Postagem Dupla: Die Hard 4.0 / Espelho (Into The Mirror)

Die Hard 4.0

Depois de detonar um edifico residencial em LA, um aeroporto em Washington e de ter evitado um dos maiores roubos na história, o policial linha dura John McClane agora é detetive e passa o tempo vigiando a sua filha, Lucy na universidade. E na madrugada ele tem que escoltar um hacker para a capital federal para que o FBI interrogar o garoto por algumas infrações da lei. É... Parece fácil não?(...)

Duro de Matar 4.0 volta depois de mais de uma década e mais uma vez o policial linha dura John McClane está de volta. A franquia de ação que revolucionou o modo de fazer filmes de ação está de volta. Porém muita coisa mudou e a mudança mais sentida é com certeza de quem está comandando. O diretor desta vez é Les Wiseman, sim o mesmo da franquia de vampiros e lobisomens Anjos da Noite. e mesmo com esse elemento que para muitos é negativo até dizer chega, a franquia tem ainda é duro na queda ?

(...) McClane vai escoltar Matt Farrell, um hacker que como muitos, não gostam de força policial, mas quando chega lá, sempre na hora errada e no momento errado, McClane e Matt são vitimas de uma rajada de balas de um grupo terrorista desconhecido e ainda para piorar o dia, o país se torna vitima de cyberterrorismo comandado por um hacker chamado Thomas Gabriel, que tem um passado sombrio e para concluir, Lucy é seqüestrada por Gabriel aumentando mais a fúria do nosso herói, e ele tem um simples plano, salvar a sua filha e detonar todos.

O curioso é que o roteiro do filme segue a linearidade das outras tramas (o nosso herói chegando o lugar a paisana, mas depois ele tem que salvar o dia detonando tudo), porém esse novo filme ganhou um elemento interessante, que é a critica ao sistema de governo atual provando que mesmo com o 11 de setembro a estrutura de segurança e prestação de serviço americano continua sendo altamente falho. E pensar que são os mesmo roteiristas de O Enviado e Refém. Surpresa não?

Timothy Olyphant faz o vilão da trama, o mais curioso é que de todos os vilões tem o plano mais complexo e mais interessante, porém ele não chega aos pés dos grandes vilões da franquia, os irmãos Gruber. E ainda fez uma atuação quase piloto automático, deixando quase tudo a perder. Justin Long faz o cara que ajuda o nosso herói nas partes que ele ainda não domina, o curioso é que ele tem uma inegável química com o nosso herói, porém não barra Zeus, interpretado por Samuel L Jackson, mas ele agüenta o tranco. O curioso é que os maiores destaques, além de Bruce Willis, é Cyril Raffaelli, Kevin Smith e Mary Elizabeth Winstead. O primeiro de inicio não temos idéia de quem é o cara, porém ele fez um dos filmes surpresa de 2006, Distrito B13, e também um dos inventores de Le Parkour, e ele faz um capanga muito foda e as cenas deles são realmente memoráveis. Kevin Smith faz uma participação especial fazendo um dos hackers que ajuda o nosso herói, caricato, faz que o personagem seja bem divertido na trama. E Mary Elizabeth Winstead faz a Lucy, e pense numa menina linda e também durona e convence que ela é filha do cara.

E claro que não podia deixar ele de fora. Bruce Willis mesmo fazendo algumas coisas que digamos, muito abaixo da media, ele também nos surpreende em fazer algumas coisas bem legais, mas quando o negocio é ação, não tem pra ninguém, o homem é foda! E nesse filme ele eleva o grau de fodisse em altos níveis, mesmo reduzindo o cigarro e falando menos coisas obscenas ele continua irônico até o osso e a principal característica, um herói humano onde sangra, tem medo e que sofre.

Juntando com a surpreendente direção de Les Wiseman, Duro de Matar 4.0 agrada aos olhos do grande publico, mesmo com ausência de algumas coisas o filme compensa com um roteiro inteligente e decente; boas seqüência de ações e acima de tudo, a volta de um personagem que o cinema sentia falta. E quem diria, quando grandes produções falham em seus objetivos, o que tinham mais cara de bomba surpreendem e agradam... e Die Hard conseguiu. Um ótimo filme.










Espelho - Into The Mirror

Uma loja de estabelecimento (uma Carrefour da vida) chamada Dreampia vai tentar a sua reinauguração depois de uma tragédia que aconteceu há um ano atrás. Um incêndio quase destruiu a loja. Mas antes do grande evento, funcionários começam a morrer de modo assustador e todos não sabem o que fazer. O chefe de segurança Woo, que era um ex-policial que saiu da corporação depois de um terrível incidente, tenta solucionar esse caso. A policia tenta solucionar por caminhos duvidosos, porém a cada vez que Woo tenta descobrir a verdade, mas assustadora ela fica.

Into The Mirror ou Espelho é um exemplar que meio que desconhecido que chegou meio que timidamente no mercado de dvds através da Europa Filmes que está se tornando uma referencia a filmes orientais, e principalmente coreanos e japoneses, agora o que mais intriga a falar desse filme é por causa de algo que está se tornando inevitável: Vai ganhar remake americano.

A produção americana vai contar na direção com o diretor francês Alexandre Aja que fez para muitos o melhor remake de horror, Viagem Maldita e também dirigiu a pequena obra-prima Haute Tension e ainda vai contar no elenco Kiefer Sutherland e Amy Smart. De inicio se pensa que é uma ótima idéia, mas não é em nenhum momento. Hoje o cinema de terror americano não está sobrevivendo com os seus próprios pés e se continuar assim, os grande admiradores não existiram mais. E pior será para Alexandre Aja por que mesmo com seu currículo bom, porém não construindo algo de novo, ou talvez original a carreira do diretor que de invés de ser um promissor diretor de horror vai ser apenas um cara medíocre que só vai fazer releituras e ser um diretor vazio.

O roteiro de Into The Mirror não fica só restrito aos acontecimentos e as mortes, também ele explora de uma maneira coerente a trama do personagem principal mostrando o seu drama pessoal. De atuação é para bater palmas para Ji-tae Yu, de inicio não temos idéia de quem ele seja, esse ator fez o Woo-jin, o grande vilão de Oldboy e quando se pensa que é um ator de um filme só, ele faz uma interpretação muito forte e interessante assim criando um personagem tão complexo quanto de Oldboy. A direção de Sung-ho Kim em seu primeiro filme consegue fazer algo que quem acompanha o cinema oriental já se tornou rotineiro que é a mistura de gêneros e nesse filme não é diferente. No caso de Into The Mirror o filme além de ser um suspense sobrenatural também funciona como policial dando assim um fôlego curioso a trama.

Ele não é incrível como The Host, mas também não é tão medíocre quanto Redeu-ai. Mas com certeza é um filme que prende a atenção do espectador do começo ao fim, pode se dizer de todos os filmes coreanos é o que tem menos impacto técnico, assim investindo mais na capacidade de seus atores e no seu clima de tensão que o filme estabelece. É como dizem a maioria dos críticos atuais, veja antes do seu inevitável remake hollywoodiano. Se os críticos acham que os americanos estão sem inspiração, imagine como estão pensando os fãs do filme...



















Ficha Tecnica:

Duro de Matar 4.0 (Live Free Or Die Hard/Die Hard 4.0,EUA)
Diretor: Les Wiseman
Elenco: Bruce Willis, Timothy Olyphant, Maggie Q, Justin Long, Mary Elizabeth Winstead, Cyril Raffaelli e Kevin Smith
Gênero: Ação/Aventura

Espelho (Into The Mirrror, KOR)
Diretor: Sung-ho Kim
Elenco: Ji-tae Yu, Myeong-mim Kim, Hye-na Kim, Ju-bong Gi, Myeong-su Kim
Gênero: Horror/Drama/Policial

Comentários

  1. Duro de Matar 4 é uma das surpresas do ano. Certinho, redondo, bem feito, é um dos melhores blockbusters desse fraco ano. Surpresa maior é Len Wiseman dirigindo bem.

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ver os dois!
    Duro de Matar 4 logo irei ver...sinto falta do Grande Bruce Willis nas telonas explodindo tudo!
    Acho que os filmes do segundo semestre vão arrasar, espero ansioso por The Invasion!
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Tio McClane não me despaontou mais uma vez! Saí satisfeito ao final da sessão e o diretor Len Wiseman cresceu no meu conceito... e muito! Espera mais do mesmo e só. E eles partiram para uma abordagem interessante (como você disse, a crítica ao governo americano pós-11 de setembro). Por que o cinema de ação atual não pode ser sempre assim? Por que tem de ter gente pendurada em cabos e etc e tal? Fala sério!

    (http://claque-te.blogspot.com): Amor à Flor da Pele, de Wong Kar-Wai.

    Meus Outros Blogs:
    http://fotovoyeur.zip.net
    (fotografias comentadas).
    http://houseagency.blogspot.com
    (o mundo da comunicação na rede).

    ResponderExcluir
  4. Duro de Matar 4 vc já sabe, né? Fodástico! Agora esse outro eu não vi...parece ser interessante.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Filme foda. McClane Largou na frente no confronto com Rambo. =D
    Té mais e um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Duro de Matar 4.0 é um ótimo filme de ação. Roteiro que prende a atenção, cenas muito bem dirigidas, química perfeita entre Willis e Long.

    O único elemento que destoa é o vilão canastrão do Timothy Olyphant.

    ResponderExcluir
  7. Vi e achei excelente, só perde para o primeiro mesmo como o melhor da serie. Sobre o Len Wiseman, acho que faz um ótimo trabalho, bem melhor que o de Renny Harlin, no segundo, o mesmo cara que comandou os horríveis O Pacto e O Exorcista: O Início, que são piores que ambos Anjos da Noite. De certa maneira, Duro de Matar pode ser o grande momento de ambos diretores.

    Nota 8,5

    E concordo com Kamila, não gostei muito do vilão, pouco carisma, zero genialidade. Alan Rickman ainda é o cara.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas