Leões e Cordeiros (Lions For Lambs)

Primeira situação: Na reta inicial das eleições presidenciais, um nome ganha força e confiança do seu partido. O senador Jasper Irving, um político republicano, tem grandes propósitos para conquistar os corações e confiança do povo americano. E em uma manhã, ele concede uma entrevista onde só envolve o senador e a jornalista veterana Janine Roth. Porém os planos de Jasper desafiam os preceitos éticos de Janine.

Leões e Cordeiros é o mais novo filme do diretor e ator Robert Redford que estava afastado da bancada de diretor desde Lances da Vida de 2000. E conta no elenco, além do próprio ator, Meryl Streep, Micheal Pena, Derek Luke e Tom Cruise. E ainda Cruise, é o primeiro filme da United Artist que produz sobre a supervisão do ator depois da compra da produtora. Com tantos pontos atrativos para um bom cinéfilo, então por que esse filme foi (quase) massacrado pela critica americana.

Segunda situação: Afeganistão. A mando do senador Jasper Irving, alguns militares tiveram novas táticas militares no qual se baseia em mandar pequenas milícias para acabar com células do grupo terrorista Al Quaeda e achar o mito Osama Bin Laden. Mas o plano deu errado, já por causa das condições climáticas e armadilhas do destino, dois soldados Arian Finch e Ernest Rodriguez caem no terreno inimigo e começam a refletir do por que estão na zona de guerra.

O tema por si só é espinhoso. Assim como o incrível (porém saturado de debates pseudointelecuais) Tropa de Elite, Leões e Cordeiros trata sobre a sociedade política pós 11 de setembro, no qual mostra que no inicio existia uma comoção quase mundial contra a guerra contra o terror mas de acordo com o tempo, a situação ficou fora de controle, novos rumos de ideologia política, e a insatisfação popular por guerras de cunho econômico criou desgaste entre a sociedade sobre o tema e quando querem reparar os erros crassos que o tempo não irá curar, o sistema faz a questão de repetir fatos do passado porém o próprio passado provou que aquele sistema não deu certo.

Terceira situação: Em uma universidade paga da Califórnia, Todd Hayes, um estudante desleixado com a matéria do professor Stephen Malley, vai bem cedo a faculdade e pensando que iria agradar o seu professor com café bem cedo, o professor dá duas saídas para esse aluno passar em sua matéria, mas o verdadeiro propósito para esse professor é recrutar esse aluno aflorando sobre o papel dele na sociedade atual, assim como os seus outros dois alunos Arian e Ernest.

Outro ponto que o filme mostra sem pudor é a manipulação da mídia sobre determinadas situações, também a história nos provou que a mídia faz um perigoso jogo com o sistema político assim determinando rumos de opiniões publicas, assim remetendo assim para a sociedade dizer que tal situação é correta ou não. Assim lembrando uma fala que o personagem de Tom Cruise diz: “Vocês (se referindo a mídia) nos vendem o problema da sociedade, por que vocês não vendem a solução?”

Muitos dizem que o problema do filme está na questão técnica, por ser muito parado, ou que muitas vezes limitada para o tema. Mas isso pode até ser relevado por dois importantíssimos fatores: atuações e roteiro. O roteiro de Matthew Micheal Carnahan (irmão de Joe Carnahan) que também fez o roteiro do inédito O Reino, faz uma feroz e implacável critica ao sistema político atual dissecando ora nos seus diálogos ora nas atitudes retrogradas e inúteis. E o elenco está afiadíssimo, desde do novato Andrew Garfield (esse merece ficar de olho) até o polemico Tom Cruise e principalmente ele que sempre foi marcado por polemicas egocentristas mas que sempre ofuscam o grande ator que ele é e nesse filme é um dos personagens mais nojentos e antipáticos porém consegue conquistar o espectador com o seu jeito esperançoso e aquele sorriso implacavel, assim como a maioria dos políticos atuais, ponto positivo para o filme. Robert Redford e Meryl Streep já foram o que eu esperava, atuações impecáveis.

Com pontos técnicos abaixo do esperado, mas feito de coração e alma, Leões e Cordeiros é uma obrigação para quem gosta de um filme inteligente, profundo e verdadeiro. Mas não é recomendado a aqueles que são meio desavisados em diálogos, gostam de superproduções exageradamente acéfalos, e de não gostar de discutir o mundo onde vive. Sociologicamente perturbador, Leões e Cordeiros é para ser visto, debatido e não ser esquecido.

Leões e Cordeiros (Lions For Lambs)
Diretor: Robert Redford
Elenco: Robert Redford, Andrew Garfield, Derek Luke, Micheal Peña, Peter Berg, Meryl Streep e Tom Cruise
Gênero: Drama/Guerra

Se Você Gostou do filme Recomendo:

Todos Os Homens Como Presidente
A Firma
Tropa de Elite
O Caminho Para Guantanamo
A Revolução Não Será Televisionada

Comentários

  1. Olá, gostaria de propor uma parceria com o seu site. O meu site é o cinemais.wordpress.com
    Se quiser aprovar a parceria é só me avisar.
    Abraços
    sitecinemais@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. JP, até tenho vontade de ver o filme, mas até quando teremos de suportar filmes políticos espelhado nos ataques do 11 de Setembro, assim como indica o seu texto?

    Se permanecer em cartaz até o próximo mês, devo arriscar a espiada.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito desse filme porque suscita a discussão e a reflexão e porque tem muito a dizer, mesmo para nós que não vivemos nos EUA, mas que somos afetados por tudo que eles fazem.

    ResponderExcluir
  4. Alex - Mas a grande questão não é o 11 de setembro e sim as ações que foram tomadas depois desse dia e que hoje sofremos na pele ... um filme importate para refletir ...

    Kamila - Precisamos filmes desse tipo, que fazem o espectador refletir no mundo onde vivemos e tentar (ou não) fazer algo por ele ... vou ver de novo ... ehehehe

    ResponderExcluir
  5. Vou assistir esse filme ainda hj!
    Apesar das criticas desfavoraveis que andei lendo, ele ainda parece uma ótima pedida e além do mais, eu sou uma daquelas pessoas estranhas que gostam de geopolitica, hehe.

    ps: Vc tem fixter?

    ResponderExcluir
  6. Tudo indica que irei babar no roteiro desse filme...aparenta ser forte, significativo e afiado!
    Esse conjunto em um filme socióliogicamente político...cai como uma luva e ainda se diferencia de coisas mais taxadas de sérias, mas a fundo são comerciais...como A intérprete!
    Abraçooo!

    ResponderExcluir
  7. João, faço suas as minhas palavras. A gente precisa, cada vez mais, de filmes que nos ajudam a compreender o mundo em que vivemos.

    ResponderExcluir
  8. Parece ser muito bom mesmo. Acho que desde "As Horas" não vejo a Meryl Streep num filme muito bom, me corrijam se esqueci de algum, hehe. Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Esse filme realmente é ótimo, não me decepcionou :D
    Agora vou tentar ver Os Donos da Noite, que espero ser mais uma dica boa...rsrs

    ResponderExcluir
  10. Estou curioso para assistir, e quanto as criticas já esperava, pois tendo um filme "sério" com Tom Cruise a frente vai ser sempre mal encarado, cada vez mais acho que a midia americana - claro, por culpa das próprias estripulias de Cruise - sempre vai crucific=á-lo como ator.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Um filme que funciona quase que como uma peça de teatro e se baseia, para evoluir, nos seus diálogos. Por isso a decepção de muitos que esperavam uma fita com maior acção.

    Boas interpretações, deixando várias questões para debater, embora pudesse ter sido um pouco mais acutilante na intervenção crítica.

    A minha classificação: 8/10.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas