Postagem Dupla de 007 : 007 Contra O Homem da Pistola de Ouro / 007 Marcado Para Morrer

007 Contra O Homem da Pistola de Ouro
(The Man With The Golden Gun)

Solex, um aparelho capaz de produzir e manipular energia solar desapareceu. Bond é chamado para investigar e tal ação o leva ao industrial chinês Hi-Fat, que tem planos diabólicos para com o aparelho. O que o oriental não contava é que seu braço direito, o lendário assassino profissional (e mais caro do mundo) Francisco Scaramanga o mata, tomando o aparelho para si. Querendo aumentar a própria fortuna, Scaramanga pretende leiloar o Solex entre as superpotências. E só o 007 junto com a ajudante atrapalhada Mary Goodnight para deter esse plano e também um dos mais implacáveis assassinos do mundo.










007 Contra O Homem da Pistola de Ouro é segundo filme do ator Roger Moore como 007 e é um filme para criar um questionamento interessante: Por que com tantos elementos incríveis, uma Bond Girl inesquecível, um vilão implacável e uma seqüência acrobática imortal na ponte semi-destruída e ainda mesmo assim ser o pior filme da série?




Bem, o roteiro do filme tem uma base boa, mas um elemento importante que o filme não tem fez com se torne algo pediante e chato de se assistir. A trilha sonora por John Barry ainda continua imaculada e sempre é uma das melhores coisas do filme. O elenco do filme é incrível. A Bond Girl da vez foi a sueca Britt Ekland com a Mary Goodnight, bem ela no filme foi o que deu o humor da vez e em quase todas as cenas ela foi o humor do filme. Também vale salientar que também no filme está Maud Adams como Andrea Anders a ajudante de Scaramanga e que tem poucos momentos em cena, mas foi recompensada como a Bond Girl principal fazendo Octopussy no filme do mesmo nome da personagem. Christopher Lee faz o vilão, o cara do filme, o vilão que sem duvida nenhuma, imortal, com sua implacável arma de ouro fez com que ele entrasse na galeria dos vilões de 007. E uma curiosidade interessante que Britt Ekland e Christopher Lee já fizeram um filme juntos antes de 007, que foi o clássico de horror O Homem Palha que ganhou um medíocre remake esse ano de 2006. Outra curiosidade também é que tem também no elenco Qui Yuen, para quem não sabe, ela fez Kung Fusão, para ser mais preciso A Patroa, nesse filme ela ta bem novinha e faz uma das seqüências mais legais do filme. E Roger Moore, bem ele como 007 se tornou caricato demais e desmistificou aquela coisa da espionagem que prevalecia nos filmes de Connery e fazendo um personagem pegador, irônico ao extremo e que pelo menos fez a bondade de deixar as bugigangas de 007 serem eternas.




Agora qual é o elemento que deixou o filme fraco: Condução. Por quê? A partir do momento que tens uma condução fraca, o filme não consegue segurar o espectador para o próximo ato e fazendo ainda algo muito pior, começar no maior gás e quando chega ao ápice do filme que é a cena da perseguição que é uma das melhores seqüências de toda a saga de 007, depois disso o filme tem um declínio incrível que só melhora no embate entre Scaramanga e James Bond, mas mesmo assim não salva o filme.

Um filme que começa quente e termina apático, um filme que pos em risco a franquia de 007, um James Bond que se esqueceu o que espionagem e deu espaço a um cara pegador, ou como diz David Niven em Cassino Royale de 1967, um maníaco sexual a solta. Mas pelo menos nesse filme tem coisas legais, mas que pena que a condução faz com que o filme se torne pediante e chato... Pelo menos tem Christopher Lee... Vale a conferida, mas bom não é...







007 Marcado Para Morte (The Living Daylights)


Georgi Koskov, um general soviético, e um negociante de armas americano chamado Brad Whitaker unem forças de modo que aumenta a rivalidade entre o serviço secreto britânico e a KGB, além de lucrar com a ocupação soviética no Afeganistão. Enquanto vendiam armas às tropas soviéticas, os dois bandidos ainda negociavam ópio com traficantes da região. Mas só um homem pode deter-los: James Bond e ainda conta com a ajuda Kara Milovy, que conhece bem o general soviético.

Bem, 007 Marcado Para Morte começou a breve, mas interessante era Timothy Dalton como o agente secreto James Bond. Agora que vem o mais curioso. Timothy Dalton era ator shakespheriano e para encarnar o agente, bem, ele não assistiu nenhum filme de 007 para se inspirar e sim ler os livros e isso até que se tornou o que se pode dizer o fator mais favorável de Dalton como 007



Outro fator interessante do filme é o contexto histórico. A história do filme se passa no final da Guerra Fria aonde já demonstrava claros sinais de desgastes e que não é a toa que Quatro anos depois em 1990 acaba-se a guerra fria. Fora que o filme cita uma guerra que vale a pena estudar que é a Guerra do Afeganistão que é o que se pode dizer, é o Vietnã da URSS também outros detalhes: os dois vilões do filme são um soviético e um americano que tem uma coisa em comum, dinheiro... E outra, James Bond está ajudando os afegãos e em 2001 a Inglaterra junto com os EUA bombardearam esse mesmo pais e ainda para apimentar os EUA ajudaram os afegões com dinheiro e armas e principalmente um cara chamado Osama Bin Laden. Mas isso é outra história...

O roteiro do filme não é mirabolante, se bem que tem um jogo de espionagem, mas que facilmente é descoberto, mas mesmo assim a peteca não cai. A trilha do filme tem a forte presença de John Barry, mas tem uma forte influencia do New Romantic que é um novo estilo de rock romântico que predominou nos anos 80 e seus principais bandas eram Duran Duran e A-Ha e ainda de quebra as duas bandas fizeram as musicas temas de dois filmes de 007, A-Ha nesse filme e Duran Duran com o antecessor desse que é Na Mira dos Assassinos. O elenco do filme é o outro que é o mais chamativo do filme. A começar com um dos vilões que é Brad Whitaker interpretado por Jon Don Baker, ele não só fez esse James Bond não. Também participou em Goldeneye e O Amanhã Nunca Morre como um dos colaboradores de 007. já no filme ele não é um vilão louco para dominar o mundo, e sim um pouco mais realista e o que mais movimenta os “caras maus” que é o dinheiro. Outro também que é interessante é o ator John Rhys Davies que nesse filme faz o general Leonid Pushkin, bem dizendo de nome ninguém conhece, mas ele está nos melhores filmes que já foram feitos para muita gente, para refrescar, ele é o anão em O Senhor dos Anéis e amigo de longa data de Indiana Jones nos dois filmes dele que foram Os Caçadores da Arca Perdida e A Ultima Cruzada e também marcou presença na maior e mais longa saga de todos os tempos, a do agente 007. Como personagem, ele é um personagem importante na trama, mas em questão de atuação, faz a sua parte. Timothy Dalton como 007 ele foi muito bem por que ele foi um Bond que a geração dos anos 80 pedia. Pelo menos foi seguro e competente e soube fazer a sua parte. Vale também salientar que foi o primeiro filme produzido pela Bárbara Broccoli, filha de Albert Broccoli.


Um filme típico de 007, cheio de ação, suspense, um James Bond seguro, vilões que se aproximam com a realidade de hoje principalmente uma boa trama. Também vale a pena ver por conteúdo histórico. E enquanto Timothy... Fez bem o seu papel, mas ele se encaixa em uma seguinte frase... Bond certo... Momento errado...











Notas
O Homem da Pistola de Ouro : 6,0
Marcado Para Morte : 9,0

Comentários

  1. Não tenho muita vontade de ver os longas com Roger Moore, mas sim, os com Sean Connery.

    ResponderExcluir
  2. Cara, desde o primeiro filme, o Dr. No, eu vi James Bond justamente como um "maníaco sexual a solta". Gosto muito de 007 e tal, mas se você quer ver espionagem de verdade, muito melhor as aventuras de Ethan Hunt ou Bourne.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. vai dar a bunda mano, soh no seu cu q o homem da pistola de ouro é apatico...

    vai se foder...

    hahaha

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas