GRINDHOUSE

Desculpem a demora ... a faculdade voltou ... e não vou postar tanto quando eu postava ... mas retorno com visual novo e com um dos filmes mais esperados do ano ... GRINDHOUSE!


Esse ano um projeto nunca chamou tanta atenção quanto Grindhouse. A idéia do projeto veio dos diretores mais cool para muitos cinéfilos, os senhores Robert Rodriguez e Quentin Tarantino e esse projeto engloba um tipo de homenagem aos filmes dos anos 60/70 de filmes de terror e que naquela época passavam dois filmes seguidos junto com trailers de próximas atrações, sempre recheados com violência e sensualidade explicita e o melhor de tudo, por apenas um ingresso, mas será que “ressuscitar” esse tipo de sessão irá cair bem à nova geração? Aqui em diante vai ocorrer uma analise completa dos dois filmes e dos trailers falsos.

Primeiro Trailer Falso: Machete
Diretor: Robert Rodriguez
Elenco: Danny Trejo, Cheech Marin e Jeff Fahey

Plot do Trailer: Um mercenário mexicano chamado Machete recebe uma proposta de um figurão para matar um senador, sendo que ele é enganado por esse ricaço e agora quer vingança junto com o seu irmão padre. Além de ser um trailer cheio de ação, ele abre as portas para esse grande e ambicioso projeto desses dois diretores, é o trailer falso que tem mais possibilidades de virar filme, espera-se que sim.

Primeiro Seguimento: Planeta Terror
Diretor: Robert Rodriguez
Elenco: Rose McGovan, Freddy Rodriguez, Marley Shelton, Josh Brolin, Micheal Biehn, Naveen Andrews, Micheal Parks, Electra e Elise Avellan, Rebel Rodriguez, Jeff Fahey, Tom Savini, Quentin Tarantino, Stacy Ferguson e Bruce Willis.
Gênero: Ação/Horror/Ficção

Quando um grupo de soldados mercenários quer roubar uma substancia química letal, porém algo dá errado e essa substancia vaza no ar assim surgindo mortos vivos que são infectados pela secreção e pelas mordidas desses monstros e o destino da humanidade está nas mãos de um grupo bizarro de pessoas que inclui, um rapaz com passado desconhecido, uma dançarina cotó, uma medica, um policial, irmãs gêmeas loucas e outros. E essa noite vai ser infernal.

Já começando explosivo, Planeta Terror faz uma homenagem aos filmes de zumbis colocando todo tipo de clichê e tudo mais, fora o seu grande elenco que ainda tem no meio uma das maiores referencia de filme desse estilo que é Tom Savini, o Sex Machine de Dawn Of The Dead e que também participou em Um Drink No Inferno. O roteiro do filme é mais raso do que pires, porém tem algumas coisas curiosas no filme como a explicação de onde surgiu tal vírus e as tramas paralelas de alguns personagens na trama, o resto é desculpa para rolar a ação. O elenco do filme já é uma atração a parte, chegando ao momento de quem disputar quem é mais canastra que o outro, mas as atenções são todas de Rose McGovan como a dançarina cotó Cherry Darling, além de ser uma personagem altamente bizarra e engraçada, consegue protagonizar umas das seqüências de ação mas exageradas e nonsense do ano. Robert Rodriguez continua fazendo aquele cinema trashão com cenas de ação ininterruptas, não deixa a peteca cair em nenhum momento e tem cenas que realmente vai ser difícil sair da cabeça do espectador.

Em suma o filme tem elementos dignos de filme B, porém o espírito que o projeto tem, transformou um amontoado de clichês mais esdrúxulos em um filme de luxo, que consegue atingir o seu objetivo, fazer um filme que diverte todos os fãs de horror, desde os mais novos (em suas maioria, fãs instantâneos) até os genuínos fãs. Se for para fazer um filme digno de trash, Robert Rodriguez fez e de luxo por sinal.











Segundo Trailer Falso: Werewolf Women In SS
Diretor: Rob Zombie
Elenco: a maioria dos filmes de Zombie e Nicolas Cage

Plot do Trailer: Na Alemanha Nazista, um grupo de cientistas malucos queria fazer experimentos transformando mulheres em lobisomens ou mulheres-lobo. O segundo trailer tem uma premissa até que interessante, mas o trailer é uma decepção geral, além de ser mal dirigido ao extremo por Zombie, conseguiu arrancar a melhor atuação de Nicolas Cage dos últimos dois anos, por que conseguir ser melhor do que O Sacrifício, O Vidente e Motoqueiro Fantasma, pense... Trailer fraquinho. Comecem a duvidar da qualidade de diretor de Rob Zombie.

Terceiro Trailer Falso: Don’t!
Diretor: Edgar Wright

Plot do Trailer: Esse trailer não tem história, porém é bem melhor do que o trailer fraco de Zombie. Na realidade, o trailer é uma homenagem aos filmes europeus de horror das décadas passadas e ainda o trailer brinca com todos os clichês possíveis e impossíveis de um filme de horror, fazendo que ele tenha um tom cômico incrível, Edgar Wright é uma boa promessa e ainda tem a participação de Simon “Shaun” Pegg, bem legal mesmo.

Quarto Trailer Falso: Ação de Graças (Thanksgiving)
Diretor: Eli Roth
Elenco: Jordan Ladd, Jay Hernandez, Micheal Biehn e Eli Roth

Plot do Trailer: Simples, porém eficiente. Um assassino está a solta causando pânico e terror a uma cidadezinha pequena dos EUA. Mas o que difere e torna esse o melhor trailer falso, junto com Machete? A premissa. Roth utiliza o contexto da pequena trama se passar em uma época de ação de graças, onde famílias se reúnem para comemorar a paz e tal. Isso faz que o tom de escracho seja maior e fora que no trailer tem uma das mortes mais geniais que já se tenha ouvido falar. Também junto com Machete, é o que tem mais possibilidade de se tornar filme.


Segundo Seguimento: A Prova de Morte (Death Proof)
Diretor: Quentin Tarantino

Elenco: Kurt Russell, Rosario Dawson, Zoe Bell, Tracie Thomas, Mary Elizabeth Winstead, Sydney Tamiia Poitier, Jordan Ladd, Vanessa Ferlito, Rose McGovan, Marley Shelton, Eli Roth e Quentin Tarantino.
Gênero: Ação/Suspense

Dividido em duas partes o filme fala de um dublê com um jeito meio antiquado chamado Stuntman Mike que tem um carro preto que tem uma peculiaridade interessante: o carro é a prova de morte. Porém por trás desse semblante esconde um assassino frio e que usa o seu carro para matar jovens moças, mas será que alguém irá impedir esse assassino frio que se esconde em seu carro matador?

A Prova de Morte é o mais novo filme de Tarantino depois do ultracult (mas ao mesmo tempo duvidoso) Kill Bill e tenta trazer ao seu publico um estilo novo de horror transformando literalmente um carro em uma arma de matar. Por um lado o filme tem elogios, por outros é só esculacho. Muitos fãs de horr

or atual basicamente não suportaram o ritmo “lento” que Tarantino impôs no filme, outra parcela que não gostou diz que Tarantino coloca o seu hype em níveis chatíssimos assim forçando a barra até demais. Mas será que os detratores desse seguimento têm razão?

O roteiro de Death Proof é bem simples, muito mais claro do que Planet Terror, mas o que marca nesse filme é a volta dos memoráveis diálogos que é uma tipicidade tarantinesca inegável, se vocês sentiram saudades dos diálogos espertos de Tarantino, o filme está cheio. A trilha também carrega outra marca de Tarantino e não tem brecha para fazer remix vagabundo como fizeram na maioria da trilha de Kill Bill. O elenco mesmo só tem destaque Zoe Bell e Kurt Russell. Zoe Bell de inicio não sabe quem é ela, mas ela fez a maioria das cenas de ação de Kill Bill e nesse filme faz ela mesma e o que sabe fazer de melhor, uma seqüência de ação de alta voltagem. E Kurt Russell volta a fazer mais um papel memorável como Stuntman Mike, porém tem algumas ressalvas de ele não ser tão assustador quanto parece e sim o próprio carro, mas não deixa de ser um personagem fascinante.

Tarantino fez algo que estava devendo a um bom tempo que é um filme rico em diálogos e que tivesse seqüências de ação memoráveis e sensacionais, porém uma parcela do publico não gostou do ritmo ditado por ele, afinal quem se acostumou com o ritmo frenético de Kill Bill vai sentir uma broxada tremenda em Death Proof, mas quem acha que o verdadeiro Tarantino é aquele de Jackie Brown e Pulp Fiction, fiquem felizes, ele voltou às raízes.

Um seguimento dúbio onde ao mesmo tempo Tarantino faz um filme bem legal e na minha opinião superou com folgas Kill Bill, por um outro lado, foge da temática em partes do projeto Grindhouse e de invés de ser de terror, se torna um filme comum do diretor, com longos diálogos e personagens incríveis, porém muito longe de ser um filme espetacular de horror.











Conclusão Final do Projeto: Um projeto incrível onde o espectador entra em uma montanha russa alucinante, mas há ressalvas. Se a ordem dos filmes fosse outra com Death Proof primeiro e depois Planeta Terror ai sim seria uma viagem muito mais impacto para o espectador. Mas com o fracasso de bilheteria, infelizmente o projeto pode vir ao Brasil separado, assim deixando por um lado sem graça. Mas são dois ótimos filmes e esperamos que esse tipo de projeto continue vivo e que tente salvar Hollywood da falta de criatividade que assola o mundo do cinema. o melhor filme de horror do ano sem dúvida.

Comentários

  1. Parabéns pelo novo layout, João. Gostei bastante.

    Quanto à "Grindhouse": você é um dos sortudos que puderam assistir aos dois filmes juntos. Já que, no Brasil, os filmes do Tarantino e do Rodriguez serão lançados de forma separada.

    Quero assistir a este filme, mas não estou tão ansiosa assim por ele.

    ResponderExcluir
  2. Mudar sempre é bom... hehe e não esqueça que o Cine Art ainda continua na ativa!

    Quanto a Grindhouse, achei demais! Apesar do filme do Tarantino ser bem melhor que o do Rodriguez, que não fez feio, é divetido seu Planet Terror. Mas Death Proof é a melhor coisa que eu vi esse ano até agora...

    ResponderExcluir
  3. Poxa, todo mundo mudando os layouts, heheh. Ficou tri massa. AHHHHH! Eu quero ver logo Grindhouse!!! Baita crítica, só me deixou com mais vontade ainda de ver. Gosto das suas reviews que são muito ilustradas, grande seleção de imagens e wallpapers, meio que assimilei isso no meu post, hehe. Até mais, abs!

    ResponderExcluir
  4. Informando aos desavisados que o blog Cine ôba! retornou do seu intervalo de três semanas. nos visitem e encham de comentários a postagem sobre o filme Planeta Terror de Robert Rodriguez.

    Que coincidência Johnny!!!!

    hehehehe

    Eu també postei sobre o GrindHouse mas não tão detalhita om você!
    Um belo texto!

    Gustavo Madruga

    ResponderExcluir
  5. Os cinemas vão ficas lindos com a publicidade animal desse filme. Engraçado como são filmes de horror, mas os posteres conferem toda uma sensualidade ao projeto. Onde vc viu o filme?

    [www.metaplano.blogger.com.br]

    ResponderExcluir
  6. João, o visu do blog ficou show.
    Sobre o projeto de Robert Rodrigues e Tarantino, só quero saber quando as distribuidoras vão se animar com isso e lançá-lo imediatamente.Não sabia sobre esses trailers falsos que são exibidos antes dos segmentos.Achei muito bom.

    ResponderExcluir
  7. Eu gostei muito do novo visual, mas o post ficou um pouco estranho. Eu também vou ver os dois filmes de uma só vez, mas estou com muito pouco tempo para assití-lo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas