Three Extremes

Quando se pensa de primeira sobre horror oriental vem logo no imaginário de um espectador comum: “Há, é aqueles filmes de japonês que sempre é a mesma coisa que tem uma menina fantasminha de cabelo de chapinha que assusta todo mundo”. Bem esse estigma é facilmente quebrado em Three Extremes é pode se dizer, é o melhor filme de horror oriental de todos os tempos.



O primeiro conto é A Caixa (The Box) que conta a jornada de uma escritora de sucesso que é atormentada pelo passado; o segundo conto é Escravas da Vaidade (Dumplings) que conta a história de Tia Mei, uma cozinheira de mão cheia que tem a receita da juventude em seus bolinhos mas o ingrediente secreto é algo que vai além da compreensão; e em Cut (sem titulo em Português) conta a história de um diretor de cinema coreano de sucesso que é seqüestrado por um figurante cheio de ódio e se o diretor não fizer nenhuma exigência dele, a sua mulher, uma pianista de sucesso pagará caro pelas conseqüências.

Assim como o saudoso Creepshow e Além da Imaginação, Three Extremes são histórias de horror e fantasia dirigidas pelos maiores mestres da nova corrente cinematográfica oriental. Takeshi Miike (Japão); Fruit Chan (Hong Kong/China) e Chan Wook Park (Coréia do Sul). A fotografia dos 3 contos são incrivelmente espetacular demonstrando a incrível força técnica dos orientais e principalmente em The Box que há momentos que não estamos vendo um filme e sim uma pintura clássica em movimento. O roteiro de The Box é bem contado, conta com famosos recursos que prendem o espectador até ao último momento e a sua espetacular conclusão. Já em Dumplings, dos três é que tem a estrutura mais simples, mas com o tema que é tratado no curta é realmente pavoroso, e com um final que podemos dizer, revoltante e quem já viu o longa e se chocou com o final, no curta podem passar mal. E em Cut poderia ser mais um conto sobre seqüestros, mas ele tem vários pontos que fazem que seja o curta mais surpreendente colocando humor negro; cenas chocantes e um envolvente jogo de personagens demonstrando que nem tudo é o que parece fora o final mais surrealista.

Three Extemes não é só apenas um simples filme de horror, e sim uma obra de arte misturada com histórias arrepiantes, jogos de câmeras impecáveis, cenários inesquecíveis e todos os elementos que o cinema norte-americano anda devendo e muito ao grande publico. Um grande filme, que dificilmente sairá da sua mente. E uma prova definitiva que o cinema de horror oriental não precisa de fantasmas para fazer você sentir frio na espinha.

10,0



















































Comentários

Postagens mais visitadas