Fim dos Tempos

Bem, existem filmes que quando é conferido tem um impacto decisivo para o espectador. Outros depois de algumas horas. Alguns conseguem esconder seu segredo até o final para deixar o espectador com a sensação de: “puxa, não acreditei isso!” e já na segunda conferida ao filme, são perceptíveis os detalhes e cria mais uma outra sensação no qual é dito: “Nossa, como não reparei nisso”. Pois bem, existe um diretor que consegue criar essa sensação e ainda de quebra criar momentos de controvérsia entre publico e critica é M. Night Shyamalan.

Não é muito difícil ver entre o meio blogueiro essa racha de opiniões de acordo com os filmes que o diretor lança. Muitos culpam O Sexto Sentido, o segundo filme dele, por ter conseguido estabelecer (ou tentar) colocar finais marcantes ou intrigantes. Corpo Fechado e A Vila são exemplos disso. Digam-me com a plena certeza que vocês esperavam os finais desses dois respectivos filmes? Mas com isso, a critica começou a realmente pegar no pé, alguns serem claramente declarados detratores de Shyamalan, exemplo, Pablo Villaça no qual fez uma escala decrescente de qualidade do diretor.

Fim dos Tempos, seu ultimo trabalho, mais uma vez conseguiu rachar de vez todos, inclusive os seus próprios fãs, alguns escrevendo dolorosamente sobre o filme, estampando em seus rostos o profundo desapontamento. Mas pelo menos o filme arrecadou bem, se pagou e ainda arrecadou 150 milhões mundialmente, mas ficou muito atrás de seus clássicos, porém arrecadou mais do que A Dama na Água, um filme infantil vendido como suspense.

Pois bem, vamos falar do cordial, a história do filme fala sobre um acontecimento que assola Filadélfia e região. As pessoas começam a ter um comportamento suicida. Um professor de ciências e sua esposa tentam fugir desse mal que se espalha mais rápido possível. O filme é estrelado por Mark Walkberg e Zooey Deschanel. É o único filme do diretor que conseguiu uma censura alta R. Mais uma vez o diretor teve a colaboração de James Newton Howard, no qual entrega junto com TDK, uma trilha que cria sensações ao publico.

A meu ver, Shyamalan conseguiu entregar para o seu publico momentos assustadores e ainda reflexivos. Juntando com o meu extremo pavor a suicídio, construiu sensações que dependendo do espectador, teve êxito em seu objetivo. Curiosamente, Mark Walkberg deixa de lado os personagens de macho criado em seus últimos filmes e faz um personagem um pouco fora do habitual e se sai muito bem. Mas a interpretação de Zooey Deschanel é sofrível, parece que ela ficou o tempo todo dopada ou algo do tipo fazendo com que ela seja um ponto extremamente negativo para a trama.

Agora o que mais intriga em seu filme é a critica implícita do filme. Em A Dama Na Água é praticamente uma critica contra os críticos de cinema no qual pressionam que ele faça algo estrondoso feito O Sexto Sentido porém ele vai contra a maré e faz tudo o que eles menos querem, assim demonstrando que ele tem personalidade suficiente em fazer o que quer e ainda tem um personagem dentro do filme que todos sabem qual é o final dele.

Já em seu novo filme, Shyamalan novamente volta a fazer uma nova critica porém desta vez quem foi o novo alvo dele consegue ultrapassar todas as barreiras da coragem: o espectador atual. Hoje, nós conseguimos superar os anseios dos críticos e conseguimos muitas vezes criar momentos demasiados de expectativas, assim sendo aquele velho ditado: ou é 8 ou 80. Como em todos os filmes ele joga pistas para o final e desta vez está no inicio, e dentro de um contexto curioso que é determinante ao final.

Até concordo nesse ponto com ele. (Claro que não são todos) Parece que hoje temos um publico no qual quer filmes auto-didatas, no quais explica passo a passo o que ocorre na história e muitas vezes o filme explica e re-explica e mesmo assim, o público fica voando. Hoje vemos filmes pseudos-inteligentes que tentam dar uma de filme de densidade profunda, porém o que mais consegue é criar uma filosofia de rodoviária e que muitas vezes se torna eficiente para alguns.

Fim dos Tempos alterna em momentos fracos e frágeis, sempre liderados pela fraca atuação de Zooey Deschanel mas que consegue ser suprimido pelos momento de auto-destruição humana, trilha sonora nervosa e bela, uma atuação segura de Mark Walkberg, um roteiro que mesmo com o ocorrido final tem um outro foco e principalmente Shyamalan mantendo a sua personalidade e fazer criticas sutis e pesadas. Agora para perceber, basta apenas pensar e compreender.

Ficha Tecnica
Fim dos Tempos (The Happening)
Diretor: M Night Shyamalan
Elenco: Mark Walkberg e Zooey Deschanel
Gênero: Drama/Suspense
Cotação: 58% - Filme Assistivel

Comentários

  1. Achei mais agradável do que A Dama na Água, no entanto passa longe dos seus melhores dias (como A Vila e O Sexto Sentido). Acho que Shyamalan trabalha dessa maneira provocativa de propósito. Ele gosta de chocar e mexer com os brios do público.

    Mídia? Cultura? Acesse:
    http;//robertoqueiroz.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Esse filme do Shyamalan tem mesmo alguns bons momentos, por isso não chega a ser um desastre como muitos anunciaram, entretando é o mais fraco do diretor na minha opinião - nada que ele não possa reverter com seu próximo trabalho. Abs!

    ResponderExcluir
  3. Como fã de carteirinha do diretor, gostei muito da análise do seu novo filme sem spoilers, sobre as expectativas criadas em torno de suas obras e as críticas que Shyamlaan incorpora a seus roteiros. Mesmo com a maioria não tendo se empolgado muito com FIM DOS TEMPOS, desejo vê-lo assim que puder em DVD.

    Cumps.

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que "Fim dos Tempos" não é tão ruim assim! Mas, o filme tem problemas sérios, especialmente no que diz respeito às atuações do casal central! O Shyamalan precisa rever totalmente seu modo de fazer cinema. Precisa deixar o ego de lado e recomeçar do zero!

    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  5. Bom, eu já tenho meu texto sobre o filme prontinho, mas vou resumir o que achei do filme. É Shyamalan com seu ego o incomodando. Não por isso, "Fim dos Tempos" chega a ser uma bomba. É um filme deficiente, sim. Mas é melhor que muitos lançamentos do estilo. Sempre levando em conta que estamos falando de um filme "b"...

    AbraçO!!!

    ResponderExcluir
  6. Amigão, vc foi bonzinho demais com o Shyamalan... ABs! Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  7. Cara, eu costumo ser bonzinho com as notas de filmes que assisto, mas esse eu não tive dó mesmo: Nota 1.
    Achei o filme ridículo e se ele quis passar alguma mensagem, continuou codificada para mim, porque não consegui ver com outros olhos esse filme. E acredito que não irei fazer isso. Foi de propósito, o excesso de diálogos imbecis e atuações risíveis?
    Sério, acredito que A Múmia 3 ainda seja um filme melhor do que esse. Pelo menos A Múmia é um filme despretensioso mesmo. Ruim, mas despretensioso. Já esse, parecia ser um suspense ótimo, quase todas as críticas esculhambaram ele e às vezes eu até me surpreendo quando vou assistir filmes assim, mas nesse eu me junto aos críticos: Esse filme é uma bomba!

    ResponderExcluir
  8. Eu compartilho com o sentimento da Kamila: tem defeitos, muitos álias, mas não mereceu tanta lenha assim, tem momentos fodas.

    Abs!

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Eu achei o filme muito ruim. Principalmente pela atuação de Mark Walkberg.
    Aquela cena dele gritando depois do tiro é péssima.
    São muitos momentos sofríveis, um roteiro que poderia ter sido muito melhor trabalhado e atuações fracas, para mim.
    Me arrependi de ter visto no cinema.

    Beijocas

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas