Postagem Dupla: O Reino Proibido e Righteous Kill - As Duas Faces da Lei

O cinema sempre criou de acordo com os anos que passam um pensamento maravilhoso com um basamento: Imaginar juntar dois grandes astros do cinema reunidos em um único filme. Em 2008 consegui realizar em nossas imaginações em realidades. A duvida fica no que se diz a respeito se os nossos sonhos se tornarão realidade ou iremos amargar horríveis pesadelos.


O primeiro encontro citado é entre os dois gigantes do cinema de ação: Jackie Chan e Jet Li. O Reino Proibido tinha um ótimo potencial. É uma mescla de fantasia e filosofia chinesa no qual conta a história de um adolescente fã de artes marciais que é tele transportado para um reino místico onde terá ajuda de um experiente lutador e um monge do silencio contra um terrível tirano.


Poxa, se passa na China, que legal não? Mas vamos lembrar que é uma produção americana, que o principal é americano (sim, Micheal Angarano) e tinha que colocar uma história bem soft, mas por surpresa, o roteiro de John Fusco consegue retratar as filosofias orientais, mas o problema é que um pouquinho de densidade seria bom, mas não foi visto, fora as facilidades que a trama tem que deixa o espectador meio assim. Também adianta cobrar isso se quem está por trás do batente é o diretor infantil Rob Minkoff, fica muito complicado.


Mas você acha que os fãs querem saber disso? Realmente o povo pensou nisso? Claro que não, queriam ver os dois maiores astros de ação na base do cacete! E em uma luta espetacular, o fã consegue ser saciado por uma luta onde envolve o encanto oriental, movimentos precisos e suaves. Fora isso, as atuações dos dois grandes astros são quase idênticas aos seus filmes anteriores... E posteriores.


O Reino Proibido tinha tudo para se tornar um filme inesquecível para os fãs, mas na realidade o filme apenas é uma fita comum de ação que tem todo o potencial para ser um clássico da Sessão da Tarde. Em muitos momentos a fita se torna esquecível e lento. Se todo o conjunto da obra fosse uma bomba lastimável, ainda bem que isso ele não é, a luta entre seus protagonistas ainda consegue fazer vibrar os seus fãs, e foi somente isso que eles buscaram nesse longa.


E após uma década e pouca, o segundo encontro dos dois monstros do cinema foi concretizado. Robert De Niro e Al Pacino voltam a contracenar no policial Righteous Kill – As Duas Faces da lei. A história fala de dois policiais veteranos de Nova York que estão à caça de um serial killer. Mas com esses dois monstros juntos novamente, poderia ser mais um novo clássico do cinema, porém lembrando aquela velha aula de gramática no qual, poder é uma condicional...


É o segundo encontro dos dois monstros do cinema, o primeiro foi Fogo Contra Fogo de 1995 e ainda poderia citar O Poderoso Chefão Part II, em compensação, os dois não se interagem em tela assim descartando o filme em questão. Vamos ver naquela época, o diretor era Micheal Mann e o elenco só tinha estrelas de peso. Em As Duas Faces da Lei, quem comanda o espetáculo é Jon Avnet, responsável por um dos piores filmes de Al Pacino, 88 Minutos; A produtora do filme é a “incrível” Millenium Films que a cada ano que se passa entrega perolas como os filmes decadentes de Van Damme, Steven Segal, Wesley Snipes, Cuba Gooding,Jr e ainda faz o pior atentado do cinema, O Sacrifício com Nicolas Cage. Ainda dá para esperar algo?


O roteiro do filme é daqueles que você já viu em trocentos Supercines da vida porém ainda você assiste até o final só para constatar uma triste realidade: “PORRA ESSE FILME ERA MUITO OBVIO!” e pensar que é do mesmo roteirista do suspense O Plano Perfeito de Spike Lee. A direção de Jon Avnet é inexplicavelmente fraca, uma direção confusa e juntando com o péssimo trabalho do elenco de apoio e a trilha sonora pseudo-tensa, o conjunto foi um desastre.


Eu fui ver esse filme sem expectativa nenhuma, já que as peças que esse filme carregava já eram dignas de desconfiança extrema, mas para os fãs de cinema o reconforto era ver os dois monstros de volta. Claro que eles foram o extremo motivo de ver esse filme. É tão bom ver eles a vontade e perceber que a química deles juntos é algo raríssimo no dia de hoje. Eles conseguem suprir momentos de fraqueza do filme. Principalmente no começo do filme no qual somos agraciados por um momento forte dos dois na trama.


Um filme extremamente frustrante, no qual questionamos várias coisas como: Por que De Niro e Pacino estão numa trama tão capenga que é esse filme?; Por que alguém mais competente como Scorsese ou pelo menos Mann não dirigiu o filme?; Como a merda da Millenium Films consegue convencer grandes atores a trabalhar em filmes lixo? Mas se ainda vale a pena ver o filme? Só sendo muito fã dos dois para ver esse mártir de filme por uma recompensa que está muito bem cultivada no inesquecível dialogo no café em Fogo Contra Fogo e que em Righteous Kill foi mal podado e feito “nas coxas”. Lastima, muita lastima.


Ficha Tecnica


O Reino Proibido (The Forbidden Kingdom)

Diretor: Rob Minkoff

Elenco: Jackie Chan, Jet Li, Collin Chou e Micheal Anganaro

Gênero: Ação/Fantasia

Cotação: 55% - Filme Assistivel


Righteous Kill - As Duas Faces da Lei (Righteous Kill)

Diretor: Jon Avnet

Elenco: Robert De Niro, Al Pacino, Carla Gugino, 50 Cent, Donnie Wahlberg, Brian Dennehy e John Leguizamo

Gênero: Policial/Suspense

Cotação: 35% - Filme Mais Ou Menos

Comentários

  1. Não vi nenhum desses filmes, JP. Mas seu texto ficou muito bom, pára de ser charmoso e dizer que fez de qq jeito rsrs.

    Tudo de bom ae!

    Flws friendo.

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que você resumiu bem "O Reino Proibido". Era um filme para ser grandioso porque marcava o primeiro encontro, na tela grande, de Jackie Chan e Jet Li, mas acaba sendo somente uma aventura satisfatória.

    ResponderExcluir
  3. O Reino Proibido é uma grande brincadeira, mas até que se assiste sem maiores problemas (tirando o inglês decorado do dois).

    Quanto a segunda união de De Niro e Pacino contracenando, não esperava que fosse tão abaixo da média.

    Abraço!!!

    ResponderExcluir
  4. Confesso que não sou grande fã de Jet Li, muito menos de Jackie Chan, então esse tal enontro tão falado não é o que mais me atrai no filme, mas esse estilo oriental do filme. E por mais que essa coisa de filosofia da cultura chinesa seja interessantíssima, o filme não precisa ter essa densidade, né? Não vi ainda, mas pretendo logo, logo.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, esperava muito mais de As Duas Faces da Lei...poxa, que decepção. Mas nem isso eu esperava de O Reino Proibido, que não tenho muita vontade em conferir.

    Ciao!

    ResponderExcluir
  6. Esperava que "Righteous Kill" tivesse uma melhor recepção, mas foi um relativo fracasso nos Estados Unidos e mais um equívoco recente na carreira do Al Pacino. Já "Reino Proibido" não pretendo ver, ainda que seja assistível. Abraço!

    ResponderExcluir
  7. "O Reino Proibido" eu já imaginava que seria um filme comum, produção americana acaba podando os astros orientais.
    Já tinha melhores expectativas para o novo encontro De Niro/Pacino antes da sua crítica. Vou assistir para conferir.

    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Dentre os blogueiros creio que somos os que mais gostaram de "O Reino Proibido". Achei divertido e a fotografia e trilha sonora também tem seus méritos.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas