Conflitos Internos



Uma guerra entre o crime organizado e a policia de Hong Kong está chegando a níveis alarmantes. A gangue da Tríade, comandada pelo Irmão Sam, teve uma brilhante idéia: convocar os mais jovens e sem ficha criminal da gangue para se infiltrar na policia e ser os olhos de Sum no departamento policial. Ao mesmo tempo, a policia envia o seu cadete para se infiltrar na gangue da Tríade para avisar a policia para interceptar qualquer movimento criminoso da gangue. Anos se passam e Lau, o espião da gangue, está em crescimento na corporação, enquanto Yan, o policial infiltrado, se torna o pulilo de confiança de Sum. Mas depois de uma operação policial quase bem sucedida e uma fracassada transição de drogas ao mesmo tempo, os dois lados desconfiam que tem um espião em cada organização e com isso faz aumentar o medo e desconfiança entre os dois infiltrados.





Yan - O Policial Infiltrado

Conflitos Internos (Infernal Affairs) é mais um belo exemplar oriental de cinema de qualidade e que o principal enfoque é o conflito interno entre a lealdade e o dever entre dois homens. O filme ganhou duas seqüências sendo que o segundo filme é um prequel explicando o que aconteceu para cada um chegar aonde chegou e o terceiro filme que é como se fosse um epílogo de toda a saga. O filme ganhou uma atenção importantíssima em 2006. O filme ganhou um remake americano e por um golpe de sorte, o seu remake que é Os Infiltrados, teve a sorte de ser conduzido por um dos melhores diretores vivos de Hollywood, Martin Scorsese, e ainda conta no elenco grandes nomes do cinema norte americano como Leonardo di Caprio em pura ascendência no cinema, Matt Damon, Mark Walkberg e Jack Nicolson. Resultado, o filme foi o maior ganhador do Oscar e principalmente de melhor roteiro adaptado. E depois do Oscar, irá reabrir o questionamento entre os cinéfilos sobre se vale à pena fazer remakes hoje ainda tem esperança de ser tão bons quanto o original.


Lau - O Espião Da Gangue

O roteiro do filme é bem construído desde o inicio ao fim. Consegue de uma maneira espetacular prender ao espectador a cada passo e cada descoberta de cada personagem durante a trama. Mas a história do filme não chega ser gloriosa, mas o modo de como é contado é o grande trunfo da história. A trilha sonora é de uma maestria inexplicável, com musicas que misturam a guitarra pesada e musica chinesa dando e principalmente as musica suaves que são belíssimas de se ouvir. Os atores do filme entregam atuações muito fortes, mas principalmente a dupla de protagonistas Tony Leung Chiu Wai e Andy Lau que entregam interpretações fortes que mexem com os nervos e faz com que o publico fique sem reação a cada aparição deles na tela. Os diretores Wai Keung Lau e Siu Fai Mak fizeram uma direção sem pieguices, que não embroma com momentos falsos e desnecessários fazendo que o filme se torne ágil, tenso e um desfecho incrível que vai ficar no pensamento por muito tempo.

Um novo clássico policial, mais uma obra prima que sai do oriente, que hoje está sendo mais valorizado do que o mercado hollywoodiano. Atuações inesquecíveis, condução impecável, reviravoltas fortes e de um impacto sem palavras. Agora é só esperar para ver Os Infiltrados e saber o porquê do mérito de ganhar o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado. Um policial acima da media de muitos filmes do gênero... Hollywood... reaprenda a fazer cinema de qualidade com os orientais.





10,0

Comentários

  1. Johnny, demorei mas apareci de novo no seu blog. E melhor ainda: me deparo com esse filmaço que o Scorcese refilmou (mais do que isso: reinventou). Sempre acho os originais muito superiores às refilmagens, no entanto tenho de tirar o chapéu para o tio Scorcese. Ele me deixaria na dúvida. Ambos são excelentes! No caso de Conflitos Internos, aluguei no mesmo dia de OldBoy (num daqueles domingos em que você está afim de exaltar os nossos irmãos asiáticos 9cinema que crescendo cada dia mais e com qualidade). Se não tivesse visto Conflitos, não sei se teria gostado tanto de Os Infiltrados (talvez eu me perdesse na estrutura). Dái a importância dessa produção para mim.

    (http://claque-te.blogspot.com): Pecados Íntimos, de Todd Field.

    ResponderExcluir
  2. Achei esse filme um espetáculo muito bem roterizado e dirigido. Gostei muito, mas ainda acho Os Infiltrados um filme mais intenso, além das perfomances do elenco, o visual, a trilha, a montagem, os diálogos...tudo funciona de forma mais correta no filme de Scorsese.

    Mas sim, é inevitável, Conflitos Internos é bem foda.

    Conflitos Internos: 8.0
    Os Infiltrados: 10.0

    ResponderExcluir
  3. JP, eu acho sim que vale a pena continuar fazendo remakes, ainda mais quando a refilmagem fica melhor que o original - caso de Os Infiltrados em relação a Conflitos Internos.

    abs!

    ResponderExcluir
  4. Bem Tulio meu amigo ... mas veja por um ponto interessante ... se não fosse Scorsese e o seu grande elenco ... o filme continuaria a ter o mesmo brilho ?

    entende ... abraços

    ResponderExcluir
  5. Por isso mesmo! O talento de Scorsese conseguiu melhor o que já era bom, certo? Com certeza nas mãos de um diretor menos experiente o remake não daria certo..

    abs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas