Persepolis

O que chega a ser uma animação perfeita. Na cabeça de alguns jovens de hoje é a implantação da tecnologia se aproximando mais da realidade usando processadores e mais pixels para confundir o que é realidade ou fantasia. Mais ainda existe uma parcela no qual acha que uma animação tem que ser aquela com traços simples onde a fantasia consiga alcançar patamares da cabeça do criador e fazer algo único. Bem existe uma nova animação que conseguiu fazer isso. Persepolis de Marjane Satrapi.

Teerã, final da década de 70, Marjane Satrapi é uma menina como todas as outras, brincalhona, adorável, sonhadora e um gosto insaciável pela liberdade, mas com o começo da revolução político-religioso-social , a vida de todos começa a mudar, inclusive a dela. O medo da repressão faz com que ela viaje para Europa para crescer em um mundo livre e lá ela sentirá na pele o que a vida lhe reserva.

Baseado na HQ autobiográfico de Marjane Satrapi, que é bisneta de um antigo príncipe Persa, relatou toda a sua história em quadrinhos independente e que se tornou sucesso de critica e publico em 2001 e inclusive ganhou vários prêmios inclusive de Melhor História em Quadrinhos em Frankfurt em 2004. E só no ano passado ganhou o longa metragem conquistando públicos e críticos. Mas também tem um fator que faz com esse filme tenha algo especial.

Em 2007, podemos encher o peito e dizer que foi um dos piores anos para filmes de animação de todos os tempos. Pode se dizer que foi um ano megalomaníaco onde quase todos os filmes de animação foram todos em CG e ainda pior, quase todos são fracos e aquém do que se imagina, onde a Pixar vacilando com Ratatouille, a Dreamworks voltando a fazer filmes fracos como Bee Movie e Shrek III (vergonhoso). O único que se sobressaiu da carcaça foi Ta Dando Onda, feita pela Sony Animation e o pior é que o filme foi fracasso de publico nos US e A, mas teve um relativo sucesso aqui no Brasil. E será que Persepolis começará com o pé direito esse ano de 2008 para animação ou o cinema em geral?

O roteiro do filme é um deleite, tem um narração gostosa, que consegue atingir o drama e a comédia sem clichês ou em introduzir em momentos abruptos. Outro ponto belíssimo do filme é a trilha sonora, onde envolve rock, lirismo e uma antológica seqüência da Marjane cantando Eye Of The Tiger(!!) que consegue arrancar gargalhadas sinceras. Na dublagem, está no elenco Chiara Mastroianni (Marjane adolescente e adulta), Catherine Denueve (Mãe de Marjane) e o mais gostoso de ouvir é a voz de Gabrielle Lopes Benites fazendo a Marjane quando ela era criança, dá para ouvir o som da pureza e da inocência. E o desenho, basicamente é uma transposição de quadro a quadro da HQ, assim lembrando até Sin City pela fidelidade entre a obra original e filme.

Persepolis não é só apenas uma animação qualquer, é uma ode a vida, á esperança e á fantasia. Uma animação que consegue tocar no mais gélido dos homens, que quebra o preconceito das pessoas que não gostam de filmes mais conceituais e principalmente que não precisa gastar horrores com tecnologia para fazer uma animação, mas sim ter coração e essência cinematográfica.

Persepolis
Direção: Vicent Paronnaud e Marjane Satrapi
Com Vozes de: Chiara Mastroianni, Catherine Denueve, Danielle Darrieux, Simon Abkarian e Gabrielle Lopes Benites.
Gênero: Animação/Fantasia/Drama/Comédia
Cotação: 85%

Momento Memóravel: Marjane cantando Eye Of The Tiger


Recomendo:

- As Bicicletas de Belleville
- O Fabuloso Destino de Amelie Poulain
- Sin City - A Cidade do Pecado
- Anti-Heroi Americano

Comentários

  1. João, não achei que 2007 foi um ano ruim para as animações. Acho que tivemos bons filmes no gênero, como "Ratatouille" e "Tá Dando Onda", além desse "Persepolis". O filme francês pode ter ficado de fora da disputa por melhor filme estrangeiro, mas acho que vai seguir o caminho de "The Triplets of Beleville" e ser indicado para Melhor Filme de Animação no Oscar.

    ResponderExcluir
  2. Espero algo no estilo de Belleville. Se chegar aos pés, já ficarei extremamente satisfeito.

    Ciao!

    ResponderExcluir
  3. Estou querendo ver esse filme após ler sua crítica. Confesso que não sabia o que a animação tratava, mas após ler aqui eu fiquei animado.
    As Bicicletas de Belleville também não cheguei a ver, mas soube que foi bastante elogiado.
    E animação não precisa ter pixels e mais pixels para ter qualidade. O que importa é o tema passado.
    Vou conferir assim que puder.
    Seu blog está ainda melhor, não só pelo cotação em porcentagem, mas pelas indicações de outros filmes parecidos e de cenas memoráveis.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Adoro filmes ou animações que ousam, trazem algo novo, traços novos...que uma um pouco dos apdrões... como foi o que rolou com Sin City, A Noiva-Cadáver, Wallace & Gromit.. muito boas as recomendações...
    peloq eu vc escreveu, parece ser muito interessante, uma pena que dfinitivamente irei só assisti-lo pelas locadoras...
    abraços

    ResponderExcluir
  5. JP, adoro algumas animações totalmente computadorizadas, mas gosto desta forma convencional de traços e expressões que é pouco adotado atualmente. E, do pouco que vi, não posso confirmar com tanta certeza de que foi fraco o 2007 das animações, pois só gostei de “Os Simpsons – O Filme”, um filme que, por sinal, se baseia em traços a mão.

    ResponderExcluir
  6. Baixei ele ontem. Assisto até amanhã, com certeza.

    Abraço

    p.s.: marcamos de assistir juntos o 1° episódio da quarta temporada de lost. se estiver interessado, entra em contato comigo que eu te digo onde e quando vai ser.

    ResponderExcluir
  7. dentre as indicações que vodê deu, acho que nada supera o lirismod e As Bicletas de Beleville. É lindo...

    ResponderExcluir
  8. O filme me tocou demais. E a animação, mesmo sem as técnicas estrambóticas da Pixar e da Dreamworks, é maravilhosa. Linda!
    Um filme imperdível!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas