post anterior, em breve posto no CN.

    Abraçoss!

    ResponderExcluir
  10. Eu achei um filmaço! Só não gostei do Thomas Jane!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Já eu considero "O Nevoeiro" um dos cinco melhores do ano. Mas muita gente não gostou mesmo, especialmente do final...

    ResponderExcluir
  12. Johnny, achei este filme extraordinário. Tudo muito metafórico e que tenta retraar a nossa sociedade totalmente ameaçada por nós mesmos.

    Não sabia que vc tinha o Cinefilando nos seus links!! Adicionarei o Cine JP AGORA!!

    Abs.

    ResponderExcluir
  13. Apenas 55%, assistível? Puxa, que pena! Verei-o no domingo e então lerei seu comentário na íntegra, mas parece que boa parte das pessoas apreciaram essa adaptação...

    Até mais!

    ResponderExcluir
  14. Como sabe, achei maravilhoso. De sua concepção à sua densidade psicológico, ao seu retrato humano pessimista. Um grande filme. E corajoso.

    Ciao!

    ResponderExcluir
  15. É bom saber que pelo menos o filme conseguiu atingir o seu verdadeiro proposito a todos ... Abraços a todos

    ResponderExcluir
  16. eu já achei um dos melhores suspense e filme do ano.

    ResponderExcluir
  17. Embora ache O NEVOEIRO melhor do que você, concordo que o roteiro deixou a desejar com seu final estrombolicamente exagerado (o que era aquela música) e a desnecessária explicação do fenômeno, deixando pouco para a imaginação. Poderia ter sido um filmaço, mas ficou apenas muito Bom!

    ResponderExcluir
  18. poxa, eu achei o filme excelente
    tem seus problemas claro, mas no geral gostei muito

    ResponderExcluir
  19. considerando e respeitando suas observações, mas ainda sim, acredito que o filme é maravilhoso

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas